23/04/2017 às 19h20min - Atualizada em 23/04/2017 às 19h20min

Mensageira da alma de nossos compositores: Maria Bethânia

WALDEMAR PEDRO ANTÔNIO
Foto: Manu Dias/GOVBA
      O  Cantinho  Musical  , respeitosamente ,  desfilará  neste  artigo  canções  que  trazem  consigo  a  essência da  alma  criativa  de  nossos  compositores  nas  mensagens  emocionais,  durante  a  presença   de  palco,  de  uma  bela  intérprete  que  representa  unanimidade  nas  avaliações  daqueles  que curtem  com entusiasmo  as  boas  músicas :  “  MARIA   BETHÂNIA  “ .

    Maria Bethânia Viana Teles Veloso , conhecida como Maria Bethânia, é uma cantora brasileira  . Nasceu em Santo Amaro da Purificação, Bahia, no dia 18 de junho de 1946 . Seu nome foi escolhido pelo irmão Caetano Veloso, inspirado em uma canção, a valsa  Maria Betânia, do compositor Capiba , então um sucesso na voz de Nélson  Gonçalves  . A futura cantora consagrada desejava, no início, subir aos palcos não para cantar, mas sim para interpretar. Aos poucos a garota entra em contato com o contexto cultural de Salvador - para onde se muda em 1960 -, atuando na Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia, frequentando as inúmeras exposições de artes plásticas, os mais variados shows musicais, o fervilhante ambiente estudantil. Era um período de intensa criatividade e de mudanças na cultura brasileira.  Durante a vigência da Ditadura Militar, a cantora teve a chance de substituir Nara Leão no espetáculo Opinião, concebido por Oduvaldo Vianna Filho, cantando a canção Carcará, de João do Valle. Sua participação intensa despertou a atenção da crítica e do público, e sua trajetória consagrada nasceu neste momento. Logo em seguida ela recebeu uma proposta de trabalho da gravadora RCA, futura Sony BMG. Ela se transformou em uma das intérpretes mais importantes da MPB .   Maria Bethânia cresceu em um ambiente profundamente religioso, marcado pela cultura do candomblé. Ela cultua diversos santos e segue especialmente um ritual africano conhecido como Ketu. Muitas de suas canções são inspiradas neste cadinho cultural brasileiro, no sincretismo, na cultura popular, na tradição folclórica de seu país. Enfim  é  uma  intérprete  completa  do  nosso  cancioneiro  valorizando  com  seus  cantos  as  composições  de  nossos  poetas  musicais .
   
Vamos  aos  desfiles  de  algumas  músicas   interpretadas  com  a alma  e  transmitidas  com  muita  emoção . João  do  Vale  e  José  Cândido ,  durante  o  Regime  Militar ,  compuseram  uma  canção  que  era  para  Nara  Leão  interpretar no  Teatro  Opinião , entretanto  foi substituída  por  Maria  Bethânia  que  é rotulada,  com  essa  música,  a  grande  intérprete  da  MPB . A  abordagem  musical  é  sobre  uma  ave  do  sertão  que,  comparativamente, supera as  atitudes  do  homem     diante  das  adversidades da  vida  em  busca  de  uma  sobrevivência  :  “  CARCARÁ   “ . [ “ / Carcará! / Pega, mata e come / Carcará! / Num vai morrer de fome / Carcará! / Mais coragem do que homem / Carcará! / Pega, mata e come / Carcará! / Lá no sertão... / É um bicho que avoa que nem avião / É um pássaro malvado / Tem o bico volteado que nem gavião / Carcará.... / Quando vê roça queimada / Sai voando, cantando / Carcará... / Vai fazer sua caçada / Carcará... / Come inté cobra queimada / Mas quando chega o tempo da invernada / No sertão não tem mais roça queimada / Carcará mesmo assim num passa fome / Os burrego que nasce na baixada / Carcará! / Pega, mata e come / Carcará! / Num vai morrer de fome / Carcará! / Mais coragem do que homem / Carcará! / Pega, mata e come / Carcará é malvado, é valentão / É a águia de lá do meu sertão / Os burrego novinho num pode andá / Ele puxa no bico inté matá / Carcará! / Pega, mata e come / Carcará! / Num vai morrer de fome / Carcará! / Mais coragem do que homem / Carcará! / Pega, mata e come / Carcará! / (BIS) / . “  ]  . 


Das  composições  de  Gonzaguinha ,  Maria  Bethânia  eternizou  com  seu  canto  duas  pérolas criadas  por  esse  compositor  que tanto enriqueceu  nosso  cancioneiro com  suas  poesias . A  primeira  versa  sobre adversidades  que  ocorrem  comumente  no  relacionamento  entre  os  casais , ficando  ambos  entre  a  razão  e  a  emoção  na  eterna  busca  de  solução  para  configurar  a  paz  entre  eles , motivo  por  que  a  mensagem  musical  é  um     “  GRITO   DE   ALERTA  “ .  [ “ / Primeiro você me azucrina, me entorta a cabeça / Me bota na boca um gosto amargo de fel / Depois vem chorando desculpas, assim meio pedindo / Querendo ganhar um bocado de mel / Não vê que então eu me rasgo / Engasgo, engulo, reflito, estendo a mão / E assim nossa vida é um rio secando / As pedras cortando, e eu vou perguntando: até quando? / São tantas coisinhas miúdas, roendo, comendo / Arrasando aos poucos com o nosso ideal / São frases perdidas num mundo de gritos e gestos / Num jogo de culpa que faz tanto mal / Não quero a razão pois eu sei / O quanto estou errada, o quanto já fiz destruir / Só sinto no ar o momento em que o copo está cheio / E que já não dá mais pra engolir / Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta / Eu busquei a palavra mais certa / Vê se entende o meu grito de alerta / Veja bem, é o amor agitando meu coração / Há um lado carente dizendo que sim / E essa vida da gente gritando que não / (BIS) / . “  ]  . 


A  outra  composição  desse  poeta expressa  liricamente  um  imenso  desejo  de  declarar  todo  sentimento  contido  em  seu  coração ,  guardado  e  fechado durante  muito  tempo  diante  de  um  grande sofrimento  amoroso  curtido  por uma enorme  paixão , resultando  em   “  EXPLODE  CORAÇÃO  “ .    [ “ /  Chega de tentar dissimular e disfarçar e esconder / O que não dá mais pra ocultar e eu não posso mais calar / Já que o brilho desse olhar foi traidor / E entregou o que você tentou conter / O que você não quis desabafar e me cortou / Chega de temer, chorar, sofrer, sorrir, se dar / E se perder e se achar e tudo aquilo que é viver / Eu quero mais é me abrir e que essa vida entre assim / Como se fosse o sol desvirginando a madrugada / Quero sentir a dor desta manhã / Nascendo, rompendo, rasgando, tomando, meu corpo e então eu / Chorando, sofrendo, gostando, adorando, gritando / Feito louca, alucinada e criança / Sentindo o meu amor se derramando / Não dá mais pra segurar, explode coração.../ . “  ]  . 




De  Chico  Buarque  de  Holanda , Bethânia  também  interpretou  muitas  canções  que  constituíram  sucessos  na  preferência  do  público . Selecionamos  duas  joias desse  poeta  incontestável  a  respeito  de  suas  criações  artísticas . A  primeira ,  com  o  espírito  de  um  sentimento  lírico  feminino  , versa  sobre a  partida  do  amado  e  as  justificativas  da  amada  que  a  dor,  sentida  com  o desenlace  amoroso,  já  está  superada e  questiona  qual  seria  a  reação  dele  em  vê-la  muito  feliz , já  recuperada  para  alegria  da  vida  traduzida  em      “  OLHOS  NOS  OLHOS  “ .    [ “ / Quando você me deixou, meu bem / Me disse pra ser feliz e passar bem / Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci / Mas depois como era de costume, obedeci / Quando você me quiser rever / Já vai me encontrar refeita, pode crer / Olhos nos olhos, quero ver o que você faz / Ao sentir que sem você eu passo bem demais / E que venho até remoçando / Me pego cantando / Sem mais nem porquê / E tantas águas rolaram / Tantos homens me amaram / bem mais e melhor que você / Quando talvez precisar me mim / Você sabe que a casa é sempre sua, venha sim / Olhos nos olhos, quero ver o que você diz / Quero ver como suporta me ver tão feliz / . “  ]  . 


Na  outra  composição , ainda  com  enorme  sentimento  lírico  feminino interpretada  por  Bethânia  ,  Chico faz  uma  bela  e  perfeita  descrição  de  todo  ato  amoroso  praticado  por  seu  amado ,  com  significação   sensual  do  corpo  e  da  alma , tornando  um  verdadeiro  retrato  do  que  é  :  “  O  MEU  AMOR  “ .     [ “  / O meu amor... / Tem um jeito manso que é só seu / E que me deixa louca / Quando me beija a boca / A minha pele toda fica arrepiada / E me beija com calma e fundo / Até minh'alma se sentir beijada / O meu amor... / Tem um jeito manso que é só seu / Que rouba os meus sentidos / Viola os meus ouvidos / Com tantos segredos / Lindos e indecentes / Depois brinca comigo / Ri do meu umbigo / E me crava os dentes / Eu sou sua menina, viu? E ele é meu rapaz / Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz / Meu amor... / Tem um jeito manso que é só seu / De me deixar maluca / Quando me roça a nuca / E quase me machuca / Com a barba mal feita / E de posar as coxas / Entre as minhas coxas / Quando ele se deita / O meu amor... / Tem um jeito manso que é só seu / De me fazer rodeios / De me beijar os seios / Me beijar o ventre / Me deixar em brasa / Desfruta do meu corpo / Como se meu corpo / Fosse a sua casa / Eu sou sua menina, viu? E ele é meu rapaz / Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz / . “  ]  .

Bethânia  também   consagrou  as  canções  compostas  por  Roberto  e  Erasmo , dando  às  suas  composições  uma  especial  interpretação .   Selecionamos  dois  sucessos  já  conhecidos  dessa  dupla  de  compositores . A  primeira  fala  de  alguém  abandonada  por  um   grande  amor , resultando , pela  dor  , um  enorme  sentimento  feroz e  sufocado  pela  situação de  desprezo, sentindo-se  um verdadeiro  animal  ferido que  não  mudará  seu  comportamento  mesmo  estando  marcado  na  alma ,  no  corpo  e  no  coração :   “  FERA  FERIDA  “  .   [ “ / Acabei com tudo / Escapei com vida / Tive as roupas e os sonhos / Rasgados na minha saída /Mas saí ferido / Sufocando meu gemido / Fui o alvo perfeito / Muitas vezes no peito atingido / Animal arisco / Domesticado esquece o risco / Me deixei enganar / E até me levar por você / Eu sei quanta tristeza eu tive / Mas mesmo assim se vive / Morrendo aos poucos por amor / Eu sei, o coração perdoa / Mas não esquece à toa / E eu não me esqueci / Não vou mudar / Esse caso não tem solução / Sou fera ferida / No corpo, na alma e no coração / (BIS) / Eu andei demais / Não olhei pra trás / Era solto em meus passos / Bicho livre, sem rumo, sem laços / Me senti sozinho / Tropeçando em meu caminho / À procura de abrigo / Uma ajuda, um lugar, um amigo / Animal ferido / Por instinto decidido / Os meus rastros desfiz / Tentativa infeliz de esquecer / Eu sei que flores existiram / Mas que não resistiram / A vendavais constantes / Eu sei que as cicatrizes falam / Mas as palavras calam / O que eu não me esqueci / Não vou mudar / Esse caso não tem solução / Sou fera ferida / No corpo, na alma e no coração / (3X ) / . “  ]  .    


A  segunda  música  aborda  um  tema  comum  nas  canções , inspirado  no  lamento  de  um  sofredor , causado  pela  solidão  após  o  abandono  da  pessoa  amada ,  restando  apenas  como consolo  “  AS  CANÇÕES  QUE  VOCÊ  FEZ  PRA  MIM  “ .  [ “ /  Hoje eu ouço as canções que você fez pra mim / Não sei por que razão tudo mudou assim / Ficaram as canções e você não ficou / Esqueceu de tanta coisa que um dia me falou / Tanta coisa que somente entre nós dois ficou / Eu acho que você já nem se lembra mais / É tão difícil olhar o mundo e ver / O que ainda existe / Pois sem você meu mundo é diferente / Minha alegria é triste / Quantas vezes você disse, que me amava tanto / Tantas vezes eu enxuguei o seu pranto / Agora eu choro só, sem ter você aqui / Esqueceu de tanta coisa que um dia me falou / Tanta coisa que somente entre nós dois ficou / Eu acho que você já nem se lembra mais / É tão difícil olhar o mundo e ver / O que ainda existe / Pois sem você meu mundo é diferente / Minha alegria é triste / Quantas vezes você disse que me amava tanto / Quantas vezes eu enxuguei o seu pranto / E agora eu choro só sem ter você aqui   / . “  ]  .



Dentre  belas  canções  compostas  por  Adelino Moreira ,  esta música , interpretada  por  Maria  Bethânia , consagrou-se  em  grande  sucesso  no  meio  de  um  público  que  admira  as  peças  desse  compositor . O  tema  é  desenvolvido  sobre  um  questionamento  do  amado  esperando  respostas  da  amante  se  todos  sentimentos  vividos  por  eles  se  apagaram  ou  se  ainda  estão  presentes  no  pensamento de  quem  o  abandonou :  “  NEGUE  “ .  [ “ / Negue seu amor, o seu carinho / Diga que você já me esqueceu / Pise, machucando com jeitinho / Este coração que ainda é seu / Diga que meu pranto é covardia / Mas não se esqueça / Que você foi meu um dia / Diga que já não me quer / Negue que me pertenceu / Que eu mostro a boca molhada / Ainda marcada pelo beijo seu / . “  ]  . Este  belo  sucesso  composto  por  Isolda  e  Milton  Carlos  desenvolve  um  tema    que  expressa  uma  maneira  rústica  no  tratamento  com  a  pessoa  amada ,  utilizando  termos ofensivos  e  estúpidos , esquecendo  que  o  amor  se  constrói  com  muita  delicadeza  e  carinhos  verbais ,  não  tentando  justificar  que  é      “  UM  JEITO  ESTÚPIDO  DE  TE  AMAR  “  . [ “ /  Eu sei que eu tenho um jeito / Meio estúpido de ser / E de dizer coisas que podem magoar e te ofender / Mas cada um tem o seu jeito / Todo próprio de amar e de se defender / Você me acusa e só me preocupa / Agrava mais e mais a minha culpa / Eu faço, e desfaço, contrafeito / O meu defeito é te amar demais / Palavras são palavras / E a gente nem percebe o que disse sem querer / E o que deixou pra depois / Mas o importante é perceber / Que a nossa vida em comum / Depende só e unicamente de nós dois / Eu tento achar um jeito de explicar / Você bem que podia me aceitar / Eu sei que eu tenho um jeito meio estúpido de ser / Mas é assim que eu sei te amar / . “  ]  .


Nesta  linda  canção , composta   por   Dona  Ivone  Lara  e  Délcio   Carvalho , os  seus  belos  sonhos  foram  parar  na  magnífica  voz  e  na  bela  interpretação  de  Maria  Bethânia  que  mostra  a  proximidade  da  saudade ,  externa  um  sentido  melancólico  e  canta  a  pureza  do  samba em     “  SONHO  MEU  “ .   [ “ / Sonho meu, sonho meu / Vai buscar quem mora longe / Sonho meu / Vai mostrar esta saudade / Sonho meu / Com a sua liberdade / Sonho meu / No meu céu a estrela guia se perdeu / A madrugada fria só me traz melancolia / Sonho meu / Sinto o canto da noite / Na boca do vento / Fazer a dança das flores / No meu pensamento / Traz a pureza de um samba / Sentido, marcado de mágoas de amor / Um samba que mexe o corpo da gente / E o vento vadio embalando a flor / . “  ]  .





Para  findar  as  amostras   interpretadas  por  Maria  Bethânia , selecionamos  uma  canção composta  pelo  irmão  Caetano Veloso  onde  homenageia  a  mãe  Dona  Canô  que representa  uma  referência  de  amor , respeito  e  modelo  a  ser  seguido na  visão  maravilhosa  desses  dois  filhos . O  autor  lança  mão  de brilhantes  pessoas  , de  entidades  espirituais , de  lugares  sagrados e  consagrados   em  uma  comparação  poética e  lírica onde  estão  expressos os  valores  dessa  Musa estampados  em  cada  verso  dessa  linda  poesia :   “  RECONVEXO  “ .      [ “ / Eu sou a chuva que lança a areia do Saara / Sobre os automóveis de Roma / Eu sou a sereia que dança, a destemida Iara / Água e folha da Amazônia / Eu sou a sombra da voz da matriarca da Roma Negra / Você não me pega, você nem chega a me ver / Meu som te cega, careta, quem é você? / Que não sentiu o suingue de Henri Salvador / Que não seguiu o Olodum balançando o Pelô / E que não riu com a risada de Andy Warhol / Que não, que não, e nem disse que não / Eu sou o preto norte-americano forte / Com um brinco de ouro na orelha / Eu sou a flor da primeira música a mais velha / Mais nova espada e seu corte / Eu sou o cheiro dos livros desesperados, sou Gitá gogoya / Seu olho me olha, mas não me pode alcançar / Não tenho escolha, careta, vou descartar / Quem não rezou a novena de Dona Canô / Quem não seguiu o mendigo Joãozinho Beija-Flor / Quem  não  amou  a  elegância  sutil  de  Bobô /  Quem  não  é  recôncavo e nem pode ser reconvexo / . “  ]  .

   
Cantinho  Musical  ,  para  encerrar  este  artigo ,  escolheu  a  mais  alta  homenagem  que  se  pode  ter  uma  personalidade na  vida  pública :  ENREDO  DE  ESCOLA  DE  SAMBA . A  Estação  Primeira  de  Mangueira , escola  de  meu  coração , homenageou  com   um  belo   enredo  com  que  se  tornou  campeã :   “ MARIA  BETHÂNIA :  “  A  Menina  dos  Olhos  de  Oyá  “ .  [ “ / Quem me chamou? /Mangueira / chegou a hora, não dá mais pra segurar / Quem me chamou? chamou pra sambar / Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá / Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá / Raiou... Senhora mãe da tempestade / A sua força me invade, o vento sopra e anuncia / Oyá... Entrego a ti a minha fé / O abebé reluz axé / Fiz um pedido pro Bonfim abençoar / Oxalá, Xeu Êpa Babá! / Oh, Minha Santa, me proteja, me alumia / Trago no peito o Rosário de Maria / Sinto o perfume... Mel, pitanga e dendê / No embalo do xirê, começou a cantoria / Vou no toque do tambor... ô ô / Deixo o samba me levar... Saravá! / É no dengo da baiana, meu sinhô / Que a Mangueira vai passar / Voa, carcará! Leva meu dom ao Teatro Opinião / Faz da minha voz um retrato desse chão / Sonhei que nessa noite de magia / Em cena, encarno toda poesia / Sou abelha rainha, fera ferida, bordadeira da canção / De pé descalço, puxo o verso e abro a roda / Firmo na palma, no pandeiro e na viola / Sou trapezista num céu de lona verde e rosa / Que hoje brinca de viver a emoção / Explode coração / Quem me chamou... Mangueira / Chegou a hora, não dá mais pra segurar / Quem me chamou... Chamou pra sambar / Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá / Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá / . “  ]  .

     “   PARA SE  IDENTIFICAR   UMA    BELA  CANÇÃO ,  TEM  DE  CONTAR,  NECESSARIAMENTE ,  COM  UMA  APURADA  MELODIA  ;  COM   UMA  MARAVILHOSA  EXPRESSÃO  POÉTICA  E COM  UM  EXCELENTE  INTERPRETE  DA  MENSAGEM  LÍRICA , PORQUE  SOMENTE  ASSIM  ELA  ETERNIZARÁ  DIANTE  DO  CENÁRIO  MUSICAL .  MARIA  BETHÂNIA  ,  COM  SEU  CARISMA  DURANTE  SUAS  APRESENTAÇÕES ,  FAZ  DAS  TRÊS  EXIGÊNCIAS UMA VERDADEIRA PROPRIEDADE  DE  SUA  ALMA  ARTÍSTICA  “
Waldemar  Pedro  Antonio                      e-mail  :   wpantonio@terra.com.br

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »