31/05/2017 às 11h53min - Atualizada em 31/05/2017 às 11h53min

Kélvia solicita a manutenção da cesta básica para os funcionários da APA

Segundo ela, o quadro funcional da APA é composto, em sua maioria, por mulheres que sustentam suas casas sozinhas.

Vereadora Kélvia Raquel de Souza Ribeiro Santos.
Com o objetivo de manter os empregados motivados, interessados e saudáveis, empresas oferecem como benefício a cesta básica de alimentos. Neste sentido, a Câmara Municipal de Leopoldina aprovou a indicação nº 379/2017, de autoria da vereadora Kélvia Raquel, sugerindo ao Poder Executivo que interceda junto à APA Confecções, através de algum tipo de benefício, para que mantenha a doação da cesta básica para os funcionários.

A iniciativa da vereadora foi motivada pelo movimento de paralisação de parte dos empregados ocorrida no dia 19, na porta da fábrica, em protesto contra a decisão da empresa de encerrar o programa de fornecimento de cesta básica àqueles que não atrasam e não faltam ao serviço.

Na justificativa da proposição, a vereadora enfatizou a importância do benefício, principalmente por proporcionar ao empregado condições de ter uma alimentação balanceada e, dessa forma, manter-se saudável. Além disso, constitui-se numa importante contribuição para o equilíbrio financeiro da família e para proporcionar uma condição digna de vida. Segundo ela, o quadro funcional da APA é composto, em sua maioria, por mulheres que sustentam suas casas sozinhas.

Durante a discussão da proposição, Antônio Carlos Martins Pimentel disse que, em virtude da situação econômica do país, acredita que a empresa tomou essa medida para evitar demissão de empregados. Elvécio de Souza Barbosa lembrou que foi funcionário da empresa por 11 anos e meio e reconheceu que a APA é a empresa que mais emprega no município e por isso merece receber a atenção do Poder Executivo. Ele sugeriu que representantes dos Poderes Executivo e Legislativo façam visitas à fábrica para conhecer a realidade dos empregados. Os vereadores Rosalvo DomicianoFlauzino e Rogério Campos Machado também se manifestaram a favor da manutenção da cesta de alimentação.

Kélvia Raquel disse entender que contribuir com a alimentação do trabalhador por meio da cesta básica é também uma forma eficiente de gerar bons resultados. A parlamentar reconheceu a importante contribuição da empresa para o desenvolvimento do município na geração de emprego e renda. Segundo dados da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, a APA Confecções instalou-se em Leopoldina em 1997, no prédio onde funcionou a Intertex S/A. Atualmente, gera 850 empregos no ramo de confecções de ternos.

Ao final, a indicação foi aprovada por unanimidade e foi encaminhada ao Poder Executivo, com cópia para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.


Funcionários durante paralisação na frente da empresa. (Foto: João Gabriel Baía Meneghite)

Nota de esclarecimento da APA Confecções S/A 

A empresa APA CONFECÇÕES S/A (APA), diante do movimento de paralisação de parte dos seus empregados ocorrida no dia 19/05/2017, em frente a sua sede na Rua 27 de Abril, Fábrica – Leopoldina - MG, tem a esclarecer o seguinte:
 
I) A APA, visando a preservação dos empregos de aproximadamente 100 (cem) empregados, resolveu encerrar seu programa de fornecimento de cesta básica como alternativa a manutenção desses empregos;
 
II) Não é verdadeiro o fato de que a APA, desde o início da operação, “paga” cestas básicas aos empregados. Existe um programa que trata desse benefício, sendo certo que somente aqueles que não se atrasarem e não faltarem serão beneficiados pela concessão da cesta básica. Atualmente cerca de 47% (quarenta e sete por cento) dos empregados vem preenchendo tais requisitos
 
III) Os empregados foram avisados com antecedência, sendo certo que aqueles que preencherem as condições do programa receberão a cesta básica em junho/2017, estando encerrada a partir de julho/2017;
 
IV) Essa decisão vale para todo grupo, inclusive para os empregados de Teresópolis/RJ;
 
V) Os motivos que levaram a empresa a tomar essa decisão se devem, essencialmente, a brutal inadimplência de clientes; aumento do custo da matéria prima; aumento do custo financeiro com empréstimos bancários para capital de giro; entre outros. Em síntese: não houve outra alternativa;
 
VI) Destacamos que estamos em processo de contingência diante da notória e aguda crise financeira que todos estão vivenciando, valendo lembrar que para conservar a operação fabril na cidade de Leopoldina/MG foi necessário encerrar a operação fabril na cidade de Duque de Caxias/RJ (nessa ocasião foi necessário extinguir trezentos postos de trabalho), o que ocorreu em 12/2016;
 
VII) Apesar da imensa crise vivida por todos os brasileiros, com a perda de milhões de postos de trabalho, é importante realçar que a empresa jamais atrasou qualquer das suas obrigações, pagando em dia salários, férias, décimo-terceiro, por exemplo, mesmo com grande sacrifício, onde precisou tomar empréstimos bancários extremamente onerosos para tanto;
 
VIII) Na visão da APA, neste momento, além de ser lícita a atitude tomada a finalidade foi proteger empregos; não demitir parte dos seus empregados; não desampará-los num momento crucial para eles e a empresa. Acreditamos que o foco no trabalho e no futuro é o único caminho para se atravessar as dificuldades presentes; e
 
IX) Esta empresa sempre esteve inclinada ao diálogo, especialmente com o Sindicato dos Empregados, considerando intempestivo e desnecessário o movimento realizado em frente a sua unidade fabril.
 
Fontes: Câmara Municipal de Leopoldina e APA Confecções S/A com foto de João Gabriel Baia Meneghite
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »