21/09/2021 às 08h51min - Atualizada em 21/09/2021 às 08h51min

Vocação para a Educação II

Dora Stephan (*)
Sede da APAE na praça Professor Botelho Reis (Foto: Luciano Baía Meneghite)
Há poucos dias, publiquei neste mesmo jornal o artigo “Vocação para a Educação”, contendo as informações das quais dispunha sobre o expressivo número de escolas e faculdades instaladas em Leopoldina, sugerindo que na Educação pode estar a vocação da cidade para a retomada de seu desenvolvimento, o que depende, fundamentalmente, de vontade política. Hoje retomo o assunto, sobretudo para complementar o texto anterior com informações que me foram passadas pelo proprietário deste veículo de comunicação, Luiz Otávio Meneghite.

No artigo anterior, referi-me à faculdade de odontologia que aqui existiu e na qual teria se formado o avô de meu saudoso marido Luiz Antônio Costa Moreira, o “Seu” Pedro Costa, o qual exerceu a profissão por um tempo no Rio de Janeiro e depois na cidade mineira de Guarani. Eu desconhecia o fato de que a faculdade funcionou aqui por um curto período no início do século XX, no prédio do antigo Ginásio Leopoldinense (fundado em 1906), atual Escola Estadual Professor Botelho Reis. Na mesma ocasião e local, também funcionou aqui uma faculdade de Farmácia.

Cá com meus botões, imagino que “Seu” Pedro Costa pode ter se tornado um dentista pelo fato de ter havido uma faculdade mais próxima de sua cidade natal. Não fosse isso, talvez tivesse que optar por outro ofício. E dizem que era excelente dentista. Não o conheci, apenas sua esposa Abigail, irmã de Dona Belinha, que tinha uma chácara na Coreia, bairro onde moro. Minha sogra, Dona Maria Costa Moreira, hoje com 104 anos completados no último dia 27, nasceu em Leopoldina e o resguardo de sua mãe foi na famosa chácara de sua tia. Coincidência – ou não -, quando nos instalamos aqui, pois passei no concurso da UEMG para professora efetiva na área de Ciências Sociais e vim para cá lecionar, fui morar exatamente na rua Amanda Fonseca, onde ficava a propriedade da “tia” Belinha, cujo pomar até hoje habita a memória dos “coreanos leopoldinenses”, os quais não se envergonham de dizer que roubavam frutas de lá.   Coisas da vida essas coincidências...!!!

Após essa digressão de cunho pessoal, retomo aqui o tema central deste artigo que hora escrevo. Não por omissão, mas por temer que o artigo anterior ficasse grande demais, deixei de citar uma importante instituição de ensino instalada aqui há 40 anos: a APAE -Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. Lá funciona a Escola Especial São Tarcísio, a qual oferece Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Vale registrar que a Educação Especial é uma área organizada para atender específica e exclusivamente alunos com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e com altas habilidades, com vistas à formação para o exercício da cidadania e à evolução do aluno. Além de promover a Educação Inclusiva no município, a APAE possui uma equipe multidisciplinar, composta por pedagogos, professores, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, médicos, assistente social e nutricionista. A instituição oferece atendimento a 330 famílias de Leopoldina e região, assegurando-lhes, além da Educação, serviços nas áreas de Saúde e Assistência Social, de forma a garantir os direitos de pessoas com deficiência.

Assim como no artigo anterior, depreendemos que Leopoldina possui uma vocação para Educação que vem de longa data, o que deve ser motivo de orgulho para seus cidadãos, sobretudo em um momento em que esta área é alvo de constantes ataques e desvalorização, até mesmo por parte de alguns representantes do poder público. É mister lembrar que a cidade possui também instituições voltadas para a Cultura. Mas isso é tema para ser explorado em um outro artigo específico.

Finalizo este artigo homenageando o nosso patrono da Educação, Paulo Freire, que no último dia 19 completaria 100 anos: “Se a educação sozinha não transforma o mundo, sem ela tampouco a sociedade muda”.

(*) Jornalista, Professora e Vice-diretora da UEMG/Unidade Leopoldina
 
 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »