18/02/2018 às 17h03min - Atualizada em 18/02/2018 às 17h03min

52% dos leitores acham que o melhor para Leopoldina são várias empresas de pequeno porte

Os leitores que optaram pela atração de empresas de grande porte para Leopoldina totalizaram 48%

João Gabriel Baia Meneghite e Luiz Otávio Meneghite
Municípios pequenos como Leopoldina têm sido opção de destino para alguns segmentos de empresas, que observam características como potencial de crescimento, de consumo, turístico, PIB per capita, instalações de universidades e investimentos públicos de infraestrutura, entre outros indicadores. Algumas das motivações são as vantagens como investimento menor e retorno mais rápido, salário menor, além de atuarem dentro de um território hipoteticamente com baixa concorrência. 
 
Consumidores comemoram a vinda de grandes varejistas, elencando pontos positivos como variedade e outros aspectos mercadológicos que influenciam o preço praticado no mercado local, pois com grandes contratos, possibilitam comprar mais barato, além de terem uma estrutura logística robusta e os custos são infinitamente menores do que os empreendedores locais.
 
Por outro lado, defensores de uma economia local forte, cujo objetivo é fazer com que o dinheiro circule na cidade, veem com naturalidade esse fenômeno da chegada de grandes varejistas, mas pontuam questões negativas que influenciam no fechamento de portas de pequenos empreendedores, que em muitos casos, investe o seu dinheiro comprando de fornecedores do município, fomentando a economia local, influenciando na geração de empregos. 
 
Há exemplos que empreendedores que começaram com um pequeno capital e com o passar dos anos, construíram grandes patrimônios, evidenciando o seu empreendimento além das fronteiras, levando o nome de Leopoldina junto.
 
Muitas das vezes, a população deixa de prestigiar o comércio local, pagando mais caro em alguns produtos, só pelo fato de estar comprando numa loja renomada. 

Enquanto órgão de imprensa livre e comprometido com as coisas positivas do município, o jornal Leopoldinense tem procurado focar seu conteúdo em coisas boas que possam gerar resultados que reflitam no crescimento ordenado da cidade. O slogan “A consciência crítica da cidade”, criado pelo saudoso jornalista e um de seus fundadores, José Barroso Junqueira, tem sido seguido à risca.

Publicamos matérias jornalísticas que em sua maioria mostram uma cidade bonita, ordeira e ansiosa por melhorias com críticas transmitidas por seus leitores em mensagens enviadas à redação ou em manifestações através das enquetes promovidas pelo jornal cujos resultados são avaliados e publicados tanto na versão online quanto na impressa.

São críticas que buscam resultados em ações das autoridades legalmente constituídas que poderão resultar em melhor qualidade de vida de seus habitantes, sempre acreditando no velho ditado popular que diz: “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”.

Há poucos dias, algumas pessoas festejaram a vinda de uma grande loja de cadeia nacional para a cidade. A expectativa criada com o anúncio de sua chegada foi o da geração de dezenas de empregos. Ao que tudo indica, houve uma certa frustração, na medida em que se constatou que os postos de trabalho criados ultrapassaram pouco mais de uma dezena. Também se constatou que a sua chegada pode resultar no fechamento de algumas pequenas lojas que não aguentarão o peso da concorrência. São pequenas empresas tocadas por famílias com poucos postos de trabalho, mas que somados representam muito mais que os empregos criados pela grande loja que possui histórico de vendas pela internet.

Teme-se que a situação se agrave para os pequenos empresários, com a possível vinda de outras duas grandes lojas, também de cadeia nacional, que já estão com olheiros à procura de pontos estratégicos no centro de Leopoldina. Teme-se também que cresça o número de espaços comerciais com os anúncios: Aluga-se ou Passa-se este ponto, o que já pode ser constatado nos dois shopping’s locais e nas principais vias comerciais do centro da cidade.

Outro ponto a ser observado é o impacto que causa o fechamento de uma grande empresa numa cidade pequena como Leopoldina e o fechamento de uma pequena empresa. Recorde-se que há bem pouco tempo tivemos fechados centenas de postos de trabalho como a desativação do tão festejado CD da Zema e da Aurora Têxtil, apenas para citar os mais recentes.

Assim, de olho no interesse maior dos 53 mil habitantes de Leopoldina, o jornal Leopoldinense submeteu à votação de seus leitores a seguinte enquete:

O que é melhor para Leopoldina: uma empresa de grande porte ou várias de pequeno porte?
O resultado você confere no infográfico abaixo:

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »