05/07/2019 às 16h21min - Atualizada em 06/07/2019 às 17h00min

Debate sobre turismo visa união e articulação com diversos setores em Leopoldina.

O evento foi realizado na sede da Associação Comercial de Leopoldina, reunindo membros de entidades e representantes de diversos segmentos da sociedade.

João Gabriel Baia Meneghite

A Associação Comercial de Leopoldina em parceria com o Sebrae, querem integrar uma rede de pessoas e representantes de diversos segmentos da sociedade para uma mobilização que vise trilhar caminhos para o progresso.

A iniciativa culminou na implantação de um programa denominado ‘Oficina do Futuro’, que reuniu uma equipe multidisciplinar durante quatro meses para identificar e refletir sobre os potenciais do município, sugerindo propostas em diversas áreas.

Com isso nasceu à idéia de realizar em Leopoldina o 1º Fórum de Turismo, que faz parte de um dos vários eixos temáticos dos trabalhos realizados por integrantes do programa.

O evento foi realizado na noite desta quinta-feira, 04 de julho de 2019, no Salão Nobre Brahim Elias Sleiman, sede da Associação Comercial de Leopoldina, reunindo membros de entidades e representantes de diversos segmentos da sociedade.

Representando o Sebrae, esteve presente Marco Antônio de Mendonça (foto), que destacou a economia criativa e turismo como os setores que mais crescem no mundo. Ele elencou pontos fortes de Leopoldina, mas alertou que é preciso uma preparação para transformar esse potencial em realidade.

Marco Antônio de Mendonça
Concluiu que é preciso ter envolvimento de diversos setores para transformar a cadeia de serviços, preparando a sociedade como um todo. Elogiou o movimento realizado pela Oficina do Futuro e disse ser um plano de ação muito positivo para proposição de soluções que visem aperfeiçoamento e melhorias em diversas áreas.

O presidente da Associação Comercial de Leopoldina Jairo Seoldo ficou muito contente com o número expressivo de participantes, destacando a importância do turismo para um município. "O turismo é uma indústria muito valiosa, estamos abraçando o projeto com muita animação".

Ele comentou também que a Associação Comercial de Leopoldina está passando por um processo de inovação em vários processos internos, com o objetivo de readequação das tarefas para enfrentar os novos desafios. Elogiou a Oficina do Futuro em suas diversas frentes de trabalho, como a sugestão apresentada pelo programa no eixo temático voltado a economia, que diz respeito ao Serviço de Inspeção Municipal (SIM), que permitiria a comercialização de produtos de origem animal nos mercados e beneficiaria muitos pequenos empreendedores de Leopoldina.

Jairo Seoldo.

Também expôs a complexidade da legislação do referido selo, sugerindo que a Prefeitura Municipal de Leopoldina disponibilize pessoas que simplifiquem as orientações para o pequeno produtor, com objetivo de inseri-los num mercado vantajoso para ampliação de vendas e, consequentemente, do negócio.

A gestora da ACIL Lilian Mônica Abrão Viana, divulgou que a Associação Comercial mapeou os eventos que acontecem em Leopoldina e região, para confecção de um calendário anual que será distribuído nos próximos dias.
Posteriormente se deu inicio ao debate que teve um formato interativo, com apresentações individuais sobre diversas temáticas e participação do público.

Kélvia Raquel (foto) foi uma das mediadoras e participou do projeto ‘Oficina do Futuro’. Ela salientou o potencial incrível que Leopoldina tem para atividades turísticas, com belezas naturais, arquitetônicas e diversidade cultural, possibilitando atividades que mostram um caminho para o desenvolvimento econômico do município.

Kelvia Raquel

 
Rodrigo Lacerda Sales , Coordenador do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação do Cefet, também mediou os debates e comentou sobre a importância do evento. Em sua avaliação, a primeira reunião demonstrou muito interesse das pessoas pela proposta, onde foi exibido cases de sucesso. “O próximo passo é nos aproximar ainda mais das pessoas que organizam os eventos e movimentos em Leopoldina com o objetivo de unir forças, engajando o setor público e privado”, comentou.
Rodrigo Sales

Sônia Maria Dias participa de programas e conselhos estaduais e federais relacionadas ao turismo. Ela já presidiu entidades como o Circuito Turístico Serras e Cachoeiras, além de prestar consultoria em diversas áreas. Em sua apresentação, falou sobre o conceito de um circuito turístico, o desenvolvimento e organização de atividades para atrair visitantes, além das articulações necessárias para tal. Sugeriu que o Plano Municipal de Turismo seja aperfeiçoado, com discussão e participação da sociedade.
Sônia Maria Dias
Rosângela Lima é pedagoga e já foi Secretária Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Leopoldina, além de Delegada Nacional de Cultura. Ela comentou sobre a importância do turismo como indutor de desenvolvimento econômico, da importância dos espaços culturais existentes na cidade, principalmente sobre o Espaço dos Anjos, casa onde morou o poeta paraibano Augusto dos Anjos que atualmente funciona como um museu, onde são expostos alguns de seus objetos pessoais. Além disso, Rosângela comentou sobre a importância da Educação Patrimonial nas escolas para recuperação da identidade de Leopoldina.


Martinho Luthero de Souza Junior é professor acadêmico do Curso de Administração de Empresas das Faculdades Doctum de Leopoldina e apresentou um estudo feito pelos alunos e coordenado pelos professores Luciano Faria e Sérgio Nogueira sobre o perfil, comportamento e percepção dos visitantes que participaram do Encontro Nacional de Motociclistas, demonstrando resultados diversos sobre o evento e a cidade de Leopoldina. Luthero comentou que o papel da universidade neste aspecto é levar informações científicas que dêem condições de confirmar através de estudos científicos informações cruciais para o aperfeiçoamento do evento.
Martinho Luthero

Sobre o mesmo assunto, o especialista em turismo e gestor do Hotel Minas Tower, Victor Guilherme Pereira Fernandes, que faz parte da organização do Encontro Nacional de Motociclistas, apresentou um estudo de caso com diversos dados, estimando uma circulação de capital de R$787.500,00 em Leopoldina durante a realização do evento neste ano, elencando também informações sobre a geração de empregos temporários. Ele também falou sobre a importância da participação da sociedade para a formação de uma rede em diversos eixos e temáticas para efetivação de diversas ações da Oficina do Futuro.
Victor Guilherme
Paulo Cruz Martins Junqueira é diretor da Chácara do Desengano e já foi proprietário de uma pousada no interior paulista. Ele acumula uma vasta experiência no segmento de turismo rural, tendo sido secretário do Conselho Municipal de Turismo de Itatiba, presidente da Associação Paulista de Turismo Rural e membro do Conselho Estadual de Turismo de São Paulo. Em sua palestra, falou sobre a formação da Associação de Turismo Rural do Circuito das Frutas, entidade da qual foi vice presidente, ajudando a implementar ações para o desenvolvimento dessa união de produtores que hoje é uma potência naquela região e uma referência nacional de gestão assertiva do turismo rural.

Junqueira informou detalhes dos planejamentos implementados, a criação de uma carta de princípios como um instrumento de conduta dos proprietários rurais, que recebiam selos de classificações, que deveriam atingir um nível mínimo, para serem recomendadas para os turistas.

Ele recordou a luta para sensibilizar os legisladores sobre a importância do turismo rural, com objetivo de criarem legislações específicas para tributação do setor.  Também falou sobre o desenvolvimento dos produtos individuais e coletivos, de eventos, de hotéis fazendas e demais atividades relacionadas.

Segunda etapa do Fórum de Turismo de Leopoldina será realizada em setembro.

Recentemente, o Estado de Minas Gerais foi eleito o melhor destino para turismo e férias do Brasil, devido a diversos aspectos relacionados a belezas naturais como as arquiteturas de igrejas, casas coloniais, ruas de pedras, museus, montanhas, cachoeiras, entre outros.

São elementos que Leopoldina possui e podem ser explorados, com planejamento e articulação. Por isso, são necessários diversos encontros que possibilitem a discussão, envolvimento e organização das estratégias de curto, médio e longo prazo.

É o propósito do ‘Fortur’, o Fórum de Turismo de Leopoldina, que já agendou uma data para o segundo encontro, a ser realizado no dia 12 de setembro, com a formação de mesas temáticas relacionadas ao turismo em diversos segmentos, seja ele rural, de aventura, cultural, eventos, ecológico, entre outros.

Outro evento com data definida é o III Fórum de Desenvolvimento Econômico Regional, a ser realizado no dia 17 de outubro no Cefet Leopoldina, que também demonstrará os trabalhos da ‘Oficina do Futuro’, em seus diversos eixos.


 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »