05/01/2015 às 08h21min - Atualizada em 05/01/2015 às 08h21min

Bons ventos em 2015

Com calma e elegância cada um de nós possa mergulhar cada vez mais fundo e retornar à superfície mais confiante nos outros e em si mesmo. Que os verbos dar, receber e retribuir guiem nossos horizontes, deixando atrás de nós uma esteira de paz. E que o tempo, esse cuidadoso alfaiate, nos permita, singularmente, alargar as medidas do impossível, especialmente na educação, saúde e segurança pública.
 
Vamos querer e requerer, partir e repartir, ter e conter, para melhor conviver. Seguir buscando - talvez este seja o ofício do poeta; guardar a palavra e aguardar a Providência. Sabemos que são longas todas as estradas que conduzem para um desejo do coração, logo, aproveitemos toda luz e estejamos preparados para tudo aquilo que vem com a noite. Como lembram os audazes bombeiros da Polícia Militar “devemos tornar as coisas simples e seguras”.
 
A rigor, tendemos repetir com novas expressões os ensinamentos registrados na abertura do Salmos: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite. Pois será como a árvore plantada junto as correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará.”
 
Enfim, que nossas vidas possam imitar as árvores, ou seja, ter beleza e utilidade. Peregrinemos com fé, entusiasmo, conhecimento e confiantes na generosidade e graça dos homens e mulheres de boa vontade. Talvez, uma das boas lições que aprendemos é que em momentos de turbulência, ventos fortes ou condições adversas o mais indicado seja seguir as regras básicas. Creio que para nosso cotidiano o mesmo critério seja válido. Continuemos caminhando juntos, tentando pescar a claridade da vida que pulsa. E a vida, como o romance; é a arte de ceder sem se entregar. Em 2015, tenhamos forças para continuarmos desviando águas para o moinho de nossos sonhos.
 
Ronilson de Souza Luiz, capitão da Polícia Militar, doutor em educação pela PUC-SP e docente na OAB-ESA. ([email protected])

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »