08/05/2016 às 15h52min - Atualizada em 08/05/2016 às 15h52min

Exaltação brasileiríssima a Ary Barroso

A ocupação deste espaço musical hoje expressa uma aquarela pintada em VERDE  e  AMARELO , uma vez que corriam , nas veias de  ARY DE RESENDE BARROSO , as  cores do  Brasil  brasileiro .

       Ary  Barroso nasceu em Ubá , município da zona da mata mineira , em 7 de novembro de 1903 . Aos 18 anos foi para o Rio de Janeiro , onde , iluminado pela sua criatividade , começou  despontar a vocação pela carreira artística, tocando piano em   cabaré ,  fazendo fundo musical para o cinema  mudo  e  , posteriormente ,  despertando seu interesse pelo  teatro musical.

     Ary foi apresentador no programa de calouros da Rádio Tupi , revelando nomes como : Dolores Duran , Elza Soares , Elizeth  Cardoso e outras expressões musicais do nosso cancioneiro . Além de conduzir o programa de auditório  , “ Calouros em Desfile “ , foi locutor esportivo com uma narração rubro-negra inconfundível e toda vez que o Flamengo marcava um gol, ele tocava uma gaitinha .

    Coroando sua galeria musical com realce luzente , “ AQUARELA  DO  BRASIL “ , hino nacional alternativo brasileiro , é  a verdadeira pintura ilustrada que demonstra , através das cores brasileira , uma musicalidade ,  exaltando nossa história , tradição  ,  miscigenação ,  folclore , devoção , enfim, todo um panorama cultural de nossa nação . O próprio Ary , em uma entrevista dada ao Diário de Notícias , disse :  “ De dentro de minha própria alma , extravasara um samba que há muito desejava , um samba que , em sonoridades brilhantes e fortes , desenhasse a grandeza , a exuberância da terra promissora , da gente boa , laboriosa e pacífica , povo que ama a terra em que nasceu  “  .A riqueza desse SAMBA – EXALTAÇÃO,  tendo sido gravado em vários idiomas , despertou , no mundo inteiro , um respeito e uma atenção especial  para a  MÚSICA  POPULAR BRASILEIRA :  “ AQUARELA  DO  BRASIL  “  .     [ “ Brasil ! / Meu Brasil brasileiro  /Meu mulato inzoneiro  /  Vou cantar-te nos meus versos / O Brasil samba que dá  / Bamboleio que faz gingá  /  Ó Brasil  do meu amor  / Terra de Nosso senhor /  Brasil ! / Brasil ! / Pra mim... / pra mim...  “/ Ô, abre a cortina do passado; / Tira a mãe preta do cerrado; / Bota o rei congo no congado. / Brasil!... Brasil!... / Deixa cantar de novo o trovador / À merencória à luz da lua / Toda canção do meu amor. / Quero ver essa Dona caminhando / Pelos salões, arrastando / O seu vestido rendado. / Brasil!... Brasil! Prá mim ... Prá mim!... / Brasil, terra boa e gostosa / Da moreninha sestrosa / De olhar indiferente. / O Brasil, verde que dá / Para o mundo admirar. / O Brasil do meu amor, / Terra de Nosso Senhor. / Brasil!... Brasil! Prá mim ... Prá mim!... /  Esse coqueiro que dá coco, / Onde eu amarro a minha rede / Nas noites claras de luar. / Ô! Estas fontes murmurantes / Onde eu mato a minha sede / E onde a lua vem brincar. / Ô! Esse Brasil lindo e trigueiro / É o meu Brasil Brasileiro, / Terra de samba e pandeiro. / Brasil!... Brasil ! / . “  ]  .

Em 1930 , viaja para a Bahia , lugar que o consagrou , fazendo brotar inspirações e criatividades para  belas  músicas :  “  NO TABULEIRO DA BAIANA “.  “ No tabuleiro da baiana tem : / Vatapá, oi, caruru , mungunzá tem umbu  / Pra Ioiô / Se eu pedir , você me dá o seu coração  / Seu amor de Iaiá ? No tabuleiro da baiana tem: / Sedução, cangerê, ilusão, candomblé / Prá você / Juro por Deus, pelo Senhor do Bonfim / Quero você, baianinha, inteirinha / Pra mim / E depois, o que será de nós dois  /  Seu amor é tão fugaz, enganador / Tudo já fiz, fui até num cangerê  / Pra ser feliz  / Meus trapinhos juntar com você / E depois vai ser mais uma ilusão  / No amor quem governa é o coração / . “  ]  .





Dando  continuidade à exaltação da Bahia , tema preferido por criação de várias canções , manifesta em versos seu amor a esse pedaço de terra do Brasil .   “. NA BAIXA DO SAPATEIRO  . [ “  / Na Baixa do Sapateiro eu encontrei um dia  / A morena mais frajola da Bahia / Pedi-lhe um beijo , não deu / Um abraço , sorriu / Pedi-lhe a mão , não quis dar , fugiu  / Bahia, terra da felicidade / Morena, eu ando louco de saudade / Meu Senhor do Bonfim / Arranje outra morena igualzinha pra mim / Oh! amor, ai / Amor bobagem que a gente não explica, ai, ai / Prova um bocadinho, ô / Fica envenenado, ô / E pro resto da vida é um tal de sofrer / Ôlará, ôleré / Ô Bahia / Bahia que não me sai do pensamento / Faço o meu lamento, ô / Na desesperança, ô / De encontrar nesse mundo / Um amor que eu perdi na Bahia, vou contar / Ô Bahia  / Bahia que não me sai do pensamento.../ . “  ]  . 




Ainda sutilmente referente ao povo da Bahia , descreve , em um linguajar local , os quitutes baianos e a beleza da mulher  em :  “ . OS QUINDINS DE IAIÁ   [ “  / Os quindins de Iaiá / Cumé , cumé , cumé ?  ( bis ) / Cumé que faz chorar / Os zoinho de Iaiá / Cumé , cumé , cumé ? (bis) /  Cumé que faz penar / O jeitão de Iaiá / Me dá, me dá / Uma dor / Me dá, me dá / Que não sei / Se é, se é / Se é ou não amor / Só sei que Iaiá tem umas coisas / Que as outras mulher não tem / O que é? / Os quindins de Iaiá / ( 3 X ) / Tem tanta coisa de valor / Nesse mundo de Nosso Senhor / Tem a flor da meia-noite / Escondida no terreiro / Tem música e beleza / Na voz do boiadeiro / A prata da lua cheia / No leque dos coqueiros / O sorriso das crianças / A toada dos vaqueiros / Mas juro por Virgem Maria / Que nada disso pode matar... / O quê? / Os quindins de Iaiá /. “ ]  .




E outras canções : “QUANDO EU PENSO NA BAHIA “,  “ IAIÁ DA BAHIA  “ . 












Ary compôs páginas maravilhosas  , tendo como tema a expressão lírica da separação  , da solidão , da dor , da saudade . “  NO RANCHO FUNDO  “ , composição em parceria com Lamartine Babo , manifesta a dor e a solidão do personagem  MORENO .  [ “ /  No Rancho Fundo / Bem pra lá do fim do mundo / Onde a dor e a saudade  / Contam coisas da cidade / No Rancho Fundo / De olhar triste e profundo / Um moreno canta as mágoas / Tendo os olhos rasos d’água... / Pobre moreno que de tarde no sereno / Espera a lua no terreiro / Tendo o cigarro por companheiro / Sem um aceno ele pega na viola  / E a lua por esmola                vem pro quintal deste moreno / No rancho fundo bem pra lá do fim do mundo / Nunca mais houve alegria / Nem de noite,nem de dia / Os arvoredos já não contam mais segredos / Que a última palmeira já morreu na cordilheira /  Os passarinhos enterraram-se nos ninhos / De tão triste essa tristeza enche de treva a natureza  / Tudo por que? Só    por causa do moreno / Que era grande, hoje é pequeno / Para uma casa de sapê / . “  ]  . 


O lamento de um descaso amoroso foi cantado e eternizado na voz maravilhosa de Jamelão , canção que expressa um sentimento de abandono em relação ao amor .  “ FOLHA MORTA “   [ “ /   Sei que falam de mim / Sei que zombam de mim / Oh , Deus ! / Como eu sou infeliz /  Vivo à margem da vida / Sem amparo ou guarida /  Oh , Deus ! / Como eu sou infeliz  / Já tive amores / Tive carinhos / Já tive sonhos / Os dissabores / Levaram minh'alma / Por caminhos tristonhos / Hoje sou folha morta / Que a corrente transporta / Oh, Deus!  / Como eu sou infeliz! / Infeliz! / Eu queria um minuto apenas / Pra mostrar minhas penas / Oh, Deus! / Como eu sou infeliz! / . “  ]  . 





A canção seguinte versa sobre o tema de uma separação amorosa e pedido de esquecimento dos momentos felizes que os amantes tiveram no  passado . Sucesso gravado na voz de grandes cantores , sendo consagrado , em 1953 , na voz de Linda Batista  :  “  RISQUE “   [ “ /  Risque meu nome do seu caderno / Já não suporto o inferno / Do nosso amor fracassado / Deixe que eu siga novos caminhos / Em busca de outros carinhos / Matemos nosso passado / Mas se algum dia, talvez / A  saudade apertar / Não se perturbe / Afogue a saudade / Nos copos de um bar / Creia / Toda quimera se esfuma / Como a beleza da espuma / Que se desmancha na areia / . “   ]   .   





Ary , em várias canções, exalta a beleza feminina com a preciosidade de sua composição ,expressando um tema em que a Natureza , humildemente , contempla e ornamenta a beleza da cabocla :  “ POR  CAUSA  DESTA  CABOCLA “   [  “ /   À tarde / Quando de volta da serra / Com os pés sujinhos de terra / Vem a cabocla passar / As flores vêm pra beira do caminho / Pra ver aquele jeitinho / Que ela tem de caminhar / E quando ela na rede adormece / E o seio moreno esquece / De na camisa ocultar / As rolas , as rolas também morenas / Cobrem-lhe o colo de pena / Pra ele se agasalhar /  Na noite / Dos seus cabelos, / Os grampos são feitos de pirilampos  / Que às estrelas querem chegar / E as águas dos rios / Que vão passando / Fitam seus olhos pensando / Que já chegaram ao mar / Com ela dorme toda a natureza / Emudece a correnteza / Fica o céu todo apagado / Somente com o nome dela na boca / Pensando nesta cabocla / Fica um caboclo acordado / . “  ] .  




Ary emoldura com lindas palavras líricas a imagem da amada em uma mescla de declaração amorosa com a beleza da mulher  , motivado pela a letra “ M “ em sua palma da mão“ .   “MARIA  “  [ “ /  Maria ! / O teu nome principia na palma da minha mão / E cabe bem direitinho / Dentro do meu coração , Maria , / Maria / De olhos claros cor do dia / Como de Nosso Senhor / Eu por vê-los tão de perto / Fiquei ceguinho de amor , Maria  / No dia, minha querida, em que juntinhos na vida / Nós dois nos quisermos bem  / A noite em nosso cantinho/ Hei de chamar-te baixinho  / Não hás de ouvir mais ninguém, Maria ! / Maria ! / Era o nome que dizia / Quando aprendi a falar / Da avozinha / Coitadinha  / Que não canso de chorar Maria / E quando eu morar contigo Tu hás de ver que perigo / Que isso vai ser, ai, meu Deus  / Vai nascer todos os dias uma porção de Marias  / De olhinhos da cor do teus, Maria ! Maria ! / . “ ]  .



Tendo como carro-chefe “ AQUARELA DO BRASIL “ , Ary tornou-se verdadeiro ícone do samba exaltação , apresentando o Brasil e a beleza  da Bahia como tema ,  interpretada , quase sempre , pela brilhante voz de Carmem Miranda. Desfilo aqui alguns sambas- exaltação :  “  ISTO  AQUI  O  QUE  É ? “ ( 1942 ) .  [ “ / Isto aqui , ô, ô / É um pouquinho de Brasil , Iaiá / Desse Brasil que canta e é feliz / Feliz , feliz  / É também um pouco de uma raça, / Que não tem medo de fumaça ai, ai, / E não se entrega não / Olha o jeito nas cadeiras que ela sabe dar, / Olha só o remelexo que ela sabe dar / Olha o jeito nas cadeiras que ela sabe dar, / Olha só o remelexo que ela sabe dar / Morena boa que me faz penar, / Põe a sandália de prata, / E vem pro samba sambar. / Morena boa que me faz penar, / Põe a sandália de prata, / E vem pro samba sambar / . “ ]  .




Em exaltação  Maravilhosa  à paisagem brasileira  , Ary transcreve minuciosamente a beleza natural do Brasil , retratando a paixão e o orgulho de ser brasileiro : “  ISTO  É  MEU  BRASIL “   [ “ /  Ô , nossas praias são tão claras /  Nossas flores são tão raras / Isto é meu Brasil  / Ô, nossas fontes, nossas ilhas e matas / Nossos montes, nossas lindas cascatas / Deus foi quem criou / Ô, ô / Ô, minha terra brasileira / Ouve esta canção ligeira / Que eu fiz quase louco de saudade , / Brasil , / Tange as cordas dos seus violões / E canta o teu canto de amor / Que vai fundo nos corações / . “  ]  .  Ary Barroso ainda compôs verdadeiras musicais como : “  TERRA  SECA  “  ( 1944 ) .    “ “ TERRA DE IAIÁ “, (1931) ;   “ NA BAIXA DO SAPATEIRO “  ( 1938 ) ;  “ BRASIL MORENO  “ ( 1941 ) ;  “ BAHIA  IMORTAL “ (1945) . Composições sobre carnaval sempre fascinaram Ary a criar canções de diversos temas .



Esta música que apresentaremos  foi feita pelo compositor sobre a ótica feminina , uma sequência épica , narrada por uma amada  à procura de seu amado nos cordões carnavalescos :  “  CAMISA  AMARELA “  .  [ “ /   Encontrei o meu pedaço na avenida / De camisa amarela / Cantando a Florisbela , oi , a Florisbela  / Convidei-o a voltar pra casa / Em minha companhia / Exibiu-me um sorriso de ironia / Desapareceu no turbilhão da galeria  / Não estava nada bom / O meu pedaço na verdade / Estava bem mamado / Bem chumbado, atravessado / Foi por aí cambaleando / Se acabando num cordão / Com o reco-reco na mão / Mais tarde o encontrei / Num café zurrapa / Do Largo da Lapa / Folião de raça / Tomando o quarto copo de cachaça / Isto não é chalaça / Voltou às sete horas da manhã / Mas só na quarta feira / Cantando A Jardineira, oi, A Jardineira / Me pediu ainda zonzo / Um copo d'água com bicarbonato / O meu pedaço estava ruim de fato / Pois caiu na cama / E não tirou nem o sapato / E roncou uma semana / Despertou mal humorado / Quis brigar comigo / Que perigo, mas não ligo! / O meu pedaço me domina / Me fascina, ele é o tal / Por isso não levo a mal / Pegou a camisa, a camisa amarela / E botou fogo nela / Gosto dele assim / Passada a brincadeira / E ele é pra mim / Meu Sinhô do Bonfim / . “  ]   .

   “   SALADA MISTA  “ : Ary ironiza , na marchinha de carnaval ,  o Pacto de Munique , que deu Tchecoslováquia a Hitler , acordo de França, Inglaterra , Itália e Alemanha .    “  Uma pitada de massa de tomate /  All right , all right  / E três gotinhas de molho inglês / OK, OK / Algumas gramas de petit-pois / François , François  / E ficou pronto o pirão do chanceler / Que papou de colher / Que papou de colher / Disse o francês: / Oui, oui, oui / Disse o inglês: / Yes, yes, / Quem não gostou foi o tchecoslovaco / Que deu o cavaco, que deu o cavaco / Italiano entrou, então na salada / E não sobrou nada / E não sobrou nada / . “  ]   .
           Ary Barroso foi , sem dúvida , o compositor popular que mais se identificou com os temas brasileiros . Criador de várias lindas canções deixa-nos um exemplo de amor à Pátria e incentivo para a nova geração construir estruturas musicais  pela  veia artística , pois somente assim a obra se tornará  universal e atemporal , como as relíquias deixadas por  ele .
     No dia 9 de fevereiro de 1964 ,em pleno domingo de  carnaval , quando a Escola de Samba Império Serrano desfilava , na Av. Presidente Vargas , no Rio de Janeiro, apresentando o enredo  “ Aquarela do Brasil “ , um dos títulos de  sua mais famosa composição , com o samba-enredo de gênero ensaístico, configurado na beleza das regiões brasileira e suas culturas, composto por Silas de Oliveira , morre Ary de Resende Barroso !

O mundo do samba se cala  em respeito  para ouvir o retrato de nosso país , entoado no canto dos componente da Império Serrano  :  “ Vejam esta maravilha de cenário / É um episódio relicário/ Que o artista num sonho genial / Escolheu para este carnaval /E o asfalto como passarela /Será a tela do Brasil em forma de aquarela / Passeando pelas cercanias do Amazonas / Conheci vários seringais / No Pará a ilha de Marajó / E a velha cabana do Timbó / Caminhando ainda um pouco mais /Deparei com lindos coqueirais / Estava no Ceará , terra de Irapuã , /  De Iracema e Tupã / Fiquei radiante de alegria / Quando cheguei à Bahia / Bahia de Castro Alves , do acarajé / Das noites de magia do candomblé /   Depois de atravessar as matas do Ipu / Assisti em Pernambuco / A festa do frevo e do maracatu. / Brasília tem o seu destaque / Na arte,na Beleza e arquitetura / Feitiço de garoa pela serra / São Paulo engrandece a nossa terra / Do leste por todo centro-oeste / Tudo é belo e tem lindo matiz / O Rio do samba e das batucadas / Dos malandros e mulatas / De requebros febris / Brasil, / Essas nossas verdes matas / Cachoeiras e cascatas / De colorido sutil / E este lindo céu azul de anil / Emolduram em aquarela o meu Brasil. / Lá...lá...lá... / Lá...lá...lá...lá...lá.../ . “  ]  .

    Ary Barroso teceu, em suas belas canções, um sentimento amoroso inigualável pelo Brasil ,  e o tributo ao mais expressivo compositor e divulgador da cultura brasileira não é mais que uma obrigação deste CANTINHO MUSICAL , por isso dedicamos , em poucas linhas,  uma homenagem à galeria  de canções maravilhosas de quem foi um verdadeiro guardião da  MÚSICA POPULAR BRASILEIRA !!!
  
 Waldemar Pedro Antonio                                               e-mail :     [email protected]
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »