29/06/2018 às 14h17min - Atualizada em 29/06/2018 às 14h17min

Câmara de Leopoldina realiza Plenária Municipal do Parlamento Jovem 2018

Entre as sugestões aprovadas, a criação de casas para acolhimento das vítimas de violência e formação de grupo de trabalho de prevenção à violência nas escolas públicas.

Jovens discutem a violência duante o Parlamento Jovem
Alunos e professores de escolas de Leopoldina participaram, no último dia 26, da Plenária Municipal do Parlamento Jovem 2018. Durante o evento, realizado na sede da Câmara Municipal, sete propostas sobre o tema “Violência contra a Mulher” foram aprovadas e serão apresentadas na etapa regional do projeto, que ocorrerá em Matias Barbosa.

A sessão de abertura do evento foi presidida pelo vereador Ivan Nogueira e contou com a presença dos parlamentares Waldair Barbosa Costa e Kélvia Raquel, além do professor Sidilúcio Barbosa Senra – Diretor da Superintendência Regional de Ensino, Benedita do Rosário Alves Resende – Diretora da Escola Estadual Sebastião Silva Coutinho, além de vice-diretores, professores e monitores das escolas inscritas no projeto.

O município de Matias Barbosa, sede do Polo Regional do PJ, esteve presente com vinte estudantes, acompanhados pelo Presidente do Legislativo, Carlos Alberto de Almeida que, ao final da plenária, cumprimentou os estudantes de Leopoldina através de uma mensagem de reconhecimento e incentivo.

As propostas apresentadas pelos estudantes foram divididas entre os três subtemas: Violência Doméstica e Familiar, Violência nos Espaços Institucionais de Poder e Violência e Assédio Sexual. Também foi aprovado como sugestão de tema para o próximo ano “Aprofundamento dos estudos das culturas locais – antropologia”. O documento contendo as sete propostas será encaminhado ao Polo Regional de Matias Barbosa.

PROPOSTAS APROVADAS:

SUBTEMA 1: VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR

1- Instituir, em todos os municípios, casas específicas para acolhimento das vítimas de violência e implementar dispositivos junto ao Poder Judiciário visando priorizar o atendimento às mulheres, principalmente em relação à agressão patrimonial.

2- Criar um grupo de trabalho multidisciplinar de prevenção à violência contra as mulheres dentro das escolas públicas, onde haja esclarecimentos e apoio com profissionais da área de pedagogia, assistentes sociais e psicólogos, para monitorar o comportamento de crianças que possam estar sendo vítimas de violência doméstica ou mesmo presenciando a violência contra a mulher. 

SUBTEMA 2: VIOLÊNCIA NOS ESPAÇOS INSTITUCIONAIS DE PODER

1- Fomentar a capacitação de profissionais nas polícias civis e militares para atendimento às vítimas de violência em todas as cidades, objetivando a humanização dos atendimentos e a desmistificação da culpabilização e da ridicularização da própria vítima.

2- Disponibilizar acesso às informações sobre assédio sexual por meio de palestras e projetos em empresas e acompanhamento para resolver possíveis penas a casos já ocorridos.

SUBTEMA 3: VIOLÊNCIA E ASSÉDIO SEXUAL

1 - Promover campanhas nas escolas e bairros, através do serviço social do município, demonstrando o que é o assédio, como afeta físico e psicologicamente às vítimas e por que é considerado um crime, a fim de esclarecer a população sobre a gravidade do ato e também para incentivar as mulheres a realizarem as denúncias.

2 - Trabalhar a cultura do machismo nas escolas públicas, utilizando os temas transversais, desde o início do ensino fundamental I, para que haja mudanças culturais e reduza o número de violência contra as mulheres.

3 - Tornar obrigatória, em cidades com 20 mil habitantes ou mais, a criação de uma delegacia da mulher e CRAS conveniados com instituições hospitalares e educacionais a fim de tratar físico e psicologicamente a vítima e o agressor.

Fonte> Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »