02/10/2017 às 18h02min - Atualizada em 02/10/2017 às 18h02min

Vereadores sugerem contratação de psicólogos e assistentes sociais para escolas municipais

A falta desses profissionais nas instituições de ensino foi uma reclamação apresentada aos vereadores durante as visitas aos estabelecimentos escolares.

(Foto ilustrativa – www.google.com.br)
A Comissão Permanente de Educação e Cultura da Câmara Municipal, composta por Kélvia Raquel, Waldilúcio Malaquias e Waldair Barbosa Costa, durante recente sessão ordinária, apresentou uma sugestão ao Poder Executivo no sentido de viabilizar a contratação de profissionais de Psicologia e Assistência Social para atendimento às escolas municipais.

Na justificativa que acompanhou a proposição, foi ressaltado que, durante visita às escolas municipais, constatou-se a necessidade de contratação desses profissionais para atender e desenvolver um trabalho específico que não pode ser feito pelos professores. Os parlamentares comentaram que, em qualquer ambiente escolar, o profissional é desafiado com situações que vão desde a desestruturação familiar, drogas, alcoolismo, abuso sexual, gravidez precoce, entre outros problemas, que atingem diretamente na aprendizagem da criança. A falta desses profissionais nas instituições de ensino foi uma reclamação apresentada aos vereadores durante as visitas às escolas municipais.

Os vereadores conversaram com professores, supervisores e diretores da rede municipal e perceberam que o trabalho do psicólogo seria de extrema importância também para o corpo docente da escola, que, muitas vezes, acaba apresentando problemas de saúde devido ao estresse vivenciado em sala de aula. Além de ajudar na recuperação estrutural da família, contribuindo, assim, para redução da evasão escolar e na inserção do aluno na sociedade.

Durante a discussão da matéria, os membros da Comissão de Educação reiteraram que déficit de atenção, bullying e violência tornaram-se temas do cotidiano de inúmeras famílias e têm reflexos nas escolas. Segundo eles, uma maneira de enfrentar esta situação é a contratação desses profissionais a fim de oferecer um suporte aos estudantes, resguardando não apenas as crianças, mas a própria família.

Recentemente, durante o desenvolvimento do Projeto Parlamento Jovem 2017, os alunos de Leopoldina aprovaram como proposta tornar obrigatório um psicólogo nas escolas públicas para atender à comunidade escolar na solução de conflitos entre alunos, professores e família.Protocolada com o nº 533/2017, a indicação foi aprovada por unanimidade.

Fonte> Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »