28/02/2018 às 14h31min - Atualizada em 28/02/2018 às 14h31min

Servidores da Saúde de Minas fazem paralisação e pedem cumprimento de promessas

As reivindicações se concentram no tratamento igualitário a servidores de outros órgãos e ao não cumprimento de promessas.

Os servidores da GRS-Leopoldina também paralisaram atividades
As maiores manifestações das últimas décadas estão acontecendo na Cidade Administrativa e nas 28 Unidades Regionais de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) inclusive Leopoldina/MG. As reivindicações se concentram no tratamento igualitário a servidores de outros órgãos e ao não cumprimento de promessas. 
 
Três eixos principais:

Ø Ajuda de custo em valor diário não inferior a R$105,00 como o Meio Ambiente recentemente conseguiu para todos servidores de lá, até por uma questão de ISONOMIA;

Ø Cumprimento da promessa das 30 horas;

Ø Reajuste inflacionário de todo período (desde 2015 até 2018), pois é um DIREITO CONSTITUCIONAL!
 
A concessão deste benefício não gera impacto na Lei de Responsabilidades Fiscais (LRF), como explica um servidor.  “A ajuda de custo não é caracterizada como abono nem gratificação. Portanto, não é incluída na Lei de Responsabilidade Fiscal. Além disso, há uma peculiaridade na saúde: Como servidores do Sistema Único de Saúde de Minas Gerais (SUS/MG), os gastos poderiam ser incluídos nos 12% a serem nos gastos em saúde, conforme Constituição da República”
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »