26/03/2019 às 11h12min - Atualizada em 26/03/2019 às 11h12min

Divida do Estado com a Prefeitura aumenta e situação crítica leva Prefeito a ‘Cortar na Própria Carne’

Chefe do Poder Executivo confirma que não dará aumento salarial aos servidores municipais de Leopoldina.

O Prefeito José Roberto comunicou sua decisão a todo o Secretariado
Iago Geraldo Xavier (*)
 
Devido à grande crise que ainda enfrenta o Estado, onde sua dívida com os municípios mineiros atinge R$ 13,2 bilhões de reais, as prefeituras de Minas Gerais vêm tendo que se desdobrar para que as contas básicas estejam em dia. Leopoldina, diferente de muitos outros municípios que já se encontram em situação desesperadora, ainda consegue, no mínimo, manter em dia o salário dos funcionários públicos.
 
Observando o lastimável estado de calamidade em que nos encontramos, informa-se que não poderá ser feito reajuste salarial de nenhum dos funcionários que atuam hoje na Prefeitura Municipal pois o foco maior é manter pelo maior período de tempo os salários em dia.


 
“Não podemos aumentar o salário e correr o risco de não conseguirmos pagar. O funcionalismo público representa uma parte considerável da economia do município e deixar de realizar os pagamentos seria algo incabível”,  relatou o prefeito José Roberto de Oliveira. ”Logo, visando o cumprimento de nossas obrigações, o salário mais uma vez não será reajustado”, completou o prefeito.
 
A dívida do Estado de Minas com o Município hoje encontra-se em R$ 23.707.061,28. Com o intuito de economizar o máximo possível, a Prefeitura de Leopoldina reorganizou até seu horário de funcionamento que passou a ser integral apenas para serviços essenciais. O Prefeito José Roberto, que fez questão de lembrar que nos anos de 2017 e 2018 também não houve aumento para Secretários e Prefeito. 
 
(*) Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Leopoldina
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »