13/09/2018 às 14h45min - Atualizada em 13/09/2018 às 14h45min

Vereadores recebem informações técnicas sobre obra de saneamento básico na bacia do Jacaréacanga

Engenheiro e Assistente Social explanaram detalhes sobre a obra e o projeto sócio ambiental, esclareceram dúvidas e ouviram sugestões dos vereadores.

A Assistente Social Cíntia Iennaco de Moraes e o Engenheiro Washington Teodoro Rodrigues
Em atendimento ao Requerimento nº 24/2018, de autoria do vereador Hélio Batista Braga de Castro, esteve presente na reunião ordinária da Câmara Municipal, realizada na terça-feira, 11 de setembro, o engenheiro Washington Teodoro Rodrigues, representante da Empresa Infracon Engenharia que está realizando obra de saneamento básico no Córrego Jacareacanga.

Com a concordância do plenário, foi autorizada também a participação da Assistente Social, Cíntia Iennaco de Moraes, integrante da Secretaria Municipal de Assistência Social. O autor do requerimento explicou que o objetivo é dar oportunidade para que os convidados possam explanar detalhes sobre a obra, tais como estrutura, tempo de duração, impactos sociais.

Inicialmente, Washington Teodoro Rodrigues explicou que se trata de uma obra de grandes dimensões, que irá engrandecer o município, principalmente na área ambiental. Ele comentou que a obra tem estrutura de concreto armado que receberá toda a carga de esgoto do município num interceptor que encaminhará o material para tratamento. O engenheiro narrou de maneira objetiva todo o processo ao qual será submetido o esgoto na Estação de Tratamento e seu retorno ao leito do córrego com 90 a 95% de pureza.

Sobre os danos que estão sendo causados no local, principalmente em relação a calçamento e asfalto, Washington Teodoro Rodrigues informou que a empresa tem procurado gerar o mínimo possível de dano, garantiu que o município está sofrendo minimamente com o impacto das obras e esclareceu que não é responsabilidade da empresa a recomposição de asfalto. Segundo ele, a parte física da obra tem duração de 24 meses, com previsão de término em dezembro de 2019, sendo que a estação de tratamento será concluída antes desse prazo.

Cíntia Iennaco de Moraes explicou que qualquer atividade financiada pelo Ministério das Cidades, na modalidade de PAC, é obrigatório que seja acompanhada por um trabalho social, pois não adianta fazer uma obra física, que vai impactar toda a população, sem que as pessoas sejam conscientizadas sobre o que está acontecendo. Ela comentou que o projeto sócio-ambiental, desenvolvido na Secretaria Municipal de Assistência Social, elegeu o lixo como prioridade e teve início antes das intervenções físicas, com uma duração de 27 meses.

A assistente social destacou o entrosamento entre os integrantes do projeto e os representantes da empreiteira que possibilita visitar a população residente nos trechos antes da chegada das obras, com o objetivo de orientação e distribuição de material educativo.

Cíntia Iennaco salientou que o projeto sócio-ambiental, que completa dez meses em setembro, não pode ficar sem ser feito, sob pena de prejudicar o andamento da obra física. Ela informou que, neste período, foi feito um trabalho de articulação com as lideranças dos bairros Tomé Nogueira, Condomínio Verônio Barbosa e São Sebastião, através de reuniões itinerantes e divulgação nas escolas, comércios e unidades de saúde. Ao final, disse que ficava satisfeita com o reconhecimento do Governo Federal sobre a importância desse trabalho social junto à população que será impactada com a obra.

Em seguida, Washington Teodoro Rodrigues e Cintia Iennaco de Moraes responderam aos questionamentos dos vereadores que solicitaram outros esclarecimentos e apresentaram sugestões aos convidados.

Fonte> Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »