19/01/2017 às 07h06min - Atualizada em 19/01/2017 às 07h06min

Proposta de recomposição salarial é apresentada aos servidores municipais de Ubá

Participaram representantes da Associação dos Servidores, do Sindicato dos Servidores de Ubá e das Comissões de Reajuste e Greve.

O Prefeito de Ubá, Edson Teixeira Filho, e o vice-prefeito, Vinícius Samôr, reuniram-se, na noite de terça-feira, 17 de janeiro, com representantes dos servidores públicos municipais. Na pauta do encontro, a valorização dos servidores a partir da abertura de diálogo e a recomposição salarial negada no último ano.

A reunião, logo no início da terceira semana de gestão, aconteceu por iniciativa do Executivo. Participaram representantes da Associação dos Servidores, do Sindicato dos Servidores de Ubá e das Comissões de Reajuste e Greve.

Edson explicou aos servidores a realidade financeira do município e apresentou a proposta de reajuste, que considera dois índices. O primeiro percentual representa o reajuste aplicado ao salário base de 2015, corrigido com a inflação oficial de 10,67%. Este será aplicado a partir de janeiro de 2017. Já o segundo índice, que será aplicado a partir de julho deste ano, representa o reajuste de 2016 para 2017, também de acordo com a inflação oficial, que foi de 6,29% em 2016.

 “Não estamos aqui fazendo nenhum agrado, e sim buscando justiça. E o momento não permite que façamos nenhum reajuste além da inflação”, destacou Edson.

Os representantes presentes se comprometeram a levar a proposta para avaliação dos servidores e retomar o contato com a Administração. Caso seja aprovada pela categoria, a mensagem será enviada a Câmara Municipal, que deverá ser convocada em regime extraordinário, devido ao recesso legislativo, para apreciação da matéria.
 
Cenário econômico ainda é marcado por incertezas

Edson e Vinícius explicaram aos servidores presentes que em relação ao reajuste de 2016, alvo de disputa judicial, cabe ao município aguardar decisão da justiça. “Nossa competência é de janeiro de 2017 pra frente, por quatro anos. Não estamos falando que a Prefeitura não tem uma dívida com os servidores em relação a 2016, porque ela tem, mas sim que vamos assumir esse passivo quando ele vier, o que irá acontecer por determinação judicial”, esclareceu o prefeito.

O cenário econômico também foi pauta do encontro. As previsões de queda na arrecadação, além dos repasses menores para o município, entre outros fatores, motivaram a Administração a adotar medidas visando a redução dos custos, tal como a não nomeação de Secretários para as pastas de Governo e Cultura, que estão sendo geridas pelo vice-prefeito, resultando em uma economia de mais de 1 milhão e duzentos mil reais em quatro anos. Além disso, prevê-se o não preenchimento de cerca de 20% dos cargos comissionados e a revisão dos contratos com as empresas terceirizadas.
 
Mais transparência

Para Vinícius Samôr, a reunião representa uma porta aberta aos servidores, vistos como o maior patrimônio da Prefeitura. “Esse encontro é de quem quer resgatar o diálogo e respeito com o servidor. Não gostaríamos de começar no mesmo caminho que vocês percorreram no ano passado. Hoje demos juntos o primeiro passo para uma nova era entre a Administração de Ubá e os nossos servidores”, declarou.

Edson encerrou o encontro reafirmando o comprometimento com a proposta apresentada. “Desde nossa campanha, sempre deixamos claro que não fazemos promessas. Fazemos compromissos. E este compromisso apresentado hoje, com absoluta responsabilidade e após muito estudo e empenho de toda nossa equipe, é viável e possível, por isso trouxemos para vocês. Ele envolve sacrifícios da nossa parte, sobretudo austeridade, mas vale a pena porque é um direito do servidor sendo reconhecido”, finalizou o prefeito.

Fonte: Comunicação Social - Prefeitura Municipal de Ubá-MG

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »