17/02/2015 às 14h27min - Atualizada em 17/02/2015 às 14h27min

Crise Hídrica: A Catástrofe anunciada

Realizando o meu hobbie, a leitura de diversos jornais e assistindo programas telejornalísticos, de debates de variados temas e sobre o meio ambiente, fico sabendo que os estudiosos dizem que a crise hídrica que afeta o país já havia sido anunciada há cerca de 12 anos atrás.

Há 12 anos atrás especialistas já alertavam  que a água seria algo escasso para as pessoas.A maior parte dos recursos hídricos no Brasil são utilizados no meio rural, para a irrigação das lavouras, canteiros de hortaliças e outras atividades ligadas ao plantio, outra parte seria utilizada no meio industrial para a produção de bens de consumo e o restante utilizado por nós. Ao longo desses 12 anos as ações governamentais no sentido de criar mecanismos para amenizar  futuras crises hídricas não foram realizadas. O Governo Federal, junto com os Governos Estaduais e Municipais poderiam ter pensado em projetos que visassem a melhor conscientização sobre a utilização da água,  construído mais estações de tratamento de esgoto e a preservação das nascentes dos rios. Além disso, poderia ter construído usinas de tratamento de água salgada, sendo estas responsáveis por tirar o sal da água e distribuir água potável a população em momentos de seca e incentivos fiscais para compra de equipamentos para reutilização da água das chuvas e outros. O fato importante a ser considerado relativos a falta de água é que poderia causar problemas na produção de energia elétrica.

Os problemas energéticos também poderiam ser solucionados. O Brasil é um país que venta muito, principalmente no litoral, poderia ter sido construído pequenos parques de energia eólica, com aerogeradores de energia, a energia de ondas, já em funcionamento em Fortaleza e outras diversas fontes enérgicas renováveis como, por exemplo, a energia de Biomassa e outras.

Porém os Governos não se organizaram para que isso acontecesse, e o fato é que já iniciou o racionamento de água em diversas cidades, aumento de impostos relativos a energia, aumento do preço dos alimentos e produtos manufaturados e tardiamente as campanhas de conscientização.

A contribuição da população nesse período é fundamental e realizada com cautela e responsabilidade. Desligar a torneira no momento de escovação dos dentes, tomar banho em menos tempo, sendo o banho tomado no modo onde a pessoa liga a água para se molhar, desliga o chuveiro para ensaboar e depois liga para tirar o sabão do corpo, reaproveitar á água da chuva. Ao reaproveitar a água da chuva deve tomar cuidado com 2 grandes problemas: O primeiro problema é com relação ao mal armazenamento da água, pois poderá gerar a dengue, a febre chikungunya, doença esta muito parecida com os sintomas da dengue e o segundo problema, é que muitas pessoas tem comprado diversas caixas d’água para armazenar  as águas da chuvas, e colocado na laje das casas,que alguns engenheiros tem dito que dependendo da estrutura da casa, a mesma pode não agüentar o peso adquirido e vir a dar problemas como rachaduras e até mesmo a demolição do imóveis, colocar borrachas para diminuir a vazão de água das torneiras. No campo deveria utilizar o sistema de irrigação por gotejamento,em vez do mais utilizado hoje no Brasil,que é o de aspersão e as industrias devem reaproveitar o esgoto produzido por ela, para utilizá-lo novamente no meio produtivo.

No caso da energia elétrica, há um fato interessante que segundo o Ministério de Minas e Energia o horário de pico de energia que antigamente ocorria entre as 18h e 21h, agora mudou para entre as 14h e 17h.E a economia de energia pode ocorrer como a troca das lâmpadas incandescentes para lâmpadas fluorescentes ou de LED, desligar aparelhos da tomada e deixar apenas aparelhos que precisam ficar ligados, como por exemplo, a geladeira.

Se todos nós nos empenharmos para a diminuição dos efeitos relativo a crise hídrica fazendo a economia de água e de energia, vamos passar esse período critico de maneira tranqüila. 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »