29/09/2014 às 08h14min - Atualizada em 29/09/2014 às 08h14min

Fim do mundo?

Virou rotina, quase todo domingo algum religioso bate na minha porta para falar sobre religião. E o discurso é o mesmo: Apocalipse. Trocando de canal na TV, passo por um programa religioso e o pastor tá falando do fim dos tempos. Sai na rua e assisto uma pregação em praça pública com os fieis falando que o mundo está acabando. Passo em frente a igreja e ouço gritos de que o fim está próximo. 

Logo vem na minha cabeça uma frase: Uma mentira contada mil vezes se transforma em verdade. 

Não acredito no fim do mundo, no Apocalipse. Como também não acredito na Gênises e a versão da criação do mundo. Ou seja, não acredito nem no início nem no fim. 

Antes de ser apedrejado ou crucificado, deixo claro que acredito em Deus. Não acredito na Bíblia., por se tratar de um livro escrito pelos homens. Não concordo com o início e o fim, mas tem algumas partes no meio que concordo, como o Novo Testamento. 

A Bíblia não é a dona da verdade. Pelo menos nos dias atuais, no passado até era. Tendo em vista que os textos bíblicos funcionava como se fosse uma constituição, definindo o que a sociedade deveria fazer, o que era proibido, as leis, as punições... . 

A Bíblia é composta por diversos textos, de diversas épocas, falando de diversas lideranças religiosas. Com diversos ensinamentos e pensamentos, que mudam de acordo com a evolução moral dos seres humanos. Uma hora diz que devemos apedrejar os pecadores, depois diz que devemos perdoá-los. 

Deixando de lado o Velho Testamento, falando do Novo testamento, por que os religiosos não estão pregando a Boa Nova? O amor, perdão, paz, fraternidade... Por que pregam as coisas negativas? Guerra, mortes, violência, brigas... Por que falam mais do Diabo do que de Cristo? Por que enaltecem o mal ao invés do bem? Por que pregam o fim do mundo? 

Sobre o Apocalipse, no sentido de que o mundo está pior, será mesmo que o mundo está pior? Se isso for verdade, podemos dizer que Cristo falhou. Afinal, como explicar que após sua vinda o mundo piorou?

Dessa forma, pergunto novamente: O mundo está pior? 

Ao afirmar que o mundo está pior, esses religiosos caem em contradição com aquilo que eles pregam. Acabam crucificando Cristo novamente. Como seus ensinamentos não servissem de nada.

Vale destacar que o cristianismo é a maior religião do mundo, presente em diversos lugares, pregando a Boa Nova há milênios e mesmo assim o mundo piorou? Como pode um mundo formado por maioria de cristãos está pior do que antes?

Quando fala que o mundo está pior, quer dizer que antigamente era melhor. Será que antigamente era melhor? Analisem a sociedade do passado, seus costumes, atos, guerras e compare com os os dias atuais. Será que não evoluímos? Regredimos? 

Vamos ser sinceros, o mundo não está pior. Muito menos vai acabar. Por que Deus iria acabar com o mundo? 

Vamos supor que Deus resolva mesmo voltar e recolher as pessoas de bens, deixando no mundo os maus. Nesse caso, ele dará a vitória ao mal, que controlará o mundo que Deus criou. Ou seja, o mal venceu o bem. Lúcifer conquistou o mundo criado por Deus, tendo o controle sobre algumas de suas criações. 

Dentro dessa visão, vamos analisar outra questão. Depois de dominar o mundo, o que fará Lúcifer e sua legião de demônios irã fazer? Claro, tentar dominar o Céu. Ou alguém acha que não terá mais confronto? Que cada um vai viver no seu mundo. Que no Céu as almas viveram tranquilamente. Que a briga entre o bem e o mal acabou. 

Vale destacar que a briga entre o bem e o mal, Deus e Lúcifer, surgiu justamente no céu. Em Ezequiel 28:12-15 relata a expulsão de Lúcifer, um anjo de Deus, que se rebela contra o Criador, levando com eles outros anjos. Os anjos caídos se transformaram em demônios e inimigos de Deus, começando uma batalha entre o bem e o mal. 

Como vimos, a briga iniciou no céu, não foi na Terra, no mundo. A Terra era o paraíso. O motivo da briga é justamente o ser humano. Lúcifer e os anjos caídos entendem que os seres humanos deveriam servir aos anjos e não os anjos servirem aos seres humanos. Lúcifer não concordava que seres inferiores tivessem privilégios e fossem mais importantes que os anjos. Dessa forma, se rebelam contra Deus para ter o controle sobre os seres humanos. Serem adorados. 

Inicia uma disputa entre Deus e Lúcifer em busca de almas. Disputa entre o bem e o mal. A respeito do bem e o mal, destaco que um depende do outro. Principalmente o bem, que só vai existir a partir do mal. Sem o mal o bem não existe. O bem é o contrário do mal. Podemos dizer que o mal é o criador do bem. Tem um ditado que diz: a males que vem para o bem. Eu digo que todo mal vem para o bem. 

Voltando para a questão do fim do mundo, será mesmo que Deus permitirá que o mal vença o bem? Deixar que Lúcifer controle a mundo? Deus vai desistir do mundo? 

Recentemente, morreu Eduardo Campos, candidato a presidente da República, o qual acredito que esteja no céu. Um dia antes de morrer, participou de um debate na TV e suas últimas palavras foram: Não vamos desistir o Brasil. Pego emprestado as palavras de Eduardo Campos e digo: Não vamos desistir do mundo. 

Se alguém bater na sua casa e dizer que o mundo está pior e que vai acabar, diga a essa pessoa que você acredita em Deus, no perdão, no amor, na paz e que tudo isso é capaz de melhorar o mundo. Diz que acredita em Cristo e seus ensinamentos e que Ele não morreu em vão. 

A respeito da vinda de Cristo ao mundo, há quem defenda que Cristo morreu por nós. Essa visão é devido a cultura do sacrifício, onde havia um velho costume de sacrificar um animal. Os pecadores alcançavam o perdão dos pecados através do sacrífico expiatório. no caso, de um cordeiro (cabra,bode, ovelha) esse sem mácula (marcas), em adoração a Deus para perdoar os pecados. Daí o termo, bode expiatório. 

Esse costume vem desde Adão e Eva, onde um animal foi sacrificado para servir de vestimentas para os seres humanos, escondendo o pecado. Passando pela Páscoa, comemorando a libertação do povo do Egito. Até a vinda de Cristo, que se transformando em Cordeiro, sendo sacrificado para tirar o pecado. Daí a expressão Cordeiro de Deus que tirai o pecado do mundo. 

Assim como não concordo com a Gênise e o Apocalipse, também não concordo com essa visão de que Cristo morreu por nós. Que deveria ser sacrificado. No meu entendimento, Cristo não morreu por nos, mas sim viveu por nós . Afinal, sua vida é mais importante que sua morte. 

Claro que a maneira que Ele foi morto, cruelmente, acabou ganhando destaque. Mas vale lembrar que Cristo nasceu como homem, dessa forma, morreria como homem, crucificado ou não. Ele poderia ter morrido de outra forma: apedrejado, envenenado, motivos de doença , de velhice... nem por isso deixaria de ser o que foi. Afinal, o importante são seus ensinamentos em vida. 

Deixando a morte de Cristo de lado, devemos lembrar de sua vida. Como ele viveu, seus ensinamentos, seu comportamento perante aos pecadores, suas parábolas... . Devemos falar da Boa Nova, das coisas boas. E não das coisas ruins. 

Por um mundo melhor, devemos acabar com o fim do mundo

Paulo Lucio Fernandes da Silva
CDD Leopoldina/MG
Matrícula 8957432-0

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »