13/08/2018 às 22h37min - Atualizada em 13/08/2018 às 22h37min

​Barbárie em Leopoldina!?

Dias atrás, circulou nas redes sociais um vídeo que mostrava uma mulher agredindo outra no bairro Bela Vista. O que chamou a atenção desse vídeo foi à agressividade. Ficou nítido que uma mulher não queria brigar. Como diz o ditado: "quando um não quer, dois não brigam". Porém, não foi isso que aconteceu. A mulher que não queria brigar tentavava se defender, enquanto a outra não parava de bater. 

O que chamou atenção também foi a passividade das pessoas que assistiam essa cena.  Em nenhum momento alguém tentou separar. Alguns davam risadas. Para piorar a situação, essa agressão  aconteceu na frente de uma criança. Que assistiu a tudo. O que podemos esperar dessa criança no futuro? Será que  ficará traumatizada ou seguirá esse péssimo exemplo?
 
Uma cena lamentável.  Com o avanço das redes sociais, vira e mexe me deparo com vídeos desse tipo. Fico me perguntando, o que leva as pessoas a ficarem divulgando esses  vídeos? Por que ao invés de filmar, não tentam separar a briga?
 
Infelizmente, alguns gostam de espetáculo. Gostam de  colocar  lenha na fogueira. Incentivam as pessoas agirem na emoção. No calor do momento. Fazendo justiça com as próprias mãos. O que acaba em cenas como essa no bairro Bela Vista.
 
Fazer justiça com as próprias mãos não é uma boa opção. Na grande maioria das vezes, acaba aumentando o problema. Cito como exemplo, o caso do jovem que cometeu um furto e teve a testa tatuada: sou bandido e vacilão. O  jovem acabou liberado pela justiça.  Já os tatuadores, responderam pelo crime de agressão e tortura.  Estão presos até hoje. Aí te pergunto: compensa fazer justiça com as próprias mãos?

Voltando ao caso do Bela Vista, não sei os motivos que levaram a mulher  se revoltar contra a outra,  mas ao optar pela  violência  ela acabou perdendo a razão. Praticando crime de agressão. Podendo responder por isso judicialmente.  Repito a pergunta que fiz anteriormente: compensa fazer justiça com as próprias mãos?
 
Não compensa fazer justiça com as próprias mãos. Afinal, é um passo para a barbárie. Será que é isso que queremos para Leopoldina? Para o Brasil? Vamos restaurar código de hamurabi: olho por olho, dente por dente?
 
Não é isso que queremos. A melhor solução para resolver os conflitos se encontra dentro do Estado: polícia (militar, civil, federal, delegacia da mulher...),  justiça (ministério púbico, defensoria pública...), prefeitura (conselho tutelar, secretaria de assistência social, ....)... diversos órgãos governamentais que têm como finalidade mediar conflitos. Preservando a segurança das pessoas envolvidas. Garantido o direito de defesa.    
 
Infelizmente, muitos estão optando em resolver os conflitos por conta própria. E isso tende a aumentar. Tendo em vista que, candidatos a presidente incentivam as pessoas a agirem dessa forma. Jogam o povo contra o Estado. Contra os direitos humanos. Ou seja, incentivam as pessoas a não terem direitos. Dessa forma, poderão agir como bem quiser.

Se não bastasse isso, prometem para o povo o porte de arma de fogo. De modo que a população resolva seus  conflitos por conta própria. Fazendo justiça com as próprias mãos.
 
Alerto para o risco que estamos correndo. Estamos caminhando para a barbárie. Armando o povo contra ele mesmo. Jogando uns contra os outros. O que fará com que a gente assista cada vez mais cenas violentas. Porém, com uso de arma de fogo. O que tende em acabar  em tragédias (mortes). 

Vamos querer que impere a barbárie em Leopoldina? 
 
 
 
 

 
 
Link
Relacionadas »
Comentários »