27/03/2017 às 07h13min - Atualizada em 27/03/2017 às 07h13min

Vereador pede asfaltamento de estrada da Boa Sorte

Região ganhou recentemente nova delimitação de seu núcleo urbano e via de acesso com 1.550 metros de extensão ganhou o nome de João Zanzirolani.

Edição: Luiz Otávio Meneghite
Vereador José Ferraz Rodrigues
Considerada por muitos um quase bairro de Leopoldina, a Comunidade Rural da Boa Sorte, região formada por sítios e chácaras, próxima da BR116-Rodovia Rio Bahia, deu recentemente, mais um passo para se tornar legalmente um bairro da cidade.

O prefeito José Roberto de Oliveira sancionou lei aprovada pela Câmara Municipal de Leopoldina, autorizando a Prefeitura a delimitar o Núcleo Urbano da Comunidade da Boa Sorte, que passou a ter uma área de extensão de 1.550 m, formando um núcleo urbano.

Paralelamente, outra lei, de autoria do então vereador Edvaldo Franquido Donato do Vale, atual Secretário Municipal de Esportes, também foi aprovada pela Câmara e sancionada pelo prefeito José Roberto de Oliveira, dando o nome de João Zanzirolani a via pública delimitada pela Lei nº 4.353, de 07 de dezembro de 2.016.

Na sequência, o atual vereador José Ferraz Rodrigues, teve indicação de sua autoria aprovada no dia 6 de fevereiro, sugerindo ao prefeito José Roberto de Oliveira o alargamento de todas as pontes existentes ao longo daquela estrada bem como a retirada de curvas perigosas e o asfaltamento do trecho que é servido pela linha de ônibus urbano da Viação Leopoldinense.

A entrada para o bairro da Boa Sorte fica do lado direito da BR 116, no sentido de quem sai de Leopoldina em direção ao distrito de Tebas. Na Boa Sorte, estava localizada a sede da Colônia Agrícola da Constança, objeto de estudos dos pesquisadores José Luiz Machado Rodrigues e Nilza Cantoni sobre a imigração italiana para Leopoldina. A Colônia Agrícola da Constança foi formada em 1910 e compunha-se de 73 lotes, uma boa parte deles vendida a imigrantes que desenvolveram uma produção agrícola intensa e muito contribuíram para o desenvolvimento econômico da cidade de Leopoldina. Nela trabalharam e viveram mais de 800 italianos e ainda vivem centenas de seus descendentes.


Eis a descrição das coordenadas, segundo a lei

Inicia-se no eixo da estrada vicinal que interliga a comunidade da Boa Sorte à BR 116, no ponto definido pelas coordenadas UTM, N=7.615.469.080 e E=739.826.580; daí em uma deflexão à direita com direção ortogonal ao eixo da estrada, seguindo pela cerca existente na divisa com herdeiros de Francisco Monteiro e Herdeiros de Francisco Bonin estende-se por uma medida linear, de 54,00 m até o limite da faixa; daí, através de uma direção paralela ao eixo da estrada (lado direito da faixa) estende-se por uma medida linear, de 1.550,00 m até o ponto final da faixa; daí em uma deflexão à esquerda em divisa com Lucilia Toledo Pinto e Herdeiros de Valentim Zangirolani com direção ortogonal ao eixo da estrada estende-se por uma medida linear, de 54,00 m até o ponto final, localizado neste eixo e, definido pelas coordenadas UTM, N=7.616.103.260 e E=738.481.050; daí segue novamente, pela mesma direção ortogonal ao eixo da estrada, numa extensão de 54,00 m até o ponto final da faixa; daí, em seguida através, de uma direção paralela ao eixo da estrada (lado esquerdo) estende-se por uma medida linear, de 1.550,00 m até o ponto inicial da faixa; daí com uma deflexão à esquerda, na cerca de divisa de Herdeiros de Francisco Bonin em uma direção ortogonal ao eixo da estrada, numa extensão de 54,00 m estende-se até ao ponto inicial locado no eixo da estrada.”.

As descrições estão de acordo com o memorial descritivo integrante da Lei  nº 4.353,  sancionada em 07 de dezembro de 2016, que entrou em vigor no dia 9 de dezembro de 2016, com sua publicação na edição 1892 do Diário Oficial dos Municípios Mineiros.
Fonte: Diário Oficial dos Municípios Mineiros

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »