16/11/2017 às 08h40min - Atualizada em 16/11/2017 às 08h40min

97% dos leitores fariam o cadastro para ser um doador de medula óssea

Para integrar o cadastro de doadores, a pessoa tem que ter entre 18 e 55 anos de idade e apresentar boa saúde.

Edição: Luiz Otávio Meneghite
O cadastramento é feito através do preenchimento do Formulário de Identificação do candidato a doação de medula e da Assinatura do Termo de Consentimento
A auspiciosa notícia publicada pelo jornal Leopoldinense, de que o PACE Hemominas de Leopoldina foi credenciado para fazer o cadastramento de doadores de medula óssea, tornando a cidade como referência na região teve tanta repercussão que a editoria do jornal se sentiu impulsionada a realizar uma enquete entre os seus leitores para saber quantos deles se habilitariam a fazer o cadastro para ser um doador. Uma das motivações foi um comunicado feito pela Secretária Municipal de Saúde, Lúcia Helena Fernandes da Gama dando conta de que a notícia provocou congestionamento nas linhas telefônicas do PACE Hemominas e da própria Secretaria com muitas pessoas manifestando o interesse em se tornar um doador.

Segundo a Supervisora de Gestão do Pólo de Saúde Agostinho Pestana, onde está instalado o PACE Hemominas de Leopoldina, Natália França Bedim, o treinamento do pessoal para a execução de tal serviço já foi feito e o início do cadastramento aguarda autorização de Juiz de Fora.

Os cadastrados terão suas informações encaminhadas para um banco de transplantes em Belo Horizonte e vinculados ao Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), os quais atenderão aos portadores de várias patologias hematológicas, como exemplo, a leucemia.

A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo, que através do transplante pode beneficiar o tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias. O fator que mais dificulta a realização do procedimento é a falta de doador compatível, já que as chances de o paciente encontrar um doador compatível são de 1 em cada 100 mil pessoas, em média. Com este avanço, Leopoldina ajudará a salvar milhares de vidas por todo o Brasil.

Como é feito o cadastramento?

O cadastramento é feito através do preenchimento do Formulário de Identificação do candidato a doação de medula e da Assinatura do Termo de Consentimento. Para integrar o cadastro de doadores, a pessoa tem que ter entre 18 e 55 anos de idade e apresentar boa saúde. No ato do cadastramento será colhida uma pequena amostra de sangue destinada à realização do exame HLA. Este exame vai traçar as características genéticas do candidato e verificar a compatibilidade com pacientes que estão na fila de espera para transplante de medula óssea.

O resultado da enquete

O jornal Leopoldinense disponibilizou para os seus leitores a seguinte enquete:
Você faria o cadastro para ser um doador de medula óssea? Veja o resultado no infográfico abaixo:

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »