22/05/2021 às 12h43min - Atualizada em 22/05/2021 às 12h43min

REVISTAS, JORNAIS & JORNALEIROS – Leopoldina-MG - Anos 1950/60 –

Edson Gomes Santos
Fotomontagem: Luciano Baía Meneghite
Ah!!!... Dá saudades da banca do Chico Calábria, naqueles tempos idos, ante a profusão de revistas e jornais lá em exibição; ainda me lembro da banca do Chico – creio que a primeira - numa estreita e pequena loja, situada entre o Bar Lamarca e Casa Barateira; do Chico Calábria & Irmãos portando grandes sacolas nos ombros, carregadas com revistas e jornais, percorrendo as ruas da cidade realizando vendas “diretas” que, hoje, seriam delivery? 

Cheque al portatore!!!  anunciava Chico, estimulando a venda de loterias federal e mineira.

Os jornais do Rio eram os que “mandavam” no mercado local: Correio da Manhã, O Jornal, Tribuna da Imprensa, Jornal dos Sports (impresso em papel-jornal cor de rosa), Jornal do Brasil, O Dia, A Notícia, Luta Democrática, A Noite, Última Hora, dentre outros.

As revistas semanais O Cruzeiro, Manchete, Fatos e Fotos, dominavam o mercado da leitura focada nos acontecimentos semanais, nacionais e internacionais, aliados a histórias e reportagens sequenciadas em “capítulos”, além de vasta comunicação visual através de fotografias vinculadas aos assuntos diversos em pauta.

As revistas infantis como Pato Donald, Brasinha, Os Flintstones, Zé Carioca, Luluzinha, Gato Felix, Manda Chuva, Os Sobrinhos do Capitão, faziam a alegria da garotada.

Para o imaginário dos adolescentes havia os gibis de faroeste Rocky Lane, Don Chicote, Zorro, Roy Rogers, Gene Autry, Red Ryder, Durango Kid, Cisco Kid, Flecha Ligeira, além de outros títulos como Superman, Batman, Mandrake, X-9, Spirit, Capitão Marvel, Fantasma, Tarzan, Capitão América, Flash Gordon, Nick Holmes, etc.

O público feminino era contemplado com publicações e fotonovelas como Grande Hotel, Contigo, Capricho, Cláudia, Querida, Encanto, etc.

Todos e todas fãs dos artistas do rádio que desejassem “saber das últimas” dos seus ídolos, dispunham, semanalmente, das informações e fotos sobre eles nas publicações Revista do Rádio e Radiolândia.

Minha mãe, Jacyra, era semanalmente presenteada por meu pai, Eduardo, com ambas publicações, porém a preferida dela era a Radiolândia, cuidadosamente co-le-ci-o-na-das e guardadas num local especial durante muitos e muitos anos.

Havia uma revista em quadrinhos sobre os grandes vultos da história como Simon Bolívar, Ghandi, Abraham Lincoln, Heirinch Hertz, etc., dirigida ao público juvenil em diante, cujos exemplares, na minha casa, eram adquiridos, lidos, cuidadosa e egoisticamente guardados por meu irmão Eduardo e as leituras eram “furtadas & curtidas” quando das ausências dele.

Até poucos anos atrás eu mantive o hábito de, diariamente, adquirir exemplar de jornal impresso, tal era meu “vínculo”, ainda que não necessariamente fosse lê-lo... vício(!?).

Após eu encaminhar a crônica Agnaldo Timóteo – Em 3 momentos a um amigo, este relatou-me sobre ocorrido com ele – quando foi jornaleiro - e Agnaldo Timóteo, assunto-tema da próxima crônica.
                                                                                                                               AGUARDEM!!!      
Edson Gomes Santos, Divinópolis, 27/04/2021     
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »