10/06/2014 às 09h59min - Atualizada em 10/06/2014 às 09h59min

AUTODESTRUIÇÃO?

AUTODESTRUIÇÃO?

Autor

Gosto de assistir os programas de Tv que falam sobre as peculiaridades do meio ambiente. Os elefantes e o comportamento de consideração e respeito com o membro da manada que morre; as hienas com suas babás que cuidam dos filhotes de toda a matilha e devoram suas presas ainda vivas, os leões com seu comportamento extremamente machista onde as fêmeas caçam para alimentar os machos e diversos outros animais e seus mais diversos comportamentos. O reino vegetal também apresenta uma vasta diversidade de comportamento das folhas, flores, raízes e frutos, muitos saborosos e que atraem os animais e facilitam o processo de disseminação das sementes. Temos também plantas que sobrevivem nas rochas em parceria com fungos e bactérias ou que exalam um terrível mal cheiro pois tem nas moscas o seu principal inseto polinizador. E as plantas carnívoras? Tão temidas nos filmes de terror apresentam apenas folhas modificadas que através de um sistema chamado nastia é capaz de sentir a presença do inseto movimentando rapidamente suas folhas aprisionando-o.  Processo importante pois elas tem dificuldades de extrair certos nutrientes do solo necessitando retirá-lo dos insetos que morrem em suas armadilhas, nada diferentes dos outros seres vivos que necessitam de alimentos para sobreviver. Os fatores naturais e não biológicos também estão em destaque nos programas de Tvs como os vulcões, terremotos, tsunames e que causam grandes alterações no meio ambiente e na vida dos seres vivos. E no comando disto tudo (ou pensa que está), o homem. Se fossemos apenas corpo e instinto estaríamos fadados a extinção. Não somos fortes ou hábeis para subir e se deslocar em árvores como os chipanzés; não temos presas nem garras como os felinos; não somos rápidos como as gazelas que conseguem escapar de seus predadores; não temos grandes quantidades de pelos ou extensas camadas de gorduras como os ursos para proteger das baixas temperaturas; não voamos como as aves; as nossas fêmeas apresentam um longo tempo de gestação e os nossos filhotes demoram muito tempo para aprender a andar  diferente dos antílopes  onde os filhotes já nascem e imediatamente iniciam o treinamento de corrida para fuga. Mas o simples fato de sermos seres pensantes superou todas as outras dificuldades e nos  tornamos a espécie dominante. Conseguimos modificar qualquer tipo de equilíbrio biológico. Qualquer animal, independente de seu tamanho pode ser abatido facilmente, florestas inteiras derrubadas em poucos dias,  controlamos facilmente doenças  que a pouco tempo atrás eram consideradas mortais com o ser humano vivendo cada vez mais e recentemente, brincamos de Deus com a capacidade de criar novas espécies  através da clonagem e da transgenia. Somos os seres dominantes do planeta onde o poder da construção e da destruição está em nossas mãos. Entendemos grande parte dos mecanismos naturais e como eles acontecem; somos capazes de prever fatos naturais antes de seu acontecimento favorecendo o processo de prevenção. Temos um grande poder sobre a natureza mas parece que muitos ainda não perceberam que a nossa sobrevivência depende da sua sobrevivência. Que a cada semana do meio ambiente tenhamos momentos de reflexão e da importância da  nossa integração com a natureza.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »