24/08/2014 às 19h00min - Atualizada em 24/08/2014 às 19h00min

Jornal comprova que programa Travessia, do governo mineiro, é uma farsa

Jornal O Estado de S. Paulo comprova o que os mineiros já sabem: os programas sociais do governo do estado só funcionam nas propagandas

Segundo jornal, os programas sociais do governo do estado só funcionam nas propagandas.

Belo Horizonte (24 de agosto) – O jornal O Estado de S. Paulo, um dos mais importantes do país, trouxe neste sábado, 23/8, matéria demonstrando que o programa Travessia, do governo do estado, não saiu do papel.

Segundo o jornal, que visitou no inicio de julho quatro cidades do norte de Minas e do Vale do Jequitinhonha que foram contempladas pelo Travessia, em apenas uma delas foram encontrados resquícios do programa.

O Estado de S. Paulo esteve em Bonito de Minas, Pedras de Maria da Cruz, Lontra e Mirabela, municípios do Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha.

Em São Sebastião do Catulé, área rural de Bonito de Minas, o único legado do programa foi um campo de futebol sem grama. Em Bonito de Minas, segundo o jornal, foram aplicados R$ 400 mil em 2009, que estão sob investigação do Ministério Público (MP) por suspeita de superfaturamento.

Em Água Doce, também na região de Bonito de Minas, o piso da quadra construída pelo programa já rachou e as obras de um posto de saúde estão paradas há mais de um ano.

Em Pedras de Maria da Cruz, R$ 400 mil foram usados em obras de saneamento e infraestrutura. Mas das duas obras de saneamento (construção de banheiros em 50 casas e reforma de sanitário público), a primeira, segundo o jornal, não saiu do papel e a segunda foi abandonada antes da conclusão. “A empreiteira recebeu o dinheiro e fechou sem terminar o serviço”, constatou o jornal.

Em Lontra, o programa calçou ruas em dois bairros e em Mirabela, segundo o jornal, a “atual administração desconhece as obras realizadas pelo programa”.

“O Travessia é mais um programa que só existe nas propaganda da TV”, diz o deputado estadual Adelmo Leão (PT), integrante do bloco Minas Sem Censura, na Assembleia Legislativa.

“São projetos feitos muito mais para promover a propaganda do governo do que para atender efetivamente a população. Existe uma Minas, que é a Minas da propaganda, que é muito interessante, mas ela não existe na realidade”, afirma Leão.

“O programa Travessia, que o governo se arvora como sendo a principal intervenção para a redução das desigualdades sociais no estado, tem se mostrado totalmente ineficaz neste sentido. O Travessia não atinge todos os municípios de Minas e nós sabemos que a situação de famílias em situação de vulnerabilidade social é uma realidade presente em todo o estado", reforça o deputado André Quintão (PT), também do bloco Minas Sem Censura.

Fonte: Assessoria de Imprensa do PT-MG


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »