08/05/2015 às 20h44min - Atualizada em 08/05/2015 às 20h44min

A LEI PARA BENEFÍCIO DE QUEM?

Esta semana, o projeto de lei 4.148 foi votado e aprovado na Câmara dos Deputados e já partiu a caminho do Senado. Esta lei diz respeito à rotulagem dos alimentos que possuem em sua composição produtos transgênicos. A proposta retira das embalagens o triângulo amarelo com a letra T maiúscula em preto no seu interior, símbolo da existência de produto transgênico nos alimentos tanto de seres humanos quanto de animais e em seu lugar mantém-se o termo “produto transgênico”ou “possui produto transgênico”.

Os alimentos transgênicos existentes no mercado são derivados de plantas geneticamente modificadas. Significa que as plantas não foram produzidas da forma convencional mas com a introdução de material genético de outros seres vivos como bactérias e vírus. Mas, a discussão sobe alimentos transgênicos começa na base, ou na população. A grande maioria não sabe o que significa um alimento transgênico e a quase totalidade não faz ideia do significado da letra T no interior do triângulo amarelo que vem estampado na embalagem. Abaixo do triângulo existe a citação do produto transgênico presente no alimento, mas é praticamente imperceptível devido ao seu reduzido tamanho.

A população aprendeu, a duras penas, a verificar a data de validade com a ajuda das campanhas dos governos e da imprensa, mas infelizmente não foi orientada a identificar a presença de produtos transgênicos.

Os alimentos transgênicos que estão atualmente no mercado foram exaustivamente estudados mostrando que não são prejudiciais a saúde do homem, por isto sendo liberados pelos órgãos oficiais. Mas, considerando que não conhecemos os resultados destes alimentos em nosso organismo a longo prazo, temos o direito de saber o que estamos consumindo e de escolher adquirir um produto transgênico ou não.  A retirada do símbolo de transgênico das embalagens dos alimentos significa um grande retrocesso na lei que vigora desde 2005 e que até hoje não foi assimilada pela grande maioria da população brasileira. O congresso deveria estar trabalhando para melhorar o nível de conhecimento dos brasileiros sobre os transgênicos, com mídias explicativas e de esclarecimento, deixando a cargo de cada cidadão o livre arbítrio de escolher o que irá consumir.

Se com o símbolo dos transgênicos a informação passava sem ser percebida, imaginem sem ele. O Deputado autor do projeto alega que o símbolo apresenta aspecto agressivo, passando a ideia de um alimento que contem substancias toxicas. Mas a quem interessa a retirada do símbolo das embalagens, prejudicando ainda mais a identificação dos alimentos? O Brasil tem a segunda maior área de plantio do planeta com alimentos transgênicos, perdendo apenas para os Estados Unidos. São cerca de 40 milhões de hectares cultivados com soja, milho e algodão que tem um grande peso na balança comercial brasileira e para milhares de industriais brasileiras de processamento de alimentos.

Devemos relembrar que os alimentos que estão no mercado são seguros não causando danos a saúde, mas  a decisão de adquirir ou não este produto deve ser do consumidor.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »