31/08/2017 às 10h54min - Atualizada em 31/08/2017 às 10h54min

Leitora denuncia descarte irregular de lixo hospitalar em Leopoldina

Segundo ela, algumas clínicas e consultórios odontológicos colocam o lixo na rua para ser coletado junto com o lixo domiciliar.

Edição: Luiz Otávio Meneghite
Foto meramente ilustrativa
A leitora do jornal Leopoldinense identificada pelas iniciais V. L. enviou e-mail à redação relatando uma grave irregularidade que vem ocorrendo em Leopoldina quanto ao descarte de lixo. Diz a leitora: “Fiz uma denúncia na Prefeitura quanto ao descarte indevido de lixo que acontece em algumas clínicas e consultórios odontológicos e a Prefeitura me respondeu que eles têm uma coleta seletiva. Mas, isso é mentira, trabalhei numa clínica que o lixo ia para rua, junto com o lixo dos moradores. Existe lei proibindo isso? Vocês poderiam verificar?.”
 
A resposta da Secretaria Municipal de Saúde
 
O jornal Leopoldinense procurou a Secretária Municipal de Saúde, Lúcia Helena Fernandes da Gama e mostrou a ela o questionamento da leitora. Segundo a Secretária “Realmente, tem lei federal. O lixo das unidades de saúde são segregados (contaminado e não contaminado). O contaminado não pode ser colocado na rua. As empresas especializadas no recolhimento destes resíduos contaminados, entram nas unidades e recolhem. Ficam em recipientes próprios e em local para estocar resíduos sólidos, em acordo com a lei federal. Ainda, de acordo com a lei, cada gerador do seu lixo tem que dar destino a ele, ou seja, cada um contrata a empresa especializada de sua escolha. No caso das unidades municipais de saúde a empresa é a SERQUIP. A limpeza urbana não recolhe lixo hospitalar (que são resíduos contaminados de clínicas, consultórios e farmácias), só o fazendo se não souber que o proprietário está agindo de má fé colocando junto ao lixo comum”, relatou Lúcia Gama.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »