03/04/2018 às 09h53min - Atualizada em 03/04/2018 às 09h53min

Direção da Casa de Caridade Leopoldinense discute cirurgias eletivas com vereadores

Ele disseram que para aderir ao movimento é importante ter pontualidade com os pagamentos e que a proposta cubra os custos hospitalares.

Direção da Casa de Caridade Leopoldinense discute cirurgias eletivas com vereadores
Diante do posicionamento da Câmara Municipal de Leopoldina no sentido de se empenhar para solucionar o problema de cirurgias eletivas que estão paralisadas no município, inclusive com a realização de uma audiência pública, representantes da Casa de Caridade Leopoldinense estiveram reunidos com os vereadores para discutir o problema.

O encontro aconteceu no dia 28 de março na sede do Legislativo, com as presenças de Vera Maria do Valle Pires – Provedora do Hospital, Wolney Aguillar – Administrador Financeiro e Dra. Hellen Bedim Bonin – Diretora Técnica. A Câmara Municipal esteve representada por Darci José Portella, Ivan Nogueira, Waldair Barbosa Costa, Jacques Villela, Hélio Batista Braga de Castro, Rogério Campos Machado, José Augusto Cabral, Kélvia Raquel, Sebastião Geraldo Valentim e José Ferraz Rodrigues.

Os representantes da Casa de Caridade confirmaram a intenção de aderir ao movimento, mas salientaram que é importante ter pontualidade com os pagamentos. Eles informaram que o Hospital participou de alguns mutirões promovidos pelo Estado nos últimos anos e os pagamentos não foram feitos ou ocorreram com atraso. 

Houve o esclarecimento de que o Hospital nunca se negou a participar dos mutirões e que, recentemente, não foi feita nenhuma proposta à Casa de Caridade e optou-se por colocar um caminhão na praça para realizar cirurgias de cataratas.

Segundo a Dra. Hellen, os médicos estão dispostos a ajudar e que é preciso apresentar uma proposta que atenda aos interesses do Hospital, cobrindo pelo menos os custos hospitalares, pois a Casa de Caridade Leopoldinense não tem condições de arcar com as despesas decorrentes da realização das cirurgias.

Wolney Aguillar relatou que alguns hospitais da região não estão aderindo a esse tipo de movimento e que, em Leopoldina, a Casa de Caridade está disposta a ajudar, realizando cirurgias de vesícula e hérnia, seguindo a lista de espera do SUS.

Em seguida, os vereadores fizeram alguns questionamentos e salientaram que a junção de esforços entre os Poderes Legislativo e Executivo será importante para encontrar uma solução que atenda a uma significativa parcela da população que espera por um procedimento cirúrgico há muito tempo.

Fonte> Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »