29/07/2016 às 09h44min - Atualizada em 29/07/2016 às 09h44min

Mudando-se a mente, muda-se o estado da saúde

Quem vive com as sobrancelhas franzidas não consegue ser saudável

Certo dia, o dr Besho estava lendo um livro. Sem querer, olhou para o lado e viu na janela um homem com fisionomia muito desagradável fitando-o. "Sujeito insolente! De onde terá aparecido esse malvado?", pensou e olhou direito. Então, percebeu que era a sua própria imagem refletida no vidro da janela, como num espelho. O dr. Besho era uma pessoa de virtudes e, até então, praticara muitas ações benevolentes, mas não havia ninguém que lhe retribuísse com atos bondosos. Ele pensava, triste: "Este é um mundo triste, mundo sem amor". Porém, quando viu seu próprio rosto refletido na janela, percebeu: "Com uma fisionomia tão desagradável, é compreensível que ninguém se simpatize comigo".
                  Então, o dr. Besho mirou-se no espelho e estudou: "Onde, no meu rosto, causa tanto desagrado às pessoas?". Percebeu rugas verticaisentre as sobrancelhas. tentou esticá-las e aprovou o que viu no espelho: "Até que meu rosto não é de todo ruim". Autoconfiante, esforçou-se em manter esticadas as rugas entre as sobr ancelhas, mas, por força do hábito, sem perceber elas estavam de volta. Tentou usar  estratégias para impedí-las de se formarem. Como era um dia de verão, puxou a pele da testa para os lados e colocou um chapéu de palha na cabeça para manter a pele esticada, mas isso só durou algum tempo, logo voltando a se enrugar. Então, em vez  do chapéu, tentou segurar a pele esticada com uma faixa de tecido firmemente amarrada em torno da cabeça, mas, quando percebia, lá estavam as rugas.
                   "Que coisa! Como farei?", pensou, olhando ao redor. Sendo médico, encontrou um esparadrapo sobre sua mesa. Dizendo "É isto!", esticou a pele e fixou um pedaço de esparadrapo em cada têmpora. Assim, quando tentava franzir o sobrolho, os esparadrapos das têmporas repuxavam a pele, e ele logo voltava a desenrugar as sobrancelhas. Por fim, isso tornou-se hábito, e ele acabou conseguindo alisar as rugas entre as sobrancelhas. E ainda percebeu que  seu estômago estava completamente curado! Ele escreveu que não apenas se curou do problema gástrico, mas também a esposa sarou de histeria! O marido aplicou esparadrapos nas têmporas, e curou-se a histeria da esposa!
                       Por que isso aconteceu? Até então, o marido falava com a esposa com rugas verticais entre as sobrancelhas, e ela sentia como se estivesse sendo repreendida pelo marido a todo instante, assim era compreensível que vivesse histérica. Mas, agora, o marido se dirigia a ela com a fisionomia agradável, sem rugas entre as sobrancelhas, e, em consequência, serenou a mente da esposa, que acabou por ser curada da histeria.
                        O dr. Besho pensou: "Todo ser humano possui hábitos imperceptíveis. Se, só pelo fato de eu corrigir o hábito de franzir as sobrancelhas, minha doença gástrica e a histeria de minha mulher foram curadas, e nos tornamos tão saudáveis, como as pessoas seriam saudáveis e felizes se corrigissem seus maus hábitos!". E estudou sobre os hábitos das pessoas.
 
NÃO SE DEVE PROFERIR PALAVRAS ÁSPERAS
 
                         Outro hábito humano que o dr. Besho descobriu foi o das palavras, ou melhor, o tom de voz das pessoas quando falam com outras. Há pessoas que falam com tom de voz muito estridente, irritante. Elas próprias não percebem e acham que estão falando normalmente, mas o interlocutor sente como se estivesse levando uma reprimenda ou sendo agredido. Nesse caso, o outro não se sente bem, pois tem a impressão de estar sofrendo agressão. Quem usa tom de voz assim não é benquisto pelo interlocutor, e seus familiares tendem a viver adoentados.
                           O dr. Besho era uma pessoa discreta. De tão discreto, não pronunciava claramente as palavras até o fim, "engolindo" o final da frase, o que a tornava ininteligível. E a esposa que não conseguia entender o que o marido queria dizer, sem querer levantava a voz e indagava com estridência: "Como? O que disse?". O que, aos ouvidos do marido, soava como badalada estridente de um sino tocando ao seu lado.
 
                            E ele explodia pensando: "Eu falo de forma delicada, mas minha mulher responde com esse tom implicante, como um sino badalando no meu ouvido". E gritava com ela. A esposa, por sua vez, não percebia o próprio tom de voz estridente e ficava com o rosto amuado, pensando: "Não falei nada de mal, mas meu marido logo começa a gritar comigo". Assim o casal começava a brigar.
 
                             O dr. Besho percebeu que "as palavras devem ser pronunciadas de forma clara até o fim". Compreendeu, ao mesmo tempo, que o tom de voz ao falar deve ser brando. Ao pronunciar claramente as palavras, algumas delas tendem a soar fortes, duras. Para evitar que soassem ásperas, deveriam corrigir o hábito até então adquirido e pronunciar de forma clara, mas branda. Assim, um dia chamou a esposa e sugeriu: "Vamos mudar nosso modo de falar, pronunciando claramente as palavras, mas de forma branda". Desse dia em diante, o lar do dr. Besho tornou-se harmonioso e alegre.
 
NÃO SE DEVE MANTER POSTURA NEGATIVA, CURVADA PARA FRENTE 
 
                               Outro mau hábito que o dr. Besho descobriu foi a postura curvada para a frente que a maioria das pessoas tende a tomar. Mesmo sentados, devemos manter a postura ereta, com o peito inflado. Quando mantemos a postura curvada, encolhidos para a frente, a altura da parte anterior do tronco fica cerca de 30 cm menor do que quando o mantemos na postura ereta. Significando, portanto, que quem mantém apostura curvada está mantendo constantemente pressionados os órgãos internos nessa mesma medida. como estes  ficam sempre sob pressão, os órgãos como o estômago, os intestinos, o fígado, o pâncreas etc. não conseguem funcionar de maneira perfeita, prejudicando naturalmente a saúde. Portanto, é bom fazer  treinamentos para permanecer sempre com a postura correta.
                                 Depois que o dr. Besho descobriu os três maus hábitos humanos: 1) manter as sobrancelhas franzidas. 2) não pronunciar branda e claramente as palavras. 3) não manter a postura corporal correta;e passou a ensinar as pessoas a corrigí-los, essas pessoas passaram a se curar de várias doenças. 
                                  Quem possui sentimento de amor ao próximo, vive com a mente natural, não se preocupa em manter a aparência, não costuma ficar com as sobrancelhas franzidas, mantém a postura correta e a mente tranquila, sempre sorridente, torna-se saudável.
 
                    DO LIVRO: INEXISTÊNCIA DA DOENÇA  1 ed, pp,24-28
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »