23/11/2017 às 15h00min - Atualizada em 23/11/2017 às 15h00min

Governo do Estado expande a Central de Autônomos por Minas Gerais

Sedese promove capacitações para eplicar a experiência e garantir o atendimento à demanda em outros municípios que desejam implantar o serviço

SEGOV - Governo de Minas
Divulgação/Sedese
Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), deve encerrar 2017 com dez novas unidades da Central de Autônomos em Minas Gerais a partir da experiência bem-sucedida realizada em Belo Horizonte.

Na Central são disponibilizados à população profissionais autônomos nas áreas de faxina, auxiliar de serviços gerais, lavadeira, passadeira e cozinheira. Além de Belo Horizonte, três Centrais já estão em funcionamento nas cidades de Betim, Patrocínio e Três Corações.

Em Três Corações, a Sedese realizou uma capacitação no período de 27 a 29 de setembro, com as palestras “Motivando e preparando mulheres para o mercado de trabalho” e “Postura de trabalho e superação”. Já em outubro, a qualificação deu ênfase ao empreendedorismo individual e às oportunidades existentes no mercado de trabalho em momentos de crise.

“Implantamos a Central de Autônomos em outubro e já tivemos um retorno bem positivo na cidade. Com as parcerias de divulgação que fizemos, encaminhamos dez profissionais, sendo que, em dois casos, as diaristas foram efetivadas”, afirma Isamara Andrade, coordenadora do Sine de Três Corações.

Com a reestruturação da Sedese em 2015, a Central foi revitalizada com a adoção de nova metodologia, a fim de ampliar as oportunidades de trabalho para profissionais diaristas.
 
Novos municípios

Para replicar a experiência e garantir o atendimento à demanda em outros municípios que desejam implantar o serviço, a Sedese organizou, neste mês, mais um curso de “Multiplicadores para Ampliação da Central de Autônomos”, beneficiando duas turmas de servidores do Sistema Nacional de Emprego (Sine).

A primeira capacitação aconteceu nos dias 7 e 9 de novembro, com servidores do Sine de Brumadinho, Barão de Cocais, Igarapé, Itabira, João Monlevade e Ribeirão das Neves. No caso de Brumadinho, os trabalhos já começaram: as inscrições para a Central foram abertas, e o treinamento para 50 diaristas será realizado nos dias 4 e 5 de dezembro.

Já a segunda qualificação foi realizada nos dias 21 e 23 de novembro, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, para profissionais de Ouro Branco, Ouro Preto e São João do Paraíso. Na capacitação, servidoras da Sedese apresentaram a Central de Autônomos aos outros municípios.

Representante do Sine de São João do Paraíso, cidade localizada a 758 km de Belo Horizonte, Dulcineia Matos participou do treinamento da Sedese e considera a Central uma oportunidade para os profissionais autônomos do município.

“A Central vai abrir portas para mais pessoas acessarem o mercado de trabalho, devido à atual crise e à dificuldade para encontrar trabalho formal. Além disso, serve para valorizar o trabalho das profissionais diaristas”, avalia.

Segundo o subsecretário de Trabalho e Emprego da Sedese, Antonio Lambertucci, a implantação da Central de Autônomos em outros municípios busca oferecer um novo serviço à população desses locais, contribuindo para a geração de renda nesse momento de crise e baixo número de empregos.
 
Benefícios para os dois lados

A diarista Célia Evarista, que trabalha como faxineira e auxiliar de serviços gerais, conta os benefícios que a Central trouxe a ela. “Minha situação melhorou 100%. Eu estava sem saber o que fazer depois de ter sido mandada embora, porque eu tinha comprado um lote e estava com dificuldade para pagar. Mas, por meio da Central de Autônomos, encontrei oportunidades para quitar minhas dívidas”, diz, destacando que o salário dela praticamente dobrou como diarista, saltando de um salário mínimo para cerca de R$ 1.800, dependendo da demanda.

Célia diz ainda que, após realizar os serviços, conseguiu até mesmo construir uma rede própria de clientes para trabalhar. “Agora, só entro em contato com a Central quando meus patrões estão viajando ou não podem contratar o serviço”, completa.

Na opinião da empregadora Fernanda Morais, que solicitou o serviço e decidiu mantê-lo, a Central de Autônomos merece ser incentivada. “Isso foi uma salvação pra mim, porque eu estava com dificuldade em encontrar uma pessoa confiável para deixar na minha casa. Mas a Central oferece um serviço seguro, pois, além do cadastro, a diarista passa por cursos de capacitação e também por avaliações”, afirma.
 
Central de Autônomos

Vinculada à Superintendência de Políticas de Empreendedorismo e Economia Popular Solidária da Sedese, a Central de Autônomos é um serviço que realiza a intermediação entre empregadores e profissionais diaristas – como faxineiras, lavadeiras, passadeiras, auxiliares de serviços gerais e cozinheiras.

“A nossa expectativa é melhorar essa articulação entre profissionais autônomos (lavadeiras, cozinheiras, auxiliares de serviços gerais, entre outros) com pessoas que necessitam dessa mão de obra”, afirma o subsecretário Antonio Lambertucci.

A Central busca promover a inclusão produtiva de pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio da qualificação social e profissional, assim como contribuir para a ampliação das oportunidades de trabalho.

Ainda segundo Lambertucci, a Central assegura a valorização dos trabalhadores autônomos. “Apesar de profissionais diaristas geralmente serem desvalorizados pelas pessoas, devido à remuneração e qualificação mais baixas, eles prestam serviços fundamentais para a sociedade. Então, com a capacitação, esses trabalhadores podem elevar o nível profissional deles, e, assim, conseguir salários maiores”, finaliza.

Para se cadastrar na Central, o profissional interessado deve entrar em contato com a Sedese e participar do curso de “Competências Profissionais e Sociais para Diaristas”, a fim de aprimorar o serviço prestado. Entre os assuntos abordados na formação, estão dicas de comportamento, ética profissional, relações interpessoais e comunicação, como administrar o tempo, etc.

Já o empregador que tiver interesse em solicitar um dos serviços oferecidos, basta contatar a Central e se cadastrar no sistema. Feito isso, a Sedese indicará um profissional diarista de acordo com a demanda. O empregador terá todas as informações sobre o profissional indicado, podendo aceitar ou não a sugestão da Central.

Em Belo Horizonte, os profissionais diaristas recebem, em média, R$ 100 para 8 horas de trabalho. No interior, esse valor é um pouco menor, dependendo da demanda e da realidade do mercado de trabalho. Já os patrões têm que fornecer dois vales-transporte.  A alimentação fica a critério do contratante, podendo ou não fornecer o almoço e o lanche.
 
Contato das Centrais de Autônomos
Belo Horizonte: Telefone (31) 3916-9077 | E-mail [email protected]
Betim: Telefone (31) 3594-5286 | E-mail [email protected]
Patrocínio: Telefone (34) 3831-6090 | E-mail [email protected]
Três Corações: Telefone (35) 3691-1165 | E-mail [email protected]


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »