12/05/2019 às 15h47min - Atualizada em 13/05/2019 às 13h26min

Tião Três Cruzes solicita a construção de capela mortuária na parte superior do cemitério

O vereador comentou ainda que conversou com empresários do segmento funerário e muitas pessoas que passaram por essa dificuldade, constatando essa necessidade.

João Gabriel Baia Meneghite
O vereador chama a atenção para as dificuldades de acesso e o mato alto (Foto: João Gabriel Baía Meneghite -12/05/2019)
O Cemitério Público já existe desde 1880.  Passou a ser denominado de ‘Nossa Senhora do Carmo’ a partir da Lei Municipal nº 96, de 18 de fevereiro de 1950.

Nos distritos, existem outros campos-santos, mas, na cidade, é o único local para sepultamentos. Até a década de 1980 era comum às famílias velarem os mortos em residências e depois seguirem em cortejos fúnebres pelas ruas da cidade até o cemitério. Mas, esse hábito mudou após a construção da Capela Mortuária, em 1985, pelo Lions Clube Leopoldina. Desde então, vários velórios são realizados simultaneamente, num espaço amplo e apropriado, com capacidade para receber um bom público.

Com o passar dos anos, houve um crescimento do número de túmulos na parte alta do cemitério, cuja área está num morro íngreme, dificultando o acesso de muitas famílias. Apesar da construção de novos acessos, subir o morro não é fácil, principalmente para as pessoas com mobilidade reduzida, a exemplo dos idosos – que, muitas das vezes, deixam de comparecer ao ato do sepultamento, por causa do longo trajeto morro acima.

Por isso, o vereador Sebastião Sebastião Geraldo Valentim, o Tião das Três Cruzes, apresentou uma indicação nº 41/2019 sugerindo ao prefeito José Roberto de Oliveira, a construção da capela no referido local.

O vereador comentou ainda que conversou com empresários do segmento funerário e muitas pessoas que passaram por essa dificuldade, constatando  essa necessidade.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »