08/12/2019 às 09h04min - Atualizada em 08/12/2019 às 09h04min

Copasa tem previsão de implantar Sistema Agroflorestal em Leopoldina em 2020

Perspectivas e desafios ambientais foram apresentados no último dia do III Encontro do Pró-Mananciais na cidade de Caeté em 5 de dezembro de 2019.

Os técnicos da COPASA – Marco Luiz Teixeira e Wiviany Meireles Rezende e os Colméias de Cataguases, Leopoldina e Palma participaram do III Encontro.
O III Encontro do Pró Mananciais, promovido pela Copasa, em Caeté, foi encerrado, no dia 05 de dezembro de 2019 com a palestra da engenheira ambiental, Júlia Guermandi, da Associação Veracidade, contratada via Convênio de Cooperação Técnica com a Fundação Banco do Brasil, abordando questões sobre os Sistemas Agroflorestais (SAFs).

De acordo com Júlia, o SAF é uma forma de produzir alimento e preservar a floresta, possibilitando que agricultores usufruam e tenham alguma rentabilidade com as plantações já estão adaptadas ao bioma. “Além disso, unindo estas duas variáveis, é possível uma maior retenção de água nestas áreas e, ao mesmo tempo, controlar a erosão, filtrando a água e evitando o carreamento de sólidos para o corpo hídrico”, informou Júlia.

Ainda de acordo com a engenheira, esse manejo aumenta a fertilidade da terra, melhora a qualidade do solo e seu potencial produtivo, diversificando, ainda, a quantidade de nutrientes e de matéria orgânica com a poda das árvores. “Ao fazer esta reciclagem é possível inserir novas culturas nestas áreas”, conclui Júlia.

Em 2019, a Copasa implantou quatro sistemas “pilotos” na cidade de São Tomé das Letras. A previsão para 2020, é implantar o SAF nas cidades de Arcos, Areado, Campos Gerais, Claúdio, Conselheiro Lafaiete, Divinópolis, Espera Feliz, Guimarânia, Igaratinga, João Pinheiro, Leopoldina, Palma, Paracatu, Patos de Minas, Perdigão, Piranguinho, Pouso Alegre, Santo Antônio do Monte, São Gotardo, Ubá, Urucânia e Varginha. A escolha dos municípios fica a critérios dos Colmeias que, ao fazer os diagnósticos das regiões onde serão implantadas as ações do Pró-Mananciais, identificam quais áreas rurais demandam a implementação dessa tecnologia social.

Além disso, no encerramento do encontro, os participantes fizeram uma roda de conversa para discutir sobre o

“Caminho adiante: Desafios e perspectivas do Pró-Mananciais.

Intercaladas às discussões, foram realizadas apresentações musicais e intervenções teatrais que tinham como tema a água. Em um momento único, a mística de encerramento do evento foi realizada onde todos os participantes interagiram entre si promovendo a troca de mudas de plantas nativas de diversas regiões do estado e destacando a relação entre terra, água e natureza, enquanto recursos fundamentais para a vida.  

 III Encontro Pró Mananciais

 O III Encontro Pró Mananciais reuniu especialistas em preservação hídrica e meio ambiente, além de mais de 500 representantes dos Colmeias de 187 municípios do Estado, que integram o programa. Durante o evento, os participantes trocaram experiências em rodas de conversa, palestra e outras atividades, em busca de conhecer e entender as realidades e as estratégias utilizadas nos outros municípios participantes do programa.

Programa Pró Mananciais

O programa teve início em dezembro de 2016, envolvendo 58 cidades. Em 2019, esse número saltou para 187. De acordo com Alessando Palhares, gerente da Unidade de Serviços de Licenciamento da Copasa, ao todo foram investidos aproximadamente R$ 25 milhões, no plantio de 540.711 mudas nativas, 760.588 cercamentos em Áreas de Proteção Permanente (APP), além da construção de bolsões, terraceamento, adequações de estradas, aceiros, manutenção de Centro de Educação Ambiental (Ceam), implantação de Sistemas Agroflorestais e do fomento ao Chuá Socioambiental que desenvolve ações de educação ambiental em escolas de ensino público e privado de todo o Estado, entre outras ações. “Para os dois próximos anos, estão previstas ações para adequações de estradas; construção de terraceamentos; plantio de mudas; cercamento de nascentes; estabilização de erosão; bacia de captação de água de chuva; kits de combate à incêndio para brigadas; ampliação do Chuá Socioambiental; implantação de tecnologias sociais, como SAF, TEVap, biodigestores e sistemas de captação de água de chuva; implantação de bebedouros; construção dos Ceam Patos de Minas e Esmeraldas e implantação de viveiros de mudas”, informou Alessandro. O Pró-Mananciais é responsável por mobilizar a comunidade e parceiros estratégicos no engajamento para a proteção e conservação dos mananciais utilizados pela Copasa para abastecimento público. O trabalho é realizado por meio do cuidado da proteção e da recuperação das águas, desde a sua nascente até a captação. Para a implantação do Pró-Mananciais, a Copasa prioriza os municípios mais impactados pela crise hídrica e que demandam ações emergenciais de conservação das águas. Além das ações de sensibilização, mobilização e educação ambiental, o programa valoriza o conhecimento e a experiência das comunidades para construir coletivamente o sentimento de pertencimento da população à microbacia de região na qual está inserida e o consequente engajamento na defesa das águas.

Fonte de informações:


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »