28/05/2015 às 11h01min - Atualizada em 28/05/2015 às 11h01min

“Ô ABRE ALAS PARA A PASSAGEM DAS MARCHINHAS CARNAVALESCAS”

A compositora Chiquinha Gonzaga

Este artigo inicia-se com uma pergunta intrigante : Existe o carnaval , porque existem as marchinhas ou existem as marchinhas , porque existe carnaval  ?  A nossa constatação é que elas são insubstituíveis e ainda nos garantem a sobrevivência dos nossos carnavais .  É com esta certeza  que dedicamos um espaço especial  no CANTINHO MUSICAL para uma viagem nas asas das músicas que permanecem inalteradas em nossas mentes  .

         A  música urbana , reconhecida como o gênero mais autêntico carioca , surgiu da necessidade de um ritmo para a desordem do carnaval , porque , mal saído do entrudo , não levava em conta a música, mas a brincadeira grossa de molhar os passantes com seringas d’água, daí a expressão  “ Blocos de Sujo  “ .  Com seus cotejos cadenciados , foram os ranchos que instituíram um mínimo de disciplina  em meio ao caos do carnaval . É bom salientar   que , mesmo  criada por uma maestrina da classe média ,  a brilhante Chiquinha Gonzaga ,no ano de 1899 ,  a MARCHA teria que esperar pelo menos vinte anos  , para se vulgarizar  numa espantosa ascensão social , deixando de ser exclusivamente de negros  para admitir uma mestiçagem de músicos  que transformam , em melodia simples e ritmo acelerado , as marchinhas e , consequentemente ,  exercendo uma grande atração nas pessoas e resultando , originariamente , em  uma verdadeira orquestra ambulante .

 

      Ô  ABRE  ALAS  pode não ser a canção mais tocada nos carnavais , mas é a pioneira do que viria a ser um gênero musical. CHIQUINHA GONZAGA compôs  especialmente para animar o cordão “ Rosa de Ouro “. Naquele momento estariam  abertas as portas para outros compositores criarem novas  MARCHINHAS CARNAVALESCAS .   [    “  /  Ô  abre alas , / Que eu quero passar  (2X)/  Eu sou da Lira , / Não posso negar  (2X) / Rosa de Ouro é quem vai ganhar  (2X) .  /   ]  .    Não seguindo, necessariamente , uma cronologia nas criações das MARCHINHAS , desfilaremos as que “ infernizaram “ nossos carnavais  e se perpetuaram com seus cantos e ritmos no  “ Reinado de Momo  “ .  

    No  bar São José , em Copacabana , havia um dos garçons cujo nome era José que tinha um cabelo grande, o que não era comum na época , chamando a atenção das mocinhas e da namorada de João Roberto Kelly. Enciumado com a parceira , para  fazer troça com o garçom , KELLY  e ROBERTO FAISSAL  compuseram a música “  CABELEIRA DO ZEZÉ “ , grande sucesso nos bailes de carnaval .  [  “  / Olha a cabeleira do Zezé / Será que ele é / Será que ele é / Será que ele é bossa nova / Será que ele é Maomé / Parece que é transviado / Mas isso eu não sei se ele é / Corta o cabelo dele ! / Corta o cabelo dele ! “  ]  . Kelly, em parceria com o apresentador de programa de auditório Chacrinha ,  criou  “  MARIA SAPATÃO  “  . [  “  / Maria sapatão / Sapatão , sapatão / De dia é Maria / De noite é João . “ ]. Homenageando a primeira mulher negra a concorrer ao título de Miss Brasil , Kelly , ao vê-la desfilando na passarela ,ficou extasiado diante da beleza e da elegância da moça cor de jambo  , compondo  a marchinha  “  MULATA  Iê Iê Iê  “ . [  “ /  Mulata bossa nova / Caiu no hully gully / E só dá ela / ÊI êi êi êi êi êi êi êi /  Na passarela / A boneca está / Cheia de fiufiu / Esnobando as loura / E as morenas do Brasil . “ ] .Ainda há  inúmeros sucessos de João Roberto Kelly , mas vamos abrir espaço para outros compositores . Desfilaremos agora o exponencial das marchinhas carnavalescas  Carlos Alberto Ferreira Braga , mais conhecido como  “ BRAGUINHA “  e  “  JOÃO DE BARRO “. Um ponto forte de suas temáticas é a exaltação às mulheres em relação às suas etnias.  “   A  MULATA  É  A  TAL  “   [   “ /  Branca é branca preta é preta / Mas a mulata é a tal , é a tal (bis) / Quando ela passa todo mundo grita: / Eu tô aí nessa  marmita / Quando ela bole com os seus quadris / Eu bato palmas e peço bis / O mulata cor de canela / Salve , salve , salve, salve  ela  “.  ] . “  LINDA  LOURINHA  “  [  “ / Lourinha , lourinha / Dos olhos claros de cristal / Desta vez em vez da moreninha / Tu serás rainha do meu carnaval / .......” ] . A versatilidade temática de BRAGUINHA  foi o sustentáculo de nossos carnavais . “  PIRATA DA PERNA DE PAU “  [  “ / Eu sou o pirata da perna de pau / Do olho de vidro da cara de mau / .......”  ] . “ YES , NÓS TEMOS BANANA “  [ “ Yes, nós temos banana/ Banana pra dar e vender / Banana , menina, tem vitamina / Banana engorda e faz crescer / ........”] “VAI COM JEITO VAI “   [ Vai com jeito vai / Senão um dia a casa cai / ....... “  ]  BANANEIRA NÃO DÁ LARANJA  [  / Bananeira não dá laranja / Coqueiro não  dá caju / A menina que é direita não dá canja / Só você dá muita sopa Marilu .... / ]  . E finalizando , compôs uma marcha rancho em parceria com outro baluarte da MPB  Noel Rosa“  AS  PASTORINHAS “  [  “ /  A estrela d’alva  / No céu desponta / E a lua anda tonta / Com tamanho esplendor  / E as pastorinhas  / Pra consolo da lua / Vão cantando na rua / Lindos versos  de amor  / ........] .  No baú das pérolas de Braguinha , ainda estão depositadas  muitas jóias  que animaram o “  Reinado de Momo  “ .  JARARACA  E VICENTE PAIVA  compuseram uma  marchinha expressiva  para o carnaval :  “ MAMÃE  EU  QUERO  “ que , quatro anos depois de ser lançada , fez sucesso na voz de Carmem Miranda .  [  “ / Mamãe , eu quero , / Mamãe,eu quero.../ Mamãe , eu quero mamar ! / Dá a chupeta, / Dá a chupeta , / Dá a chupeta / Pro bebê não chorar  /........ ] . Mirabeau Pinheiro e seus parceiros  Lúcio de Castro e Heber  Lobato dedicam aos “ bebuns “ do carnaval  um ciclo temático sobre aguardente    :  “  CACHAÇA  “  [  “Você pensa que cachaça é água / Cachaça não é água não / Cachaça vem do alambique / E água vem do ribeirão / .......” ] . Mirabeau cria ainda com os parceiros  M de Oliveira e Urgel de Castro, aproveitando a época da bebedeira , a marchinha  “  TURMA DO FUNIL  “  [  “ /Chegou a turma do funil / Todo mundo bebe / Mas ninguém dorme no ponto  há , há , há ,há  / Mas ninguém dorme no ponto/ Nós é que bebemos  / E eles que ficam tontos.........] “ .  Em 1958 , o Secretário de Estado  dos EUA , John Foster Dulles, veio ao Brasil para tratar da situação do petróleo brasileiro com o Presidente  Juscelino Kubitschek.  Durante a reunião , um fotógrafo do “ Jornal do Brasil  “ fez uma foto e publicou-a  no momento em que  JK aparece estendendo a mão , dando a impressão de que suplicava algo ao secretário que parece abrir a carteira para pegar dinheiro. Motivados pelo relato , o trio Ivan , Homero e Glauco compuseram  “  ME  DÁ  UM  DINHEIRO  AÍ  “ , marchinha cantada .suavemente , na voz de Moacir Franco. [  “  /  Ei , você aí , me dá um dinheiro aí / Me dá um dinheiro aí / Não  vai dar / Não vai dar não / Você vai ver  a grande confusão / Eu vou beber / Beber até cair / Me dá , me dá , me dá / Me dá um dinheiro aí ! “ ] . LAMARTINE  BABO  , considerado  “ Rei das Marchinhas “  , entrou para a história com as músicas simples que animaram os carnavais por vários anos  . Com Noel Rosa compôs uma animada marcha que fez um sucesso estrondoso  sendo considerada um hino do carnaval carioca :  “  TEU  CABELO  NÃO  NEGA  “  [  “ / O teu cabelo não nega , mulata / Porque és mulata na cor / Mas como a cor não pega , mulata / Mulata , eu quero teu amor / Tens um sabor bem do Brasil / Tens a alma cor de anil / Mulata , mulatinha , meu amor / Fui nomeado teu tenente interventor / .......” ] . Ainda com foco no tema mulher , compôs  “  LINDA MORENA  “  [  “ / Linda morena , morena / Morena que me faz penar / A lua cheia que tanto brilha / Não brilha tanto como teu olhar / ....... “ ] . Lamartine ainda  contribuiu com muitas  marchas para o carnaval :  “ Ride  Palhaço “  , “ A.E.I.O.U. “  e outros sucessos .  HAROLDO LOBO , embora não tenha uma produção quantitativa , contribuiu  com canções de muita qualidade   que renderam diversos sucessos , entre eles  , em parceria com Milton de Oliveira“  ÍNDIO   QUER  APITO  “  [  “ /  Ê . ê , ê , ê , ê  /  Índio quer apito / Se não der  / Pau vai comer / Lá no bananal mulher de branco / Levou pra índio colar esquisito / Índio viu presente mais bonito / Mim não quer colar / Índio quer apito /. “   Com  Nássara , Haroldo criou a marcha  “  ALLAH-LA-Ô  “ [ “ / Allah-la-ô  ô, ô, ô, ô, ô, ô, / Mas que calor ô, ô, ô, ô, ô, ô, / Atravessamos o deserto de Saara / O sol estava quente, queimou a nossa cara / Viemos do Egito / E muitas vezes nós tivemos que rezar / Allah , Allah , Allah , meu bom Allah , / Mande água pra Iôiô / Mande água pra IáIá / Allah , meu bom Allah ! / “ ] .  Agora com Benedito Lacerda e Carvalhinho , a marchinha   “   ACHO-TE UMA GRAÇA  “ . [ “  / Chora , palhaço / Chora que passa / Pimenta nos olhos dos outros  é refresco / Acho-te uma graça / Querias fazer eu sofrer / E até ver a minha desgraça / Mas é que eu não durmo com os olhos dos outros / Acho-te uma graça . / “ ] .  ZÉ DA ZILDA  - ZILDA DO ZÉ  e  Waldir Machado  compuseram  “  SACA- ROLHA .  [  “ / As águas vão rolar / Garrafa cheia eu não quero ver sobrar / Eu passo a mão na saca , saca, saca rolha / E bebo até  me afogar / Deixa as águas rolar /....... “ ] . ANTONIO ALMEIDA   e  OLDEMAR   MAGALHÃES  , parceria que fez surgir uma marcha  sucesso nos salões , interpretada por Emilinha Borba e ainda é o preferido canto das torcidas no Maracanã  e em outros estádios :  “  MARCHA  DO  REMADOR  “ .   [  “  /  Se a canoa não virar / Olê , olê , olá , / Eu chego lá  ( bis ) / Rema , rema , rema , remador / Quero ver depressa meu amor / Se eu chegar depois do  sol raiar / Ela bota outro em meu lugar  / “ ] .   Em 1957 , CAREQUINHA , o palhaço da época  e intérprete carnavalesco , cantou uma das mais famosas marchinhas de carnaval , composta por LUIZ  GUSTAVO  chamada  “   FANZOCA  DE  RÁDIO   “ .   [  “ / Ela é fã da Emilinha / Não sai do Cesar de Alencar / Grita o nome do Cauby / E depois de desmaiar / Pega   a revista  do rádio / E começa a se abanar / É uma faixa aqui , outra faixa ali / O dia inteirinho ela na faz nada / Enquanto isso na minha casa / Ninguém arranja  uma empregada . “  ]  .   ROBERTO  ROBERTI   e  outros parceiros  compuseram   “  NÓS , OS  CARECAS  “.  [  “  / Nós , nós os carecas / Com as mulheres somos maiorais / Pois na hora do aperto / É dos carecas que elas gostam mais / ......  “  ] .  De  ROMEU GENTIL  a marchinha  “   TOMARA  QUE  CHOVA   “ ,  interpretada por Emilinha  Borba .  [  “  / Tomara que chova / Três dias sem parar / (2X) /  A minha grande mágoa / É lá em casa não ter água / E eu preciso me lavar ....... / . “   ] . EMILINHA BORBA ainda gravou outro grande sucesso   carnavalesco :   “   PÓ  DE  MICO  “ [  “/ Vem cá , seu guarda / Bota pra fora esse moço  / Que está no salão brincando / Com pó de mico no bolso .(bis)/ Foi  ele  foi ele sim / Foi ele quem  jogou  o pó em mim / . “ ]  ARY BARROSO criou , despretensiosamente , para um concurso de músicas carnavalescas , a marchinha  “ DÁ  NELA  ! “ , saindo-se vitorioso . [  “ / Essa mulher há muito tempo me provoca / Dá nela ! Dá nela ! / É perigosa , fala mais que pata choca  / Dá nela ! Dá nela !  .  BENEDITO LACERDA  e  HUMBERTO PORTO , com interpretação magnífica de  Orlando  Silva , compuseram   “  JARDINEIRA  “ .  [  “  /  Ó  jardineira  por que estás   tão triste /  Mas o que foi que te aconteceu  / Foi a camélia que caiu do galho / Deu dois suspiros e depois morreu / Vem , jardineira  , vem , meu amor / Não fiques triste  que esse mundo é todo  seu / Tu és muito mais bonita / Que a camélia que morreu . / “ ] . Encerrando este desfile para os adeptos que trazem os ritmos carnavalescos na lembrança , apresentaremos uma composição que se tornou um ícone nas aberturas  e fechamentos das BATALHAS DE CONFETES   e que hoje constitui   o HINO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO , composição de ANDRÉ  FILHO  :   “  CIDADE  MARAVILHOSA  “ .  [  “ /  Cidade maravilhosa  / Cheia de encantos mil / Cidade maravilhosa / Coração do meu Brasil /(bis) . Berço do samba e de lindas canções / Que vivem n’alma da gente / És o altar de nossos corações / Que cantam alegremente / ... / Cidade maravilhosa ................./  Jardim florido de amor e saudade / Terra que a todos seduz / Que Deus te cubra de felicidade / Ninho de sonho e de luz  . “  ] . 

      As marchinhas  já foram conhecidas como as caricaturas da sociedade brasileira : as letras são maliciosas e divertidas , têm um humor escrachado e retratam os costumes e a história do país. Não existe  tema proibido, as frases de duplo sentido  são bem-vindas e qualquer tema  sério se transforma em uma grande brincadeira . Fixadas na memória dos foliões , antes do carnaval já eram divulgadas através das rádios em programas de auditório e apresentadas  , com antecedência  , nos lançamentos  das Indústrias Cinematográficas Brasileiras através das CHANCHADAS  BRASILEIRAS .

       O que nos impressiona  nas MARCHINHAS CARNAVALESCAS  é a sua sobrevivência nos meios musicais . Os sucessos de um ano  eram repetidos  subsequentemente    nos carnavais  e até hoje embalam  várias festas pelo país . Alegra-nos também  constatar que , de uns tempos para cá , têm ressurgido BLOCOS CARNAVALESCOS   desfilando pelas ruas das cidades com gigantesca  concentração de foliões , sendo impulsionados  pelos ritmos acelerados das mesmas marchinhas  que , com um sentimento saudosista , fizeram-nos  extravasar toda  satisfação de viver com muita alegria , cantando suas letras e entoando a melodia na  “  FESTA DE MOMO  “.

        Lamentamos  mais uma vez , não aproveitar  a relíquia imensa desse gênero maravilhoso  da MPB , entretanto  conseguimos espremer  no CANTINHO MUSICAL  as pérolas mais luzentes que aquelas não citadas .

  A  FELICIDADE  E ALEGRIA QUE O  POVO  BRASILEIRO  TRAZ NA ALMA TÊM UMA  DÍVIDA ETERNA  COM AQUELES QUE COMPUSERAM  AS        

 “MARCHINHAS  CARNAVALESCAS”

 

 

Waldemar  Pedro  Antonio                   

 E-mail :       wpantonio@terra.com.br                

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »