12/05/2014 às 10h29min - Atualizada em 12/05/2014 às 10h29min

Caixa baleada durante assalto nesta sexta feira, é operada mas bala não é retirada

Vítima permanece internada no CTI e seu quadro é estável

Luciano Baía Meneghite
Leopoldinense

Eram por volta das 18h20min desta sexta feira, 09/05, quando dois indivíduos adentraram o Mercado Canadá, localizado na esquina das ruas Silvio Maranha com Joaquim Furtado de Meneses no bairro Pirineus e anunciaram assalto. Uma amiga da caixa Rosilene Aparecida Silva Alves, 'Neinha', ao perceber a movimentação entrou no banheiro do estabelecimento para ligar para a polícia, quando ouviu o barulho de tiro. Uma freguesa também teria sido assaltada. Uma vizinha também percebendo a movimentação ligou para a Polícia Militar, que segundo ela demorou a chegar ao local. As primeiras informações  davam conta de que se tratavam de dois rapazes negros, um deles estaria encapuzado. A delegada Gisele Borges de Mattos que reside próximo ao mercadinho,  compareceu ao local e está colaborando com as investigações que estão sendo coordenadas pelo delegado Dr. Rafael Sporc da Costa, titular da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio. Segundo a delegada, ela pretende auxiliar diretamente nas investigações, "até porque o crime foi grave demais e não podemos admitir ocorrências desta espécie", disse ao jornal complementando que "as investigações terão sucesso porque todos os policiais estão empenhados na apuração dos fatos, cumprindo suas funções". O tiro  acertou a barriga de Neinha e ela foi imediatamente encaminhada à Casa de Caridade Leopoldinense. O proprietário do estabelecimento, Luiz Geraldo Lanziere Coutinho, o Lalado, comunicado, chegou ao local por volta das 19:00 quando foi informado dos detalhes do ocorrido. Existem suspeitas quanto às identidades dos autores do crime, mas até o momento nada de concreto. O jornal Leopoldinense entrou em contato com a família de Neinha na manhã deste sábado, 10/05 e segundo informações, o tiro teria perfurado seu estômago e intestino. A vítima foi operada pelo Dr. Leonardo Vicente, mas a bala ainda não foi extraída do corpo. O procedimento cirúrgico para a retirada do projétil só será feito quando o quadro da paciente estiver totalmente estabilizado. Ela está internada no CTI da Casa de Caridade Leopoldinense e o quadro, por enquanto, é estável.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »