18/02/2020 às 08h44min - Atualizada em 18/02/2020 às 08h44min

Produtores rurais de São Sebastião da Vargem Alegre iniciam produção de uva na região

Por meio do cooperativismo local, iniciativa desenvolve potencial produtivo e geração de renda

Quinze produtores rurais de São Sebastião da Vargem Alegre e região estão recebendo assistência técnica para o cultivo de uvas. A ação faz parte do Projeto de inclusão à Fruticultura, o qual orienta e acompanha toda a produção da fruta, capacita os participantes sobre os métodos de cultivo e fomenta o cooperativismo, visando o fortalecimento do negócio e da produção local. O projeto da ONG Atitude recebe apoio da Companhia Brasileira de Alumínio, em parceria com o Instituto Votorantim e com a ESA Consulting.
 
Durante o projeto, os produtores recebem acompanhamento técnico para resultar em uma produção rentável – principalmente pela região não ter tradição na produção de frutas, além de análise de solo e manejo de videiras. Também foi realizada orientação para a correção do solo, devido à acidez da terra. Dentro do projeto, os produtores estão em estágios diferentes de implantação e produção. Em média, a primeira colheita leva três anos e, já no primeiro, os resultados foram positivos.
 
“Estamos satisfeitos com o trabalho desenvolvido e com os resultados obtidos, principalmente por ser uma forma de gerar renda aos produtores rurais. A região tem potencial produtivo e, por isso, investimos nesse projeto. As orientações foram específicas para cada produtor, respeitando as particularidades de solo e terreno. Eles se mostraram motivados e bateram as metas estabelecidas, como de limpeza e de manutenção dos vinhedos. Outro aspecto importante foi o fomento ao associativismo e ao cooperativismo entre os participantes, de forma a fortalecer seus negócios e a viticultura da região”, destaca Elson Cristiano da Silva, coordenador de Desenvolvimento Humano e Organizacional, Segurança, Saúde e Meio Ambiente, Comunicação e Responsabilidade Social da CBA.


 
Versatilidade da Uva

A produção da uva é vantajosa devido a sua versatilidade para fabricação de diversos produtos, como passas, sucos, doces, geleias, vinhos e vinagres, além de subprodutos, a exemplo de corantes naturais, ácido tartárico, óleo de semente e taninos. Em um breve período de acompanhamento e assistência, constatou-se que a região é propícia para a produção de uvas de mesa, possibilitando o desenvolvimento de um mercado consumidor ainda pouco explorado.
 
O grupo precisou de 7 mil mudas para o início do cultivo, sendo feita uma mobilização para realizar uma compra coletiva. O custo de cada muda é de R$ 2,00 e, com o pedido integrado, cada uma saiu a R$ 0,17, gerando uma economia de 91,5%. Além disso, há grande potencial de crescimento: de 23.202 m² para 127.500m² da área plantada, aumento total de 5,5 vezes para atuação com a viticultura, dentro dos próximos cinco a oito anos.
 
De acordo com o assistente técnico Rodolfo Fadino Neto, da ESA Consulting, além do trabalho de campo, foi reforçado com os produtores sobre a formação de um conselho, para discutirem as formas de autorregulação e de melhorias. “O objetivo é fortalecer a renda dos pequenos produtores, uma vez que a produção de uva, se bem conduzida, traz ganhos significativos em comparação às demais culturas, devido a sua versatilidade. O grupo amadureceu bastante e percebeu que a compra de insumos feita coletivamente ajuda na redução de custos. Esse foi um ponto em que focamos, sempre com o objetivo de obter maior renda ao produtor”, observa.
 
As mudas foram disponibilizadas em julho de 2019, quando os produtores iniciaram o preparo da enxertia. Durante o processo, foram realizadas orientações para retirada e replantio de mudas, uso correto de equipamentos, produtos para pulverização, preparação e aplicação de adubo no solo, entre outros processos. Por fim, foram realizados o plantio e a avaliação da brotação dos frutos e da sanidade das plantas, assim como do desenvolvimento dos cachos.
 
“Ficamos muito satisfeitos com o tamanho dos meus cachos, que chegam a passar até de 1 kg. Participar desse projeto tem sido uma das melhores coisas que aconteceu no meio rural. Estou tendo a oportunidade de me capacitar para aprimorar a produção e a diversidade da uva”, afirma o produtor Cristiano Aparecido Machado.
 
Sobre a CBA

Desde 1955, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) produz alumínio de alta qualidade de forma integrada e sustentável. Com capacidade instalada para produzir 100% de energia vinda de hidroelétricas próprias, a CBA minera a bauxita, transforma em alumínio primário (lingotes, tarugos, vergalhões e placas) e produtos transformados (chapas, bobinas, folhas e perfis). Em estreita parceria com seus clientes, a CBA desenvolve soluções e serviços para os mercados de embalagens e de transportes, conferindo mais leveza, durabilidade e uma vida melhor.  A CBA está bem perto de você. Acesse: www.cba.com.br.
 
Assessoria de Imprensa CBA Adriana Borges/Ângelo Franco /Josiane Souza – Ideia Comunicação/
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »