10/03/2016 às 15h49min - Atualizada em 10/03/2016 às 15h49min

Se Um Sambista É Bom, Dois São Demais: Elton Medeiros e Nei Lopes

         Consciente de que se tratava de duas  figuras  exponenciais no mundo do  samba , O  CANTINHO  MUSICAL  fez  a  junção destes dois sambistas  para demonstra  os seus relicários de belas e poéticas canções responsáveis pelo  enriquecimento  da nossa  MÚSICA  POPUPAR  BRASILEIRA .  Primeiramente  , desfilaremos algumas criações de   ELTON  MEDEIROS e , posteriormente , demonstraremos  lindos sambas associados às  temáticas profundas  de nossas raízes  deste maravilhoso compositor   NEI  LOPES .

        Com toda sua discrição e elegância  , ELTON  MEDEIROS  é respeitado no meio musical , especialmente , entre os sambistas . Nascido no bairro da Glória  , no Rio de Janeiro , começou cedo a manusear um lápis para exteriorizar suas belas criações  expressadas  em lindas canções . Suas composições embelezam-se muito mais  nas vozes de grandes intérpretes do nosso cancioneiro .  Compôs várias canções em parceria com  Cartola , Paulinho da Viola , Zé Ketti , Candeia , Hermínio Bello de Carvalho e outros baluartes do samba . ELTON tem um dom crítico aguçado para o que considera qualidade em música , colocando o samba como movimento de resistência cultural.              Desfilaremos a partir de agora algumas de suas joias musicais . Foi parceiro de Cartola em alguns clássicos da MPB .

Nesta canção , apresenta um retrato de quem  sofre de solidão , tomado por uma enorme saudade , deixando-se envolver pela bebida como forma de escape do sofrimento :  “  PEITO  VAZIO  “

[ “ /  Nada consigo fazer / Quando a saudade aperta / Foge-me a inspiração / Sinto a alma deserta / Um vazio se faz em meu peito / E de fato eu sinto em meu peito / Um vazio / Me faltando as tuas carícias / As noites são longas / E eu sinto mais frio / Procuro afogar no álcool / A tua lembrança / Mas noto que é ridícula / A minha vingança / Vou seguir os conselhos de amigos / E garanto que não beberei / Nunca mais / E com o tempo esta imensa saudade / Que sinto / Se esvai / . “ ]  .




Ainda   em parceria  com   Cartola , compôs  uma canção que expressa na simplicidade poética uma nova maneira de viver com alegria , na certeza de que    “  O  SOL  NASCERÁ  “  . 

[ “ / A  Sorrir  / Eu pretendo levar a vida / Pois chorando / Eu vi a mocidade / Perdida / (BIS) /  Fim da tempestade / O sol nascerá / Fim desta saudade / Hei de ter outro alguém para amar / A  sorrir / Eu pretendo levar a vida / Pois chorando / Eu via a  mocidade / Perdida /. “  ] .






Agora com muita maestria , compôs  com  PAULINHO  DA  VIOLA  um samba que versa sobre a felicidade na chegada de uma nova emoção amorosa em seu coração , expulsando totalmente a dor que ali habitou por muito tempo , tornando-se um lugar maravilhoso   “   ONDE  A  DOR  NÃO  TEM  RAZÃO   “ .  

[ “ / Canto / Pra dizer que no meu coração / Já não mais se agitam as ondas de uma paixão / Ele não é mais abrigo de amores perdidos / É um lago mais tranqüilo / Onde a dor não tem razão / Nele a semente de um novo amor nasceu / Livre de todo rancor ,em flores se abriu / Venho reabrir as janelas da vida / E cantar como jamais cantei / Esta felicidade ainda / Quem esperou , como eu , por um novo carinho / E viveu tão sozinho  / Tem que agradecer / Quando consegue do peito tirar um espinho / É que a velha esperança / Já não pode morrer / . “ ]  . 



Ainda formando uma dupla de ouro com PAULINHO DA VIOLA  ,  Elton , em uma bela manifestação poética ,  demonstra , em cada verso , a consciência da pessoa que perde um amor e não perde a esperança de voltar a amar  na certeza de que tudo um dia vai                    “   RECOMEÇAR  “  

[ “ /  Recomeçar do que restou de uma paixão / Voltar de novo à mesma dor sem razão / Guardar no peito a mágoa sem reclamar / Acreditar no sol da nova manhã / Dizer adeus e renunciar / Vestir a capa de cobrir solidão / Para poder chorar / Somente o tempo faz a gente lembrar / Do sofrimento que não quis perdoar /  E todo mal reprimido / Pode afinal nos deixar / A vida tem seu renascer de uma dor / Toda ferida um dia tem que fechar / E quem secou esse prato / Pode novamente amar / . “  ]  .   



Com  Hermínio Bello de Carvalho  , criou um dos mais belos poemas de nossa música  , onde há uma linda abordagem com a sensação da chegada de um novo amor , flutuando na musicalidade da poesia , expresso em um simples   “  PRESSENTIMENTO  “  .

[ “ / Ai ! Ardido  peito /  Quem irá entender o teu segredo ? / Quem irá pousar no teu destino ? / E depois morrer de teu amor? / Ai ! Mas quem dirá ? / Me pergunto a toda hora / E a resposta é o silêncio / Que atravessa a madrugada / Vem , meu novo amor , / Vou deixar a casa aberta / Já escuto os teus passos / Procurando o meu abrigo / Vem , que o sol raiou / Os jardins estão florido / Tudo faz pressentimento / Que este é o tempo ansiado / De se ter felicidade / . “ ]  .      



Em uma  composição com  ZÉ  KETTI ,  manifesta , poeticamente ,  a   efemeridade do amor de carnaval  , resultado  de uma transformação na quarta-feira de cinzas , quando a verdadeira afeição amorosa se  esvai , porque a visão do amor carnavalesco  não mais se  configura   “   MASCARADA  “ . 

[ “ /  Vejo agora esse teu lindo olhar / Olhar que eu sonhei / E sonhei  conquistar / E que num dia afinal conquistei  enfim / Findou-se o carnaval / E só nos carnavais / Encontrava-me sem / Encontrar este teu lindo olhar , porque / O poeta era eu / Cujas rimas eram compostas / Na esperança de que / Tirasses essa máscara / Que sempre me fez mal / Mal que findou só / Depois do carnaval / Desengano deixei a dor em casa / Me esperando / E brinquei , e brinquei / E fui vestido de rei / E quarta-feira sempre desce o pano/ Carnaval desengano / Essa morena me deixou sem ano / Mão na mão , pé no chão / Hoje nem lembra não quarta-feira / Sempre desce o pano /Era só uma canção que desse vontade / De tomar a mão e de cada irmão pela cidade / O carnaval esperança / Que gente longe vem na lembrança / Gente triste possa entrar na dança / Gente grande saiba ser criança / O carnaval , o carnaval / (BIS) / “]  .


Diante de uma situação de  penúria  , inspira Elton Medeiros  a criar uma canção , lamentando a perda de bens materiais  e o abandono da mulher amada , mas com grande esperança no retorno da normalidade  :   “   MEU  SAPATO  JÁ  FUROU  “

[ “ / Meu sapato já furou / Minha roupa já rasgou / Eu não tenho onde morar , onde morar / Meu dinheiro acabou / Eu não sei pra onde vou / Como é que eu vou ficar , eu vou ficar / Eu não sei mais sorrir / Meu amor me abandonou / Sem motivo e sem razão / E pra melhorar minha situação / Eu fiz promessa pra São Luiz Durão / Quem me vê assim deve até pensar que eu cheguei ao fim / Mas quando a minha vida melhorar / Eu vou zombar de quem sorriu de mim /] .



Abriremos o espaço agora para um desfile especial da criação musical desse ilustre homem do samba e emérito conhecedor do folclore brasileiro,  NEI  LOPES  que acrescenta  enorme contribuição no enriquecimento de nosso cancioneiro , criando sambas que retratam verdadeiramente nossa tradição musical . Nei  Lopes é compositor e intérprete de música popular , escritor e estudioso das culturas africanas . Fiel à sua linha de raciocínio sobre valorizar , em suas canções , temas que retratam a tradição de nosso povo , criando em seus sambas o retrato de uma preservação cultural .

Demonstraremos algumas maravilhas de sua galeria musical.  Iniciaremos com um samba que retrata os hábitos do passado , informes legados de geração a geração através de  “   COISAS  DA  ANTIGA  “

[ “ / Na tina , vovó lavou , vovó lavou / A roupa que mamãe vestiu quando foi batizada / E mamãe quando era menina teve que passar , teve que passar / Muita fumaça e calor no ferro de engomar / Hoje mamãe me falou de vovó , só de vovó / Disse que no tempo dela era bem melhor / Mesmo agachada na tina e soprando no ferro de carvão / Tinha-se mais amizade e mais consideração /Disse que naquele tempo a palavra de um mero cidadão /Valia mais que hoje em dia que uma nota de milhão /Disse afinal que o que é de verdade /Ninguém mais hoje liga /Isso é coisa da antiga , oi na tina .../  { REFRÃO }/  Hoje o olhar de mamãe marejou , só marejou /Quando se lembrou do velho , o meu bisavô / Disse que ele foi escravo mas não se entregou à escravidão / Sempre vivia fugindo e arrumando confusão /Disse pra mim que essa história de meu bisavô , negro fujão / Devia servi de exemplo a esses nego pai João  /Disse afinal que o que é de verdade /Ninguém mais hoje liga/ Isso é coisa da antiga , oi na tina .../ { REFRÃO } / . “ ]  .

Em parceria com João Nogueira  , Nei  Lopes  compôs um samba de breque onde narra  toda uma trajetória  em ambiente de gafieira , descrevendo , com bastantes  detalhes , o que é  de verdade         “  BAILE  NO  ELITE  “ .  [ “ / Fui a um baile no Elite , atendendo a um convite / Do Manoel  Garçon ( meu Deus do céu que baile bom ! ) / Que coisa bacana , já do Campo de Santana / Ouvir o velho e bom som : trombone , sax e pistom / O traje era esporte que o calor estava forte / Mas eu fui de jaquetão , pra causar boa impressão / Naquele tempo era o requinte o  linho S- 120 /E eu não gostava de blusão ( é uma questão de opinião ! ) / Passei pela portaria , subi a velha escadaria /E penetrei no salão . Quase morri do coração / Quando dei de cara com a Orquestra Tabajara / E o popular Jamelão , cantando só samba-canção . /Norato e Norega , Macaxeira e Zé Bodega / Nas palhetas e metais ( e tinha outros muito mais )/ No clarinete o Severino tocava um choro tão divino / Desses que já não tem mais ( ele era ainda bem rapaz ! ) / Refeito dessa surpresa , me aboletei na mesa / Que eu tinha já reservado ( até paguei adiantado )/ Manoel , que é dos nossos , trouxe um pires de tremoços /Uma cerveja e um traçado ( pra eu não pegar um resfriado ) / Tomei minha Brahma , levantei , tirei a dama /E iniciei meu bailado ( no puladinho e no cruzado ) /Até Trajano e Mário Jorge que são caras que não fogem /Foram se embora humilhados ( Eu estava mesmo endiabrado )/ Quando o astro rei já raiava e a Tabajara caprichava /Seus acordes finais ( Para tristeza dos casais )/ Toquei a pequena , feito artista de cinema /Em cenas sentimentais ( à luz de um abajur lilás )/Num quarto sem forro , perto do pronto-socorro /Uma sirene me acordou ( em estado desesperador )/Me levantei , lavei o rosto , quase morto de desgosto / Pois foi um sonho e se acabou / ( O papo é pop e hip- hop / A Tabajara é muito cara / E o velho tempo já passou ! ) / .  “ ]  .

Na veludosa voz de Alcione , Nei Lopes  colocou uma bela canção exaltando liricamente o direito de amar e de sofrer por paixão , porque considera  “  GOSTOSO  VENENO  “ .    

[ “ / Este amor me envenena  / Mas todo amor sempre vale a pena / Desfalecer de prazer , morrer de dor / Tanto faz eu quero mais amor /  (BIS) / Água na fonte bebida na palma da mão / Rosa se abrindo , se despetalando no chão / Quem não viu  e nem  provou / Não viveu , nunca amou /Se a vida é curta e o mundo é  pequeno / Vou vivendo morrendo de amor , ai / Gostoso veneno / . “ ]   .





Uma característica expressa nas músicas de  Nei Lopes  é  levar  para a memória dos ouvintes o valor de  coisas da antiga e sempre comparando com o que se tem no presente . Isto está evidenciado no samba   “  GOIABADA  CASCÃO  “  .

[ “ / Goiabada cascão em caixa / É coisa fina , Sinhá , que ninguém mais acha / Rango de fogão de lenha na festa da Penha comido com a mão / Já não tem na praça , mas como era bom ! / Hoje só tem misto quente , só tem Milk-shaik , só tapeação . /Já não tem mais caixa de goiabada cascão / (BIS) / Samba de partido alto com a faca no prato e batendo na mão /Já não tem na praça , mas como era bom ! / Hoje só tem Popo-rock  , só tem hip-hop , só imitação / Já não tem mais caixa de goiabada cascão /Vida na casa de vila , correndo tranqüila sem perturbação / Já não tem na praça mas como era bom ! / Hoje só tem conjugado que é mais apertado do que barracão . / Já não tem mais caixa de goiabada cascão /. “ ]  .  


Condenado a um imenso sofrimento pela  paixão , a bela canção retrata , emocionalmente ,  uma dor lírico-amorosa  em  “   SENHORA  LIBERDADE  “ . 

[ “ / Abre as asas sobre mim / Oh! Senhora liberdade / Eu fui condenado / Sem  merecimento / Por um sentimento / Por uma paixão / Violenta emoção / Pois amar foi meu delito / Mas foi um sonho tão bonito / Hoje estou no fim , / Senhora liberdade , abre as asas sobre mim / ( 2 X ) / Não vou passar por inocente / Mas já sofri terrivelmente / Por caridade , oh  liberdade abre as asas  sobre mim  /     ( 2 X ) / . “ ]  .




Nos noventa anos da “ Abolição da Escravatura “ ,  Nei Lopes e Wilson Moreira  compuseram para  “Grêmio  Recreativo de Arte Negra e Escola de Samba Quilombo “ um samba  como resultado de minuciosa pesquisa  sobre a arte negra , retratando ,  historicamente  , uma referência  “  AO  POVO  EM  FORMA  DE  ARTE “ .

[ “ /  Quilombo pesquisou suas raízes / Nos momentos mais felizes / De uma raça singular , e veio / Pra mostrar esta pesquisa / Na ocasião precisa / Em forma de arte popular , a mais / A mais de quarenta mil anos atrás / A arte negra já resplandecia / Mais tarde a Etiópia milenar /Sua cultura até o Egito estendia / Daí o legendário mundo grego /A todo negro de etíope chamou /Depois vieram reinos suntuosos / De nível cultural superior / Que hoje são lembranças de um passado / Que a força da ambição exterminou / (BIS) / Em toda cultura nacional / Na arte , até mesmo na ciência / O modo africano de viver / Exerceu grande influência / O negro brasileiro / Apesar de tempos infelizes /Lutou , viveu , morreu e se integrou / Sem abandonar suas raízes / Por isso o Quilombo desfila /Devolvendo em seu estandarte /A história de suas origens / Ao povo em forma de arte / . “  ]  .

Em uma técnica linguística  de tradução da própria linguagem , Nei Lopes  elucida , ironicamente , uma questão política como resultado de um questionamento  sobre  “  FIDELIDADE  PARTIDÁRIA  “ . 

[ “ / Minha tia-avó Rosária , partideira centenária / Perguntou pra mim : meu neto , / O que é fidelidade partidária ? /Pergunta assim tão sumária /Tem que ter a necessária resposta /E eu respondo certo o que é fidelidade partidária . / Por verde-amarelo na indumentária / (  É fidelidade partidária ... ) / Feijão com arroz na sua culinária / Ajudar quem tem situação precária / Não fazer acordo com a parte contrária / Nem demagogia com a classe operária / Gritar que tem gringo pintando na área / Gostar de partido igual tia Rosária / Isso é fidelidade partidária ... / Rejeitar propina na conta bancária / ( É fidelidade partidária ) / Não ter filial nem subsidiária / Amar a patroa mais que a secretária / Só fazer amor na sua faixa etária / Mas dar uma força para as celibatárias / Que tenham bons dentes na arcada dentária / Gostar de partido igual tia Rosária / Isso é fidelidade partidária ... / . “ ]  .

        A  opção  do  CANTINHO  MUSICAL  em  apresentar em um só artigo  uma dupla de compositores do nosso cancioneiro foi com a finalidade de  que nossos leitores tomassem  , em um  mesmo momento  ,    conhecimento  de dois ASES  do mundo do samba que não possuem  em seus letreiros a luminosidade famosa de outros compositores , embora sejam maravilhosos  nas construções de seus lindos e criativos sambas como demonstramos na formação deste artigo .  E  , orgulhosamente ,  afirmamos  que  ELTON  MEDEIROS  E  NEI  LOPES  fazem  parte de um importante apêndice cultural da nossa   MÚSICA  POPULAR  BRASILEIRA .
     
       “   QUANDO  LAMPEJAM  EM  NOSSAS  MENTES  POESIAS  AMPARADAS  E  ORNAMENTADAS  POR  MELODIA  ,  RITMO  E  HARMONIA  ,  NÃO  VENERAMOS  O  CRIADOR  MAS  SIM  A  CRIAÇÃO .   O   GRANDE  OBJETIVO  DE  NOSSAS  DIVULGAÇÕES  SOBRE  MÚSICA  POPULAR  BRASILEIRA  É  AGLUTINAR  ,  EM  UMA  MESMA  DIMENSÃO,   A  BELEZA  DA  OBRA  COM  A  COMPETÊNCIA  DE  NOSSOS  BELOS  COMPOSITORES ,  PORQUE  SÃO  ELES  QUE  EDIFICAM , ATRAVÉS  DE  SUAS  GRANDES  CRIAÇÕES  ,  O  NOSSO  CANCIONEIRO .  “
 
Waldemar  Pedro  Antonio
[email protected]

 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »