18/03/2021 às 17h41min - Atualizada em 18/03/2021 às 17h41min

Leopoldina perde Juracy Barbosa Furtado

Nelson Vieira Filho – Dr. Nelsinho
Álbum de família.
Mesmo depois de aposentada há anos, Juracy Barbosa Furtado, de tão querida, continuou a ser chamada minha diretora pelas mestras e demais auxiliares do Grupo Escolar Botelho Reis, onde, por longos anos, com invejável eficiência, exerceu o espinhoso cargo de diretora.

Viúva do gaúcho Antônio Furtado, de apelido Barão por sua semelhança física com o Barão de Rio Branco, teve duas filhas, Maria Clara, que a antecedeu no céu, e Maria Regina, mãe de Felipe, que com ela reside nos Estados Unidos da América.  

Mãe adorada pelas filhas e unanimemente pelos amigos delas, deixou seu nome na história de Leopoldina.

“Jura”, como a chamavam os mais íntimos, era a alegria personificada, animando qualquer ambiente festivo aonde chegasse.

Solidária ao extremo, sua presença confortava todos que estivessem precisando de uma palavra amiga.

Viveu bem, longamente, até que, aos 91 anos de idade, Deus, no dia 16.03.2021, a levou de nosso convívio.

Ativa participante de eventos sociais em Leopoldina, foi atuante no Lions Clube e no comando da barraca de Portugal na Feira da Paz, além de se destacar em outras atividades comunitárias, com destaque especial a promoção, durante anos, da Festa do Leopoldinense Ausente, realizada no Clube do Moinho, onde homenageava pessoas nascidas aqui e que moravam há anos em outras cidades.

Nela sempre se encaixou o dizer “fazer o bem sem olhar a quem” e, com ênfase, a frase “se todos fossem iguais a você, que maravilha viver”, escrita pelo compositor Antônio Carlos Jobim. 

À Maria Regina, filha que lhe sobrevive, ao neto Felipe e aos demais familiares, nossos sinceríssimos sentimentos.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »