17/03/2020 às 10h13min - Atualizada em 17/03/2020 às 10h13min

Projeto de Esgotamento Sanitário dos córregos Jacareacanga e Três Cruzes completa 27º mês

A intervenção física da obra do sistema de esgotamento sanitário está a cargo da empresa de engenharia Infracon Engenharia e Comércio Ltda.

Camila Pereira (*)
O prefeito José Roberto em visita ao canteiro de obras da Estação de Tratamento de Esgoto
O Ministério do Desenvolvimento Regional através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II) em convênio com a Prefeitura Municipal de Leopoldina/MG, vem promovendo a execução do empreendimento de Esgotamento Sanitário dos Córregos Jacareacanga e Três Cruzes ( Córregos Limpos, Vidas Saudáveis ) com infraestrutura social e urbana, contribuindo para o desenvolvimento acelerado e sustentável do município.

Serão beneficiados diretamente cerca de 20 mil habitantes, moradores dos respectivos bairros: Bela Vista, São Cristóvão, Fortaleza, Três Cruzes, Thomé Nogueira, Cidade Alta, Solar, Jardim Bela Vista, São Sebastião, Imperador, Nova Leopoldina.

A intervenção física da obra do sistema de esgotamento sanitário fica a cargo da empresa de engenharia INFRACON ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA. De acordo com o Engenheiro Civil, responsável pela construção da obra física, Senhor Adriano Soares, é importante compreender a diferença entre rede de esgoto e rede de drenagem pluvial, que têm funções distintas.

As redes de esgotamento recolherão o esgoto dos imóveis e destinarão para as estações de tratamento, que devolvem a água limpa para a natureza. Já a rede de drenagem pluvial é um equipamento para o escoamento das águas de chuva que, depois de captadas por galerias, são lançadas no ribeirão ou córrego.

O Projeto Sócio Ambiental de Esgotamento Sanitário dos Córregos Jacareacanga e Três Cruzes-PAC II,está vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social, coordenado sob a supervisão da Secretária de Assistência Social e Responsável Técnico Social (Coordenação) Maria do Carmo Brandão Vargas Vilas e também sob a supervisão da Assistente Social e Responsável Técnico Social ( Execução) Cyntia Iennaco de Moraes. A equipe técnica social que vem realizando atividades sócio ambientais é composta pela Assistente Social Camilla da Silva Pereira e pelo Engenheiro Ambiental e Sanitarista Lucas Ferrari Faria.

As ações sócio ambientais estão sendo desenvolvidas desde Dezembro de 2017 com objetivo geral de fomentar um novo comportamento da população frente a questões ambientais, promover a preservação do meio ambiente e garantir melhor qualidade de vida da população no município. As atividades educativas, promovidas pela equipe técnica social, estimulam a contribuição da participação cidadã através de atitudes saudáveis e responsáveis em relação ao meio ambiente. Como forma de Mobilização, Organização e Fortalecimento Social foram desenvolvidas e executadas diversas ações como: eventos itinerantes nos bairros diretamente beneficiados pela obra, visitas às escolas, creches e unidades de saúde da família, formação de comitê de moradores e reunião com lideranças, divulgação da obra física na imprensa e também por meio de outdoor e busdoor. Para acompanhar a Gestão Social de Intervenção as atividades sócio ambientais contaram com: visitas domiciliares, aplicação de questionários, distribuição de folders diversos, encontros sistemáticos entre comitê de moradores, empreiteira e equipe técnica, atividades preventivas e educativas de prevenção de riscos.

Em continuidade ao trabalho de Educação Ambiental e Patrimonial as ações sócio ambientais realizaram projetos como: excursão ambiental no “trenzinho da alegria” com alunos das escolas do entorno da obra, palestras nas escolas e unidade básica de saúde, apresentação de teatro, blitz educativa com distribuição gratuita de sacolinhas de lixo, projeto de educação ambiental nas escolas, desenvolvimento de gincana e concurso de redação nas escolas e “workshop” com agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias.

A equipe sócio ambiental vem desenvolvendo atividades, parcerias e fortalecimento com a Associação de Coletores de Materiais Recicláveis (ASCAMARE) e com o Projeto Recicla Três Cruzes a fim de gerar sustentabilidade ao município e ao meio ambiente através do processo de reciclagem.

O Comitê de Moradores foi criado no início das atividades sócio ambientais e é composto por representantes da sociedade civil, presidentes de associações de bairros, vereadores, Secretaria Municipal de Obras através do Secretário José Márcio Gonçalves Lima, equipe técnica do projeto sócio ambiental e representantes da empreiteira INFRACON, que participam trimestralmente de Encontros Sistemáticos a fim de serem orientados e repassarem à sociedade, de forma clara e transparente, dados sobre o andamento da Estação de Tratamento de Esgoto e ações sócio ambientais executadas.

As atividades sócio ambientais estão em seu 27° mês de atuação e serão concluídas até o mês de Junho de 2020 com projetos voltados à sustentabilidade do empreendimento, evitando o descarte incorreto de lixo nos Córregos Jacareacanga e Três Cruzes e em seus entornos a fim de não atrapalhar o correto funcionamento da Estação de Tratamento de Esgoto.

Dicas:

As redes de esgoto recebem apenas o esgoto sanitário. Essas redes não suportam a vazão, o lixo, a areia, as pedras e a sujeira das ruas contidas na água das chuvas, por isso são separadas das redes de drenagem pluvial. As ligações de esgoto realizadas clandestinamente na rede de drenagem pluvial provocam danos ao meio ambiente, poluindo ribeirões e córregos, enquanto a rede de esgotos recebe tratamento adequado para posterior destinação em fluentes d’água.

Para evitar a obstrução da rede de esgoto alguns cuidados são necessários:

1-não jogar lixo no vaso sanitário ou nas caixas de esgoto (resto de comida, papel, absorventes, preservativos, cabelo, plástico, cotonetes, fraldas descartáveis, bituca de cigarro,fio dental, etc.)

2-limpar periodicamente a caixa de gordura;

3-não fazer ligação na rede de esgoto para escoar água de chuvas;

4-não descartar óleo de cozinha nem borra de café na pia, pois esses materiais entopem a rede e poluem o meio ambiente.

5- a água da chuva, proveniente de telhados, calhas e ralos, devem ser direcionados para a rede de drenagem pluvial e não para a rede de esgoto.

6- no caso da rede pluvial, os moradores devem evitar o acúmulo irregular de lixo nas calçadas e vias públicas, pois com a chuva, o material irá obstruir a passagem da água ocasionando alagamentos.

Para que o LIXO não seja um problema para a sociedade é necessário o DESCARTE CORRETO. Atualmente a gestão de resíduos é feita através de ATERRO SANITÁRIO, RECICLAGEM E COMPOSTAGEM. É importante que os resíduos não sejam descartados incorretamente. Além disso é necessário a contribuição da sociedade em relação ao próprio lixo e seu impacto ambiental, já que ESGOTO NÃO É LIXO!
 
(*) Enviado por Iago Geraldo Xavier-Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Leopoldina
-
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »