03/08/2018 às 19h08min - Atualizada em 03/08/2018 às 19h08min

Falta manutenção nos espaços esportivos e de lazer de Leopoldina

Sistema de mutirão poderia ser melhor aproveitado pela prefeitura.

João Gabriel B. Meneghite
Quadra da Praça Aurélia Gonçalves Assis, nos Pirineus é uma das dezenas de espaços esportivos que necessitam de manutenção.
A precariedade de quadras poliesportivas no município de Leopoldina é notória nos bairros e distritos, sendo um problema que necessita de intervenções do Poder Público. Em diversas situações, a Prefeitura Municipal de Leopoldina informa que os recursos são escassos, devido à crise financeira, sofrendo com a falta de repasses para atender todas as demandas da população.

No entanto, a julgar por algumas imagens registradas por nossa reportagem e pelas reclamações nas redes sociais, algumas manutenções simples poderiam amenizar a angústia de muitos usuários que utilizam esses espaços.

Recentemente, um vídeo viralizou nas redes sociais, mostrando crianças e adolescentes com pás, enxadas e carrinho de mão limpando a quadra poliesportiva do Bairro Eldorado. Com o objetivo de alertar as autoridades, os jovens demonstraram os problemas e pedem mais atenção para o local.


Na quadra da Praça Carlos Luz Meneghite, localizada no bairro Cohab Velha, a garotada improvisou uma trave com um pedaço de pau. Além disso, as grades precisam de manutenção e parte do muro está quebrado.

Na Praça Aurélia Gonçalves Assis, no Bairro Pirineus, também existe uma quadra em péssimas condições. As paredes estão derrubadas em diversos pontos e as grades em péssimas condições.

No Bairro Roque Schettino, o popular ‘Limoeiro’, crianças jogam futebol no trevo de ligação da BR116 e MG120, correndo risco de vida. Apesar de terem uma quadra com suas precariedades, um campo de futebol nos vastos terrenos do bairro, seria bem-vindo para a garotada que gosta de jogar em um gramado.

Esses espaços esportivos são alguns dos vários exemplos existentes na cidade e nos distritos que estão abandonados. Cansados de esperar, a própria comunidade está se mobilizando para limpar e consertar esses locais, dentro de suas possibilidades. Um exemplo disso, foi uma demonstração de jovens e crianças do bairro Eldorado. Após divulgarem o vídeo nas redes sociais, um voluntário propôs custear a solda de uma das traves.

No distrito de Ribeiro Junqueira, o voluntário Julius Cesar reuniu pedreiros, pintores, entre outras pessoas para uma mobilização. Com recursos próprios, ele comprou tinta e conseguiu sensibilizar a comunidade para participar do mutirão.  
O prefeito José Roberto de Oliveira divulgou em seu perfil no Facebook que após a operação tapa buracos, a prefeitura vai dar início a reformas de quadras, com recursos do próprio Município. Ele salientou que convive com uma das piores crises da história, sendo agravada a situação com a falta de repasses do Governo do Estado de Minas Gerais, causando um grande prejuízo aos cofres públicos.

Sistema de mutirão poderia ser melhor aproveitado pela prefeitura.

No final da década de 1980 e início da década de 1990, a APIL – Associação das Pioneiras de Leopoldina, a Prefeitura Municipal de Leopoldina e a comunidade construíram o bairro Serra Verde no sistema de mutirão. Naquela ocasião, participaram da mobilização voluntários de entidades, os moradores e servidores públicos municipais - um exemplo de gestão participativa, gestão de custos, e, o principal, a população ajudando e sendo mais solidária com a sua cidade.

Mutirão para construção do Bairro Serra Verde.

No atual cenário, existem poucos altruístas em nossa sociedade. Muitas pessoas deixam de ajudar e incentivar o sistema de mutirão, entendendo que a preservação deve ser obrigação exclusiva do Poder Público.

Por outro lado, a prefeitura não aproveita em muitas ocasiões, as iniciativas de mutirões existentes no município, desanimando os poucos incentivadores desses movimentos, que são essenciais para a construção participativa de uma sociedade melhor.

Um projeto criado na Câmara Municipal de Leopoldina visa estimular o sistema de mutirões, mas, para dar certo e não ficar apenas no papel, é preciso sensibilizar a sociedade quanto a importância de sua participação.

Denominado “Meu bairro bem cuidado”, o seu objetivo é desenvolver grandes ações entre população, lideranças comunitárias, Poder Executivo Municipal, empresas e organizações não governamentais, visando à valorização dos bairros da cidade.

Segundo o autor, Vereaador Waldair Barbosa Costa, a ação poderá virar Lei, que tem como diretriz a ênfase em atividades coletivas e preventivas de saúde e qualidade de vida, tais como limpeza de quintais e terrenos baldios, pintura de meio-fio, sinalização de vias e faixas de pedestres, troca de lâmpadas queimadas, limpeza de praças e campos de futebol, manutenção de vias públicas. Além disso, o programa também disponibilizará palestras e seminários com temas voltados à saúde e ao bem-estar dos munícipes.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »