11/08/2017 às 08h17min - Atualizada em 11/08/2017 às 08h17min

Motoristas reúnem-se com vereadores e expõem problemas no transporte escolar

O objetivo foi esclarecer a situação enfrentada pelos motoristas que vêm realizando 60 horas extras mensais e que, desde abril, estão recebendo 40 horas extras mensais.

Arnaldo Spindola (*)
Motoristas do transporte escolar reunidos com os vereadores.
Cerca de treze motoristas do transporte escolar da Prefeitura de Leopoldina estiveram reunidos com o Presidente da Câmara, Pastor Darci José Portella e com os vereadores José Augusto Cabral, Valdilúcio Malaquias, Jacques Villela, Ivan Martins Nogueira, Hélio Batista Braga de Castro e Rogério Campos Machado. O encontro aconteceu na tarde desta quinta-feira (10), na sede do Legislativo, e foi acompanhado pelo assessor jurídico, Dr. Emanuel Araújo de Azevedo Antunes.

O objetivo da reunião foi esclarecer a situação enfrentada pelos motoristas que vêm realizando 60 horas extras mensais e que, desde abril, estão recebendo 40 horas extras mensais. Eles informaram que já tentaram negociar com a Administração Pública, mas não obtiveram sucesso. Os motoristas comentaram que, no dia 3 de agosto, foi realizada uma assembleia da categoria que decidiu por não mais realizar horas extras e cumprir somente as 44 horas semanais de trabalho que estão fixadas em lei. Segundo eles, o Executivo foi comunicado oficialmente de que a decisão seria colocada em prática no dia 09 de agosto e que os servidores não mais assinariam folha de ponto com horário que não correspondesse à realidade e nem fariam especiais com desvio de finalidade nos finais de semana e feriados.

Eles relataram aos vereadores que, no dia 9 de agosto, parte do transporte escolar não foi feita, pois os motoristas se apresentaram para trabalhar às 7 horas. Ao chegarem, foram convocados para uma reunião com a Secretária Municipal de Educação, Sra. Regina Lúcia Barbosa Brito de Oliveira. Segundo os servidores, na reunião foi apresentada uma nova escala de trabalho que passaria a vigorar no dia seguinte, além da comunicação de que estariam dispensados, o dia seria descontado de seus salários e que eles não deveriam entrar na garagem da prefeitura, sob pena de ser acionada a Polícia Militar. Esse fato acabou gerando um boletim de ocorrência na Polícia Civil.

Os motoristas entregaram aos parlamentares cópias de documentos e ainda relataram sobre veículos transportando alunos em quantidade acima do permitido. Ao final, decidiu-se que, na próxima sessão ordinária, os vereadores apresentarão um requerimento, convidando a Secretária Municipal de Educação e representantes dos motoristas para comparecerem à Câmara com a finalidade de prestarem esclarecimentos sobre essa situação, buscando, assim, encontrar uma solução para o problema. 

(*)Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »