01/06/2017 às 12h43min - Atualizada em 01/06/2017 às 12h43min

PIB tem alta trimestral, mas cai em relação a 2016

Consumo das famílias e do governo continuam em queda, assim como as taxas de investimento e de poupança

Rede Brasil Atual
PIB divulgado nesta quinta pelo IBGE reflete retração continuada dos setores industriais (Fieg / arquivo)

São Paulo – O Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas do país, cresceu 1% do quarto trimestre de 2016 para o primeiro de 2017 –, em boa parte puxado pela agricultura –, na primeira alta após oito reduções, mas recuou 0,4% em comparação com o primeiro período do ano passado, no 12º resultado negativo. Em 12 meses, segue encolhendo, com retração de 2,3% e diminuição no consumo das famílias e do governo. Em valores correntes, somou R$ 1,594 trilhão. Os resultados foram divulgados na manhã de hoje (1º) pelo IBGE.

Entre as atividades, destaque para a agropecuária, que teve expansão de 13,4% sobre o último período do ano passado. A indústria cresceu 0,9% e os serviços registraram estabilidade. Na comparação com o primeiro trimestre de 2016, a agropecuária cresce 15,2%, a indústria cai 1,1% e os serviços têm queda de 1,7%. 

No caso da indústria, a de transformação caiu 1% e a construção recuou 6,3%. A atividade extrativa-mineral aumenta 9,7% e a produção e distribuição de eletricidade, gás e água cresce 4,4%.

No acumulado do PIB em quatro trimestres, apenas a agropecuária não tem resultado negativo, mantendo-se próxima da estabilidade (0,4%). O IBGE apurou retração de 2,4% na indústria e de 2,3% nos serviços.

A despesa de consumo das famílias cai em todas as comparações: -0,1% ante o quarto trimestre de 2016, -1,9% ante os primeiros três meses do ano passado e -3,3% em 12 meses. "Esse resultado pode ser explicado pelo comportamento dos indicadores de crédito e mercado de trabalho ao longo do período", diz o IBGE.

O consumo do governo cai 0,6%, 1,3% e 0,7%, respectivamente.

Indicador de investimentos, a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) também recua: 1,6% ante o quarto trimestre de 2016, 3,7% ante o primeiro (12ª queda seguida) e 6,7% em 12 meses.

A taxa de investimento no primeiro trimestre correspondeu a 15,6% do PIB, ábaixo de igual período do ano passado (16,8%). O mesmo  acontece com a taxa de poupança, que passou de 15,7% para 13,9%.

As exportações cresceram 1,9% no trimestre e as importações, 9,8%. 

Revisões

O IBGE revisou alguns dados, como o do resultado do terceiro para o quarto trimestre do ano passado, que foi de -0,9% para -0,5%. Do segundo para o terceiro, passou de -0,7% para -0,6%. E do primeiro trimestre de 2016 para o último de 2015, de -0,6% para -1%.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »