31/05/2019 às 11h17min - Atualizada em 31/05/2019 às 11h17min

49% dos leitores do Leopoldinense, fumantes, disseram que têm vontade de parar de fumar

A Secretaria Municipal de Saúde mantém no Pólo Agostinho Pestana, um programa específico para quem deseja parar de fumar e os casos de êxito já são muitos.

Luiz Otávio Meneghite
Certa feita, quando apresentava o Jornal Leopoldinense no Ar, pela Rádio Jornal Leopoldina, a Dra Célia Teixeira de Almeida, que mantinha um quadro fixo do programa às quintas-feiras, surpreendeu a todos ao revelar que na fumaça do cigarro existem cerca de 4,7 mil substâncias nocivas. Ao pedir a ela para detalhar a informação, a surpresa aumentou quando ela disse que ao todo, o número de substâncias pode chegar a mais de 8 mil se também forem considerados os compostos presentes na folha do tabaco e os aditivos industriais que são inseridos artificialmente no cigarro em vários aspectos, como dar sabor e aroma mentolados ao fumo, diminuir a irritação, tornando a fumaça mais palatável e potencializar os efeitos da nicotina.

Aquela revelação da conceituada profissional médica, que mantém seu consultório na Avenida Getúlio Vargas nº 345, nunca me saiu da mente e certamente contribuiu mais à frente para que eu deixasse de fumar já se vão 12 anos. Foi preciso que tivesse uma crise hipertensiva com a pressão aferida em 25 x 10 e fosse internado na Casa de Caridade Leopoldinense em observação e tratamento por 24 horas sob os cuidados do cardiologista Dr. Antonio Carlos Berno.

Ao me dar alta no dia seguinte ele fez algumas recomendações na presença de dois dos meus cinco filhos. A primeira foi a que eu parasse de fumar; a segunda que eu mudasse os hábitos alimentares e a terceira que eu começasse a praticar caminhadas. Adotei todas as recomendações e seis anos mais tarde também deixei a cervejinha dos finais de semana. Claro que a minha vida melhorou sob vários aspectos.

O que Leopoldina oferece a quem quer parar de fumar

Em Leopoldina as ações educativas se unem aos grupos de apoio e tratamento que ocorrem nas Unidades de Saúde da Família. Os grupos são formados de acordo com a necessidade de cada bairro do município. Desde 2012 vários grupos já foram formados com estatísticas que superam as expectativas para o Programa.

A equipe formada por farmacêuticos, dentistas, enfermeiros, psicólogos, educadores físicos, médicos e toda equipe do NASF e Saúde da Família realizam sessões com pacientes que desejam parar de fumar. A abordagem é dinâmica e quando julgam necessário são utilizados medicamentos para auxiliar o paciente. O uso de medicamentos tem um papel bem definido no processo de cessação do tabagismo, que é o de minimizar os sintomas da síndrome de abstinência à nicotina, facilitando a abordagem intensiva do tabagista. Os medicamentos disponibilizados pelo Ministério da Saúde para o tratamento do tabagismo pelo SUS são adesivos para reposição de nicotina, goma de mascar e pastilha, e o Cloridrato de Bupropiona.

A Secretaria Municipal de Saúde, a Prefeitura Municipal, Equipes do NASF, Saúde da Família e Assistência Farmacêutica estão unidas nesta causa e se não consegue parar de fumar sozinho procure informações mais detalhadas na Unidade de Saúde mais próxima à sua residência. A Secretaria Municipal de Saúde mantém no Pólo Agostinho Pestana, um programa específico para quem deseja parar de fumar e os casos de êxito já são muitos.

Um link para dar os primeiros passos: https://saudebrasilportal.com.br/eu-quero-parar-de-fumar/quer-parar-de-fumar-tres-metodos-diferentes-para-escolher

Com informações de Josete Amadeu Almeida Lavorato/Referência Técnica em Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Leopoldina - MG

O Jornal Leopoldinense disponibilizou aos seus milhares de leitores a seguinte enquete: Você que é fumante já fez alguma tentativa de parar de fumar? O resultado pode ser conferido no infográfico abaixo:

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »