11/10/2019 às 11h40min - Atualizada em 11/10/2019 às 11h40min

Autorizado o inicio das obras de descontaminação no município de Descoberto

Estudos realizados pela Feam, em parceria com a prefeitura de Descoberto e universidades da região, mostram que o solo foi afetado por mercúrio metálico.

Município de Descoberto ( Imagem de Glebson Oliveira de Assunção)
A Fundação Estadual do Meio Ambiente assinou, nesta quarta-feira, 9 de outubro de 2019, ordem de serviço junto ao Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais para início das obras de descontaminação em terreno situado em propriedade particular no município de Descoberto, na Zona da Mata. As obras terão início na próxima segunda-feira (14/10), com previsão de término em seis meses.

Estudos realizados pela Feam, em parceria com a prefeitura de Descoberto e universidades da região, mostram que o solo foi afetado por mercúrio metálico. O território, que fica na zona rural do município, inclui também uma Área de Preservação Permanente (APP). 

“Acreditamos que a contaminação se deu a partir da deposição de rejeitos provenientes de um garimpo que funcionou no local há cerca de um século. O material, provavelmente, foi enterrado, o que dificultou sua identificação”, explica o presidente da fundação, Renato Brandão. 

Obras

Para realizar as obras de remoção do solo contaminado e encaminhamento para um aterro de resíduos perigosos, foi contratada uma construtora terceirizada, por meio de licitação. O engenheiro civil Lucas Alves explica que a obra terá duas fases distintas. “Inicialmente, serão realizados os serviços preliminares que consistem na instalação da placa de obra, cercamento da área, sondagem e levantamento topográfico”, enumera. Após o período chuvoso, o material será retirado e isolado.

Atuação conjunta

As medidas de mitigação de danos, restrição de acesso e exposição de pessoas à área contaminada envolveram diversos órgãos públicos e entidades de pesquisa. O DEER-MG acompanhará as atividades da construtora, definindo prazos e supervisionando as ações propostas. Também participam das ações conjuntas a Gerência Regional de Saúde de Juiz de Fora, a COPASA, o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN) e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM).

Fonte>Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »