17/10/2017 às 14h05min - Atualizada em 17/10/2017 às 14h05min

Prefeitura de Leopoldina divulga nota de esclarecimento sobre segurança no trabalho

A nota foi enviada por Iago G. Xavier da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Leopoldina para os órgãos de imprensa da cidade e região.

Em resposta a matéria publicada no Jornal Leopoldinense no dia 16/10/2017, que trata do uso de Equipamento de Segurança Individual (EPI) dos servidores da Prefeitura Municipal de Leopoldina, podemos dizer que de nossa parte estamos trabalhando arduamente no sentido de conscientizar nossos servidores para uso obrigatório dos EPI'S.
 
Na atual administração, no Setor de Recursos Humanos, existem profissionais da área de Segurança do Trabalho que cumprem com o objetivo de atender a legislação vigente e o aprimoramento da relação trabalho x segurança.
 
Informamos que no ano de 2017 foram realizados 02 processos licitatórios (Pregão Presencial nº 048/17 e Pregão Presencial nº 064/17) para aquisição de EPI'S, cuja maior parte já nos foi entregue e distribuídos para nossos servidores, incluindo o Setor mencionado na matéria.
 
Quanto à CIPA, entende-se que as normas regulamentadoras atingem exclusivamente os estabelecimentos que mantém trabalhadores pelo regime da CLT, que não é o caso da Prefeitura Municipal de Leopoldina, cujo regime é o Estatutário.
 
Na oportunidade, estamos à disposição para qualquer esclarecimento ou dúvidas, inclusive se encontram no Setor responsável as fichas individuais de controle de EPI dos servidores desta Prefeitura.
  
Secretaria Municipal de Administração – Departamento de Recursos Humanos

________________________________

 
Para refrescar a memória transcrevemos abaixo a matéria publicada pelo jornal Leopoldinense
 
Servidores municipais resistem em utilizar equipamentos de proteção e segurança no trabalho
No serviço de varrição de ruas, que é terceirizado, é mais comum se ver os funcionários com máscaras e luvas, mas mesmo ali eles são minoria.
 
Luiz Otávio Meneghite com fotos de Luciano Baia Meneghite e Arquivo GLN

Há poucos dias, a leitora do jornal Leopoldinense identificada pelas iniciais C.C.M., fez contato pessoal com a redação para relatar um fato desagradável que ocorreu durante o velório de um ente querido.  Segundo ela, a Capela Mortuária Lions Clube, onde estava sendo velado o corpo de um parente, foi invadida por moscas de cemitério, também conhecidas como moscas necrófitas ou decompositoras de cadáveres, que depois se descobriu, estavam saindo de uma sepultura aberta no Cemitério Público Municipal Nossa Senhora do Carmo. A leitora informou que após a sua reclamação o problema foi corrigido.

A mesma leitora também observou que os funcionários do Cemitério estavam trabalhando sem uniformes e sem equipamentos de proteção como luvas e máscaras. Ela relatou ao jornal que foi informada por um funcionário que a Prefeitura não fornecia tais equipamentos.

O jornal fez contato pessoal com o Secretário Municipal de Serviços Urbanos, José Geraldo Cevidanes, a quem a gestão dos cemitérios está afeta e ele garantiu ao repórter que os equipamentos de segurança e proteção foram adquiridos pela Prefeitura, mas que existe muita resistência dos servidores na sua utilização em quase todos os setores, não apenas no Cemitério.

O jornal comprovou que realmente existe resistência de servidores em utilizar equipamentos de proteção e que um dos exemplos mais visíveis é o dos garis que fazem a coleta de lixo domiciliar que se protegem com luvas mas resistem em utilizar máscaras inalando durante toda a jornada o odor fétido dos caminhões coletores/compactadores, ficando dessa forma expostos a contaminação por doenças. No serviço de varrição de ruas, que é terceirizado, é mais comum se ver os funcionários com máscaras e luvas, mas mesmo ali eles são minoria.


Um funcionário do setor administrativo da Prefeitura, reforçou o que disse Cevidanes, mas acha que o que falta é uma ordem superior expressa que obrigue a utilização dos equipamentos e a aplicação de punição a quem desobedecer. Pedindo para não ser identificado, ele disse acreditar que só com ações mais severas, problemas dessa natureza serão corrigidos. O mesmo funcionário não soube informar se a Prefeitura possui a CIPA-Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.

Nota da Redação>

Enquanto veículo de comunicação que tem como lema ser ‘A Consciência Crítica da Cidade’, o jornal Leopoldinense sente-se recompensado por ter provocado a reação da Prefeitura Municipal de Leopoldina através da Nota Oficial divulgada para todos os órgãos de imprensa da cidade e região. Lembramos que a matéria veiculada foi por sua vez provocada por uma leitora que observou a falta de utilização de equipamentos de segurança por funcionários do Cemitério local. O jornal agiu como veículo de ligação entre o contribuinte e a Prefeitura. Espera-se que a manifestação do Poder Público possa se tornar o início da tomada de atitudes mais severas quanto a utilização dos equipamentos de proteção e segurança por seus funcionários, os principais beneficiários finais. Não basta ter os equipamentos em estoque, é necessário exigir a sua utilização durante a jornada de trabalho. 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »