15/02/2021 às 12h45min - Atualizada em 15/02/2021 às 12h45min

OVNIS NAVEGANDO SOBRE MINAS GERAIS – 26/07/1972 –

Ilustração: Luciano Baía Meneghite
Fui presenteado com o livro de crônicas Revolução de 1930, escrito por Milton Pimentel Bittencourt, primeiro gerente da agência Banco do Brasil em Leopoldina e posteriormente transferido para o Banco Central do Brasil, este, quando da sua fase de estruturação naqueles anos de 1960.

Lendo o livro, deparo, na página 19, com a crônica BH foi sobrevoada por objetos estranhos, onde o autor relata sobre o conteúdo da reportagem de capa do jornal Estado de Minas, de  27/07/1972, tratando dos avistamentos de OVNIs que “assustaram” mineiros de BH e  região, bem como de outras regiões,  na noite anterior, dia 26/07/1972.

Naqueles “Anos de Chumbo”, durante o governo do ditador-presidente Emílio Garrastazu Médici, tudo era censurado e o Sr. Milton Bittencourt explana muito bem tal status quo brasileiro, no decorrer do texto, na página 20.

Na página 21, o autor, em 2011, cita uma pessoa e registra... “E agora, 39 anos depois, alguém levanta o braço e grita: Menino, eu vi”.

Pois é, hoje, 2020, 48 anos após o evento, digo: “Menino, também vi!!!”

Empossado no Banco do Brasil há sete meses e residindo em Resplendor; 20 horas (+ -) encerram-se as tarefas bancárias internas daquela quarta feira 26/julho/1972; eu e outros colegas saímos do banco e fomos “encerrar” o dia no Bar do Cláudio (Morgado), que ficava em frente à república onde residíamos.

Num determinado momento logo após chegarmos ao bar, Cláudio, em companhia da sua noiva, Regina, me chama para ir até a rua ver o que estava “passando pelo céu”.

Chego à rua; olhamos para o céu e vemos luzes como se fossem formação de uma esquadrilha aérea; num total de, creio, onze pontos luminosos; semelhante a uma seta; uma luz mais intensa “capitaneando” as demais; estas, emparelhadas duas a duas; formando algo assim:

                                                       O        OOOO
                                    O       
O         OOOO

Lembro-me de, no dia seguinte, haver lido a notícia no Estado de Minas; ido até o Cláudio para comentar sobre o que avistáramos... e, 48 anos depois, durante a leitura do livro do Sr. Milton, ser instado reviver tal momento e assunto: avistamento de OVNIs.

Em outras duas ocasiões voltei a ver “luzes”, desta feita em 1994, na estrada BH/Governador Valadares; à noite; primeiro, próximo à CENIBRA, em Belo Oriente; “luzes” de cores diversas e alternadas despertaram atenção do meu filho, que me alertou para um “helicóptero” (sem ruídos) passando por sobre nosso carro; e, depois, já na Rio-Bahia, saída de Valadares para Teófilo Otoni, eis que as mesmas “luzes”, piscando alternadamente, apareceram às nossas vistas, a uns quatrocentos metros, no ar, para, logo depois, num vaptvupt, sumirem.

... E você, caro leitor, se já viu algo semelhante, saiba que não está sozinho e exclame:

Menino, eu também já vi!!!

Edson Gomes Santos, em 26/07/2020


 
 
 
 
 
 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »