11/12/2017 às 13h31min - Atualizada em 11/12/2017 às 13h31min

O cirurgião-dentista e a harmonização facial

Daniela Lobo

Não é de hoje que o trabalho do Cirurgião-Dentista vem contribuindo muito para a harmonização estética. Já dizia o famoso e renomado cirurgião plástico Dr. Ivo Pitangui, durante um congresso em BH em 1995 “Antes de fazer qualquer intervenção na face, solicito que o paciente vá a um Dentista para avaliar se há infecções intra-orais e se a estética dentária pode ser melhorada antes da minha cirurgia. Dentes faltando e feios, chamam mais atenção que uma pele lisinha e sem rugas”.

Novas técnicas foram surgindo nas últimas décadas, as intervenções cirúrgicas com finalidade estética facial foram sendo substituídas por novos procedimentos menos radicais. A Odontologia, ampliando o seu campo de atuação acompanhou essa evolução, pois exige do profissional executante o conhecimento anatômico, fisiológico e funcional das estruturas da face e do indivíduo num todo, estado geral de saúde, contra-indicações, pois muitos procedimentos são invasivos e irreversíveis. O cirurgião-dentista tem todo o conhecimento específico para avaliar qual técnica de harmonização é a mais indicada para cada caso, levando em conta o conjunto com a estética dental, por exemplo, se a correção da linha do sorriso alta é suficiente na resolução de um caso ou se é necessário a intervenção com aumento de coroas dos dentes, alinhamentos, confecção de laminados de porcelana, etc ou até mesmo a correção estético-funcional de alterações esqueléticas, como no caso das cirurgias ortognáticas.

A bichectomia é a retirada cirúrgica de parte do tecido de gordura localizado entre os músculos da bochecha, com a finalidade de proporcionar maior contorno da face, em pessoas de rosto mais arredondados. Esta técnica surgiu para reduzir a incidência de mordidas nas bochechas de pessoas com acentuado volume e posteriormente começou a ganhar o foco das atrizes de Holywood que buscavam a remoção com intenção puramente estética, ganhando força e procura ampliada além da sua proposta inicial.
O utilização da toxina botulínica amplamente divulgada na Dermatologia com finalidade estética, foi regulamentado para o uso odontológico após vários trabalhos e estudos científicos com excelentes resultados no tratamento de bruxismo, apertamento dental, dores de cabeça devido a parafunção dental, distúrbios da ATM, sorriso gengival controlando a intensidade de trabalho do músculo que eleva o lábio, trazendo ganhos estético-funcional relevantes para a Odontologia.

O preenchimento com ácido hialurônico é utilizado na harmonização facial para a correção de marcas que a toxina botulínica não é capaz de corrigir, como os chamado “código de barras labial” e o “bigode chinês” e também outros preenchimentos como os mais usados, para lateral da mandíbula e maçã do rosto. O ácido hialurônico e uma substância produzida pelo próprio organismo, mas com o passar dos anos, sua produção decresce e a manutenção dos tecidos torna-se insatisfatória. A recuperação é feita com a injeção desta substância produzida de forma sintética para o ganho de volume e contorno para os lábios, face e sulcos nasais devolvendo a aparência rejuvenescida.

É nesta visão de interação com estética e função, na amplitude da harmonia dos dentes, gengivas, boca, sorriso, expressões faciais, funções musculares, marcas de expressão e o formato individual da face que está o foco da avaliação mais específica do Cirurgião-Dentista e a sua atuação.

ENTREVISTA  COM RENOMADO CIRURGIÃO BUCO MAXILO-FACIAL
ILMO. SR. DR. DINO ENRICO PICCIONI CROSP 62665
COM DRA DANIELA LOBO PARA A COLUNA MODA & MODOS CIRCUITO FASHION MODA SAÚDE BELEZA COMPORTAMENTO COM DANIELA LOBO PARA O JORNAL LEOPOLDINENSE   LEOPOLDINA MG BRASIL 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »