15/05/2021 às 10h06min - Atualizada em 15/05/2021 às 10h06min

PRIMEIRO DIA DE AULA NA USP SÃO FRANCISCO

Edson Gomes Santos
A Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, é uma das mais conceituadas e bem referidas do Brasil, e de lá sempre emergem novas ideias e formas de despertar seus novéis alunos para a importância do Direito na vida de cada um dos cidadãos.

O texto que ora transcrevo foi-me enviado por um grande amigo, porém não consegui identificar quem foi o Autor, para que lhe seja dado o devido e merecido crédito.

Primeiro dia de aula, o professor de “Introdução ao Direito” entrou na sala e a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:

- Qual é o seu nome?    Chamo-me Nelson, senhor.

- Saia da minha aula e não volte nunca mais!     – gritou o desagradável professor. 

Nelson estava desconcertado. 

Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala.

Todos estavam assustados e indignados, porém ninguém falou nada.

- Agora sim!  - vamos começar.

- Para que servem as leis?  Perguntou o professor.

Seguiam assustados os alunos, porém, pouco a pouco começaram a responder à pergunta:

- Para que haja uma ordem em nossa sociedade.

- Não!  - responde o professor.

- Para cumpri-las.

- Não!

- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.

- Não!

- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?

- Para que haja justiça – falou timidamente uma garota.

- Até que enfim!  É isso, para que haja justiça. E agora, para que serve a justiça?

Todos começaram a ficar incomodados pela atitude tão grosseira, mas seguiam respondendo:

- Para salvaguardar os direitos humanos...

- Bem, que mais?  - perguntava o professor.

- Para diferenciar o certo do errado, para premiar quem faz o bem...

- OK, não está mal, porém respondam a esta pergunta:

“Agi corretamente ao expulsar Nelson da sala de aula?”

Todos ficaram calados, ninguém respondia.

- Quero uma resposta decidida e unânime!

- Não!  - responderam todos a uma só voz.

- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?

- Sim!

- E por que ninguém fez nada a respeito?  Para que temos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos vocês!  Não voltem a ficar calados, nunca mais! 

Vou buscar o Nelson – disse.  Afinal ele é o professor, eu sou aluno de outro período.
 
Aprenda: Quando não defendemos nossos direitos, perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.

O povo é forte, juntos somos mais do que eles, [e] pagar a conta do que eles fazem é demais.

Sei que quase ninguém leu, mas serve para o que estamos passando hoje na política do Brasil.

Precisamos tomar as rédeas do nosso País.

Estamos à deriva, jogados, sem ninguém por nós

FAÇA COM QUE A INDIGNAÇÃO DE TODOS CESSE.

 E QUE COMECE JÁ A “INDIGNA...AÇÃO” DOS USURPADORES DO NOSSO PAÍS!

 
                                                                                                                             Autor não Identificado
 
Este texto foi-me enviado após o golpe de 2016 quando Temer tomou posse como presidente e a cada dia que passa, até hoje, o texto continua a mostrar a triste e caótica realidade vivida pelo Brasil, afetando negativamente a cada um de nós, brasileiros.
 
                                                                                                          Edson Gomes Santos, 14/05/2021
 
 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »