31/01/2019 às 10h22min - Atualizada em 31/01/2019 às 10h22min

Professor de Leopoldina está em Singapura para conhecer sistema de educação do país

Fundação Lemann promove troca entre pessoas que trabalham para a melhoria da educação pública no Brasil com lideranças do sistema educacional de Singapura

O jovem professor leopoldinense João Paulo Araujo
Um grupo de brasileiros que trabalha com educação no Brasil está em Singapura, na Ásia, com objetivo de aprender sobre diferentes aspectos do sistema educacional do país, que lidera rankings mundiais de resultados de aprendizagem, como o Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). A experiência é promovida pela Fundação Lemann, organização não-governamental sem fins lucrativos que trabalha com educação e desenvolvimento de lideranças.
 
Entre os profissionais que se encontram em Singapura, o jovem professor leopoldinense João Paulo Araújo é o único mineiro a integrar o time de especialistas em educação, em missão ao país.
 
Segundo informações da Assessoria de Imprensa da Fundação Lemann, o principal objetivo é conhecer iniciativas desenvolvidas em Singapura, assim como estabelecer relações com os representantes de educação do país, viabilizando o aprendizado e a troca de experiências. Há também uma grande expectativa para saber mais sobre as políticas de formação de professores, uma vez que ela é essencial para a implementação de políticas educacionais nacionais, como a Base Nacional Comum Curricular. A agenda de sete dias inclui visitas a órgãos do governo, escolas inovadoras, startups e iniciativas da sociedade civil, além de momentos para consolidar aprendizados e pensar em possíveis aplicações na educação brasileira.
 
Segundo João Paulo Araújo, a experiência está sendo muito enriquecedora, “estamos observando de perto como funciona o sistema educacional de Singapura, principalmente no que tange à formação de professores, e isso tem nos proporcionado um aprendizado muito grande”. O professor ainda acrescenta que estão cientes das diferenças existentes no que tange à realidade de cada país, mas que estão estudando muito, pensando e discutindo como casos de sucesso de Singapura podem inspirar o Brasil.
 
De acordo com João Paulo, “estamos ainda no meio da agenda que foi programada e já visitamos Governo, Universidades, Escolas e Startups, o que tem possibilitado ter uma visão sobre o sistema educacional de Singapura sob várias perspectivas”.
 
Quem participa

Os dezenove participantes da viagem fazem parte da rede de líderes da Fundação Lemann, que visa conectar e oferecer oportunidades a pessoas comprometidas com a resolução de desafios na educação do país. Estão no grupo professores e diretores de escolas, gestores públicos, especialistas em formação de professores e empreendedores de diferentes regiões do país. Eles trabalham com Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, além de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

 
Organizações que estão sendo visitadas:

● National University of Singapore (Universidade Nacional de Singapura);
● National Institute of Education (Instituto Nacional de Educação do Ministério da
Educação), único órgão responsável pela formação de professores em todo o país,
● Embaixada do Brasil em Singapura;
● Institute of Technical Education (Instituto de Ensino Técnico);
● Escola Politécnica de Singapura;
● Farrer Park Primary School (Escola Primária Farrer Park);
● Fairfield Methodist School (Escola Metodista Fairfield);
● Startup KooBits;
● Startup Neeuro;
● Startup Mindscratcher;
● Startup I Can Read;
● Educare, cooperativa de professores.
 
Com a colaboração de Ana Cristina Miranda Fajardo, da ALLA-Academia Leopoldinense de Letras e Artes

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »