15/10/2017 às 09h33min - Atualizada em 15/10/2017 às 09h33min

Cunha quis R$ 1 milhão para ‘sacramentar’ impeachment. Assista

Por Fernando Brito
Tijolaço

Em um novo trecho vazado da delação de Lúcio Funaro, o doleiro disse que Eduardo Cunha, de última hora, pediu-lhe R$ 1 milhão para comprar mais alguns votos pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Cunha já tinha certeza da vitória, mas queria “sacramentar” o resultado que lhe permitiria depor a o presidenta da República eleita, Dilma Rousseff.

Funaro transferiu o dinheiro e quitou as suas “promessas”.

Usando o poder de Presidente da Câmara, que o Supremo só depois lhe tirou.

Nas barbas do ascético ministro Teori Zavascki.

Funaro conta até do “calote” que Cunha tomou de Aníbal Gomes,  que recebeu adiantado e “ficou doente”  no dia da votação.

Ou a Vladimir Costa, aquele do famoso “Temer” tatuado (a hena) no peito, que segundo Funaro cunha “comprava a toda hora”.

Ms não tem problemas, não é, Excelências.

“A instituições funcionaram e o Brasil deu um exemplo ao mundo” em matéria de respeito aos ritos democráticos”.

P processo de anulação dessa patranha azeitada dinheiro está parado e parado ficará.

Não há ali um ministro ou ministra com envergadura moral para dizer que não podem validar um processo corrupto.

Não fica bem para o clube do “data vênia”

Assista ao estarrecedor depoimento.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »