06/08/2017 às 17h27min - Atualizada em 06/08/2017 às 17h27min

Manifestante de estimação?

Tempos atrás, manifestantes vestindo verde e amarelo, com panelas nas mãos, guiados por um pato amarelo, saíram às ruas contra a corrupção. Diziam que a lei deve valer para todos. Todo cidadão deve ser investigado e caso condenado deve ser preso. Ninguém está acima da lei. Não tem bandido de estimação!
 
Passado o tempo, muitos mudaram de opinião a respeito da corrupção. Que continua sendo praticada em pleno funcionamento das investigações da Lava-Jato. Com direito a gravações, filmagens, delações, dinheiro em mala, ameaça de morte...
 
Mas as ruas estão vazias. As panelas voltaram para os armários. O pato amarelou. Pelo visto os manifestantes seguiram o conselho de uma de suas líderes, a jornalista do SBT Raquel Sherazade, e adotaram um bandido. Agora possuem bandido de estimação.

Muitos dos que diziam combater a corrupção agora defendem políticos envolvidos em corrupção alegando: a defesa da estabilidade econômica, o progresso, o combate ao comunismo, à aprovação das reformas, o fim da ideologia de gênero, a defesa dos bons costumes...
 
Um monte de desculpas esfarrapadas que derrubam o discurso do combate à corrupção. Alguém acreditou mesmo que aquela gente toda nas ruas lutava contra a corrupção? Muitos dos que foram as ruas nunca foram contra a corrupção. Pelo contrário, contribuem com a corrupção: sonegam impostos, subornam funcionários públicos, pagam propina para não levar multa, furam fila, compram produtos falsificados, roubam sinal de TV a cabo, dão/aceitam troco errado... O famoso jeitinho brasileiro.
 
Essas pessoas foram manipuladas pelos políticos, pela mídia e o Deus Mercado que aproveitaram o momento para chegar ao poder e implantar o projeto liberal derrotado nas urnas.
 
Projeto esse que são os direitos trabalhistas, a ascensão dos pobres e o Estado do Bem-estar social. Alguém acredita que a reforma trabalhista é boa para o trabalhador? Que a reforma da previdência é boa para a população? Que o congelamento e corte no setor público por vinte anos  e a política de Menos Estado é bom para o povo? Que a entrega de nossas riquezas para o estrangeiro é bom para o país?
 
Como podem notar, por trás do discurso da corrupção existia um projeto que havia sido derrotado nas urnas e que ganhou força graças às manifestações. Vale destacar que as manifestações receberam dinheiro de grupos políticos e de empresários interessados no poder. Com isso, podemos dizer que realmente não existe bandido de estimação. O que existe é manifestante de estimação.

 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »