19/08/2014 às 09h41min - Atualizada em 25/08/2014 às 09h41min

Saúde Mulher

José de Piva Netto

                                                                 Saúde da Mulher

                                                                                                                                          Paiva Netto

No Brasil, um dos fatores que merecem especial conscientização da sociedade é o elevado índice de cesarianas, procedimento que traz maiores riscos às mães e aos bebês. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que, no máximo, 15% dos partos sejam cesarianas. Por aqui, temos 52%, chegando a 88% na rede privada. Foi o que concluíram a Fundação Oswaldo Cruz e o Ministério da Saúde, na pesquisa “Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento”, noticiada em 29 de maio. 

Bem a propósito, em 28/5, celebramos o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna; e, agora, em 15 de agosto, o Dia da Gestante.  Vê-se que o desafio prossegue. É mais que diário, é de todas as horas. Essa indispensável frente de trabalho consta dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) das Nações Unidas a serem cumpridos até 2015. Segundo o 5º Relatório Nacional de Acompanhamento dos ODM, apresentado pelo governo brasileiro em 23/5/2014, houve significativo avanço em nosso país na redução da morte materna. O número, que em 1990 era de 143, passou, em 2011, para 63,9 óbitos a cada 100.000 nascimentos. Contudo, provavelmente não conseguiremos atingir a meta de 35 óbitos de mulheres no decorrer da gravidez, do parto ou até 42 dias após nascer o bebê, conforme publicou a “Agência Brasil”.

É indicativo de que um esforço maior precisa ser feito na busca de soluções ou correção de rumos. Mas não permitamos esmorecimento, pois, com o real compromisso de todos, até o considerado impossível pode ser realizado. 

 

Cidadão-Bebê 

Um dos importantes programas aplicados pela Legião da Boa Vontade é o Cidadão-Bebê. Ele atende gestantes e mulheres com filhos de até 3 anos de idade em situação de vulnerabilidade social. Com o acompanhamento de profissionais qualificados e o indispensável apoio do povo brasileiro, essa ação contribui para um bom processo gestacional às futuras mães e o fortalecimento dos laços familiares.

Outras informações podem ser obtidas na página www.lbv.org/nosso-trabalho/mulheres.

 

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

[email protected]www.boavontade.com

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »