30/05/2015 às 19h39min - Atualizada em 30/05/2015 às 19h39min

Crise do consumo!

Crise do consumo!

Paulo Lucio – Carteirinho

O modelo capitalista ainda não superou a crise mundial, que afetou todos os países. Entre eles o Brasil, que a princípio se saiu bem da crise, sendo apenas uma marolinha. Agora, ondas mais fortes acertam nossa economia, que passa por um período de recessão e queda.

Somado a crise mundial tivemos problemas climáticos. Enfrentamos a pior seca da nossa história. O que afetou diretamente a nossa economia. Tendo com consequências  a diminuição da produção e de empregos. Muitas empresas tiveram que investir no reaproveitamento das águas e resíduos, aumentando os custos. Com isso, os preços dos produtos  subiram. Aumentando a inflação.

A crise  mundial e climática vem sendo superadas. O grande problema nosso hoje é interno: o baixo consumo. O que eu defino como a crise do consumo.

A crise do consumo é fruto do endividamento do povo brasileiro nos últimos anos. Para entendermos melhor a crise atual temos que voltar no passado, no governo Lula, que mudou o hábito do povo brasileiro.

Antes do governo Lula, imperava a fome, a má distribuição de renda e a exclusão da classe trabalhadora e pobre na economia. As famílias dos trabalhadores não tinham acesso à casa própria, veículos, faculdade, compras, viagens, ... . Isso era um privilégio de uma minoria.

Lula e o PT mudaram isso. Através de várias políticas públicas inseriram a classe trabalhadora e as mais pobres na economia. Cito como exemplo o Bolsa Família, que tirou o Brasil do mapa da fome, ao mesmo tempo ajudou  na economia. Quem não tinha dinheiro algum passou a ter uma renda. Vale destacar que pobre não guarda dinheiro, ele gasta. Os investimentos no Bolsa Família foram parar na economia, principalmente nos pequenos e médios comerciantes. Fomentando o comércio local: quitandas, mercadinhos, padarias, armazéns... . Foram bilhões injetados no comércio, o que melhorou a economia. Gerando mais emprego e a distribuição de renda.

Outra medida importante foram os financiamentos. Através da Caixa Econômica, Banco do Brasil e BNDES o Governo Federal incentivou o consumo de bens valiosos. Como a tão sonhada casa própria. Através do Minha Casa Minha Vida (1 e 2 ) milhões de brasileiros saíram do aluguel. E o governo foi além, criando o Minha Casa Melhor. Financiamento para as pessoas mobiliarem as casas.

Outro mercado que teve em alta foi o de automóveis, tendo em vistas as facilidades. Na verdade, já existiam as mesmas facilidades há tempos, porém imperava o medo. As pessoas ficavam receosas em entrar num financiamento, tendo em vista as incertezas na economia. Mas isso mudou no governo Lula, que  passou confiança e otimismo ao povo e ao mercado.  Como no caso da época de crise mundial, onde todos diziam ser um tsunami , enquanto Lula dizia que seria uma marolinha. E  foi.

O otimismo do presidente passou confiança ao povo e no mercado, conseguindo manter a economia. Lula e o PT mudaram os hábitos dos brasileiros. Falo por experiência própria, tendo em vista que sou carteiro e estou em contato com o povo diretamente, tanto em casas luxuosas como  simples. Não vejo muita diferença no interior das casas. A classe baixa possui  quase que os mesmos produtos que a classe média e alta, sendo a diferença a questão de marcas. Hoje o pobre tem televisão tela plana, computador, impressora, DVD, notebook, freezer, carro, moto, viajam de avião.... . Como diz a elite: aeroporto virou rodoviária. Esse é pra mim o grande legado do PT.

Mas nem tudo que reluz é ouro. O incentivo ao consumo foi bom a princípio, hoje sentimos os males provocados por ele. Afinal, o povo brasileiro ficou endividado. Com isso, parou de consumir, deixando a economia em recessão. O que é normal, já que nossa economia é voltada para o consumo. Quando não se consumo ou se consume pouco temos crise.

Vou citar o meu caso. No governo Lula eu adquirir um carro e estou cursando a faculdade. Além de pagar empréstimo, cartão de crédito e outras dívidas (água, luz, internet, celular...) Estou vivendo basicamente para pagar dívidas. Isso foi uma escolha minha. Meu consumo hoje é mínimo. Será assim enquanto eu não acabar de pagar a faculdade e o empréstimo, que já estão no final. Ano que vem acabam. Aí voltarei a consumir mais. Dessa vez mais consciente (rsrs).

O meu caso é o mesmo que de milhares de brasileiros, que se endividaram. Quem comprou uma casa própria, um veículo ou está cursando a faculdade está pagando por isso. Sendo dividas longas e que pesam no orçamento. Com isso estão tendo que econoizar. Ou seja, milhares de  brasileiros estão  gastando menos. O que faz com que a economia tenha queda. 

Mas isso é passageiro, tendo em vista que os financiamentos vão diminuindo com o passar dos anos. Destaco também a política de aumento de salários, o que permite novos consumos.

Apesar dos problemas, essa crise tem um lado bom. Ao mesmo tempo que aumenta alguns produtos, outros abaixam. É o efeito montanha russa. É o caso da casa própria, onde o mercado valorizou demais, ocorrendo a especulação imobiliária. Os imóveis ficaram valorizados e hoje já inicia uma queda, principalmente depois de algumas mudanças na forma de financiamento, que ficaram mais difíceis. Com isso, os donos dos imóveis estão tendo que rever os preços, o que é bom para os consumidores, que vão pagar um preço acessível e não um especulativo.

Essa crise é passageira. Não culpo o atual governo. Pelo contrário, o governo Dilma fez de tudo para diminuir os efeitos da crise. Segurou até onde foi possível o aumento da gasolina, água, luz, impostos ... . Na verdade, foi também uma tática política visando ganhar as eleições.

Iniciou  o novo governo tomando  várias medidas  visando recuperar a economia. Que vão desde cortes no orçamento à  regulação de benefícios, que continuam garantidos, porém mudaram algumas regras.

Os números ainda são desfavoráveis, mesmo assim, continua um padrão de vida melhor do que no passado. Continuamos combatendo a fome e a pobreza. Além de investimentos em infraestruturas. Em breve teremos a inauguração do programa Minha Casa Minha Vida 3. Além da continuidade nas obras da Transposição do Rio São Francisco, da Usina de Belo Monte, Ferrovia Norte Sul, Transamazônica.... o que colocará o Brasil num novo patamar.

 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »