27/12/2019 às 18h44min - Atualizada em 27/12/2019 às 18h44min

Captação de água pluvial no Rosário ameaça estabilidade de residência

Moradora já levou o problema a autoridades municipais, que estiveram no local, mas, infelizmente, a situação ainda não foi solucionada.

Luiz Otávio Meneghite
O buraco causado pela erosão no quintal da residência mostra as raízes que dão sustentação ao muro
Há 34 anos a Prefeitura de Leopoldina solicitou autorização à proprietária da residência nº 22 da Rua Padre José Domingues, para atravessar uma rede de manilhas de cimento dentro de seu quintal com a condição de que o município se responsabilizasse pela construção de um muro de arrimo para dar segurança à residência.

A captação da água pluvial tem início na esquina da Praça do Rosário com a Rua Padre José Domingues e percorre todo o trecho até a cabeceira da ponte que faz a ligação com o Bairro Seminário. Antes de atingir a ponte as manilhas são desviadas para o quintal da residência até chegar ao córrego Feijão Crú. Com o passar do tempo houve desgaste na tubulação de cimento o que vem provocando o afundamento do quintal de tal forma que o buraco hoje está tão grande que cabe um automóvel.

Segundo a proprietária, Eliane Aparecida Silva Salomé, a erosão provocada pelas chuvas causou, além do afundamento do quintal, a desestabilização do muro de arrimo que atualmente está seguro apenas pelas sapatas de sustentação construídas há 34 anos. Ela disse ao Jornal Leopoldinense que já protocolou vários requerimentos junto à Prefeitura de Leopoldina pedindo o reparo na captação pluvial ou a sua retirada do quintal, o que traria tranqüilidade definitiva aos moradores.


O muro de arrimo está arriando


A moradora informou que já recebeu a visita de alguns funcionários da Prefeitura para verificar a situação, entre eles o Secretário Municipal de Obras, engenheiro José Márcio Gonçalves Lima, mas, infelizmente, até hoje não houve solução para o problema. Uma funcionária da Secretaria Municipal de Meio Ambiente teria dito à moradora que o que está dando sustentação ao muro são as raízes de uma goiabeira e um abacateiro do quintal da casa.

Eliane disse ainda que a abertura no muro provocada pela erosão facilitou o surgimento de cobras e outros animais peçonhentos, o que aumenta a sua preocupação uma vez que os seus netos estão sempre brincando nas imediações.

Ela recordou que a captação pluvial com manilhas de metro feita no local solucionou um grave problema existente nas imediações há mais de 34 anos em época de chuvas, quando enchentes impediam até o trânsito nas ruas Tiradentes, Gabriel Magalhães e Joaquim Ferreira Brito que ficavam totalmente alagadas.

A captação solucionou o problema, mas agora vem causando medo na moradora que vê o risco iminente de desabamento da casa. Eliane relatou que ainda neste ano de 2019 houve invasão de água pluvial em sua residência, segundo ela, provocada pelo entupimento de vários bueiros na região, o que causou danos a eletrodomésticos de sua casa.


A água das chuvas passa debaixo da residência e jorra no Feijão Crú

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »