08/05/2016 às 14h52min - Atualizada em 08/05/2016 às 14h52min

O que você sugere como solução do descarte de restos de construções e móveis em Leopoldina?

Leitor relata descarte irregular no Vale do Sol e pede esclarecimentos às autoridades

Edição Luiz Otávio Meneghite

O leitor do Jornal Leopoldinense Online, Rômulo Nascimento, enviou e-mail à redação relatando uma situação inusitada: “Há quase dois meses, alguém descartou um sofá usado no terreno em frente à minha casa, na  Rua das Acácias, bairro Vale do Sol, entre dois latões de lixo. Sei que o caminhão de coleta de lixo não leva determinados tipos de material. Com a epidemia do mosquito da dengue, fico preocupado com o descarte deste tipo de material em qualquer lugar que pode se tornar criadouro do inseto. Acredito que quem abandou o sofá é o responsável pelo encaminhamento do mesmo para o correto lugar de descarte, no entanto não conseguimos identificar o responsável. Pelo fato do referido sofá estar entre dois latões de lixo acredito que seja um futuro criador de ratos pois eles terão abrigo e comida muito próximos. Para agravar a situação, próximo a este local já avistei cobras, que se alimentam de ratos e podem invadir as casas próximas e atacar crianças, adultos e animais de estimação. Perguntei a um membro da PMMG do Meio Ambiente, que me informou que não há locais na cidade para que nós,  vizinhos que estão indignados com a falta de consciência de quem o fez, possamos encaminhar este tipo de resíduo, e que também, obviamente não poderíamos queimar o mesmo no local. Com tudo isso gostaria de informações de como proceder para que este lixo seja encaminhado ao seu devido destino? Qual seria punição para quem descartou? Quem deverá resolver esta situação? Quem pode dar  esclarecimentos dos responsáveis pela coleta de lixo do município? Quais seriam os materiais que eles não podem levar? Fica o pedido de  esclarecimentos para população”, encerra o leitor.


► Sofá à sombra de uma árvore no Vale do Sol

No dia 19 de fevereiro, o leitor Joel Mendes, morador no bairro Serra Verde, enviou fotos à redação do Jornal Leopoldinense Online  para denunciar a existência de vários criadouros do mosquito Aedes Aegypti naquela região: “ Gostaria uma ajuda através do jornal, para dar  uma  alerta às autoridades de  Leopoldina, quanto ao bairro Serra Verde. Acima do bairro existe  um  local onde  são depositados diversos entulhos, que  vão desde pneus velhos a geladeira, tanquinhos  e outras tranqueiras. Inclusive tem nessa região uma caixa de reserva da Copasa que está fora de uso, gerando foco  de mosquito e casos de dengue. Esse entulhos estão todos esparramados dentro do perímetro de entulho. A população pede uma ajuda urgente as autoridades” apelou o leitor naquela oportunidade.


►Bota fora no bairro Serra Verde

Nota da redação:
Denúncias, críticas, sugestões de pauta devem ser encaminhados ao jornal Leopoldinense pelo e-mail: [email protected]
 
Qual a solução para o descarte de inservíveis?

Em várias cidades do país, as prefeituras criaram o que se convencionou chamar de Ecopontos, que são nada mais, nada menos que os conhecidos ‘bota fora’, locais legalizados para descarte de pequenos entulhos, restos de construções, demolições, poda de árvores, móveis e resíduos recicláveis, em geral transportados por fretistas e carros particulares.

Algumas prefeituras estabelecem limites para que cada cidadão possa fazer o seu descarte e também estabelecem regras para que esses locais não virem uma bagunça com a colocação de caçambas estacionárias para depósito de diferentes tipos de resíduos como papel, plástico, papelão e outros recicláveis, que são encaminhados para o aterro sanitário que serve à cidade.

Os chamados materiais inservíveis, muitas vezes, são jogados em qualquer lugar, nas ruas, praças, dentro dos córregos, em terrenos baldios, provocando desde enchentes à transmissão de doenças, sem falar na imagem negativa para o local onde são jogados como revelam as duas manifestações de leitores no início desta matéria.  Além de uma atitude errada e mal educada, descartar os resíduos irregularmente é crime apesar da maioria das pessoas acreditarem na impunidade e por isso  insistem em depositar de tudo onde lhes convém.

Obtivemos a informação que a Prefeitura de Leopoldina e a empresa contratada para a coleta de lixo urbano não fazem o recolhimento desse tipo de descarte e peças de mobiliários são depositadas nas calçadas onde ficam longo tempo sem que alguém tome alguma providência para retirar dali, até que vem um vândalo e coloca fogo com risco para a população.

O jornal Leopoldinense, com o intuito de contribuir com as autoridades constituídas do município, leva ao leitor a possibilidade de se manifestar com sugestões votando na enquete a seguir:

O que você sugere para solução do descarte de restos de construções, móveis, etc... em Leopoldina? (CLIQUE PARA VOTAR)

-Convênio com empresas de caçambas.
-Criação de um ecoponto municipal.
-Criação de um ecoponto particular.
-Recolhimento pela prefeitura mediante taxa
-Recolhimento gratuito pela prefeitura


 




 

Link
Tags »
O que você sugere para solução do descarte de restos de construções e móveis em Leopoldina?
Notícias Relacionadas »
Comentários »